SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 issue5Esthetic perception of orthodontic appliances by Brazilian children and adolescentsReliability of overbite depth indicator (ODI) and anteroposterior dysplasia indicator (APDI) in the assessment of different vertical and sagittal dental malocclusions: a receiver operating characteristic (ROC) analysis author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Dental Press Journal of Orthodontics

Print version ISSN 2176-9451On-line version ISSN 2177-6709

Abstract

JEELANI, Waqar; FIDA, Mubassar  and  SHAIKH, Attiya. The duration of pubertal growth peak among three skeletal classes. Dental Press J. Orthod. [online]. 2016, vol.21, n.5, pp.67-74. ISSN 2176-9451.  https://doi.org/10.1590/2177-6709.21.5.067-074.oar.

Introdução:

o pico de crescimento puberal está intimamente relacionado a um rápido aumento no comprimento da mandíbula e propicia uma larga gama de abordagens terapêuticas.

Objetivos:

o objetivo do presente estudo foi determinar e comparar as idades médias ao começo do pico de crescimento puberal, bem como sua duração, nas três diferentes classes esqueléticas.

Métodos:

esse estudo retrospectivo transversal foi conduzido usando radiografias celafométricas laterais de 230 indivíduos com potencial de crescimento (110 homens, 120 mulheres). Os indivíduos foram categorizados em 3 classes (Classe I = 81, Classe II = 82, Classe III = 67), conforme a relação sagital presente entre a maxila e a mandíbula. O estágio de maturação cervical foi registrado por meio do método de Baccetti. As idades médias em EMVC3 e EMVC4, bem como o intervalo de idade EMVC3-EMVC4 foram comparados entre meninos e meninas e entre as três classes esqueléticas.

Resultados:

o pico de crescimento puberal ocorreu, em média, quatro meses mais cedo nas meninas do que nos meninos (p = 0,050). A duração média do pico de crescimento puberal foi de 11 meses nos indivíduos Classe I, 7 meses nos indivíduos Classe II e de 17 meses nos indivíduos Classe III. As diferenças interclasses foram altamente significativas (d de Cohen > 0,08). Porém, não foram identificadas diferenças significativas quanto à época de início do pico de crescimento puberal entre as três classes esqueléticas (p = 0,126 nos garotos, p = 0,262 nas garotas).

Conclusões:

as meninas entram no pico de crescimento puberal, em média, quatro meses antes dos meninos. Além disso, a duração do pico de crescimento puberal é, em média, quatro meses menor em indivíduos Classe II e seis meses maior nos indivíduos Classe III, em comparação aos indivíduos Classe I.

Keywords : Puberdade; Idade de início; Vértebras cervicais; Cefalometria.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )