SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 número3Efficiency of ODI and APDI of Kim’s cephalometric analysis in a Latin American population with skeletal open bitePeriodontal parameters of two types of 3 x 3 orthodontic retainer: a longitudinal study índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Dental Press Journal of Orthodontics

versión impresa ISSN 2176-9451versión On-line ISSN 2177-6709

Resumen

FATIMA, Farheen  y  FIDA, Mubassar. The assessment of resting tongue posture in different sagittal skeletal patterns. Dental Press J. Orthod. [online]. 2019, vol.24, n.3, pp.55-63.  Epub 01-Ago-2019. ISSN 2176-9451.  http://dx.doi.org/10.1590/2177-6709.24.3.055-063.oar.

Introdução:

a postura da língua em repouso pode afetar as estruturas adjacentes e resultar em mudanças no formato das arcadas e na relação maxilomandibular.

Objetivo:

o presente estudo teve como objetivo avaliar a associação entre a postura da língua em repouso (observada em radiografias cefalométricas laterais), o padrão esquelético e o formato da arcada.

Métodos:

a amostra incluiu radiografias cefalométricas laterais e modelos de estudos iniciais de 90 pacientes, os quais foram divididos em três grupos, conforme a relação esquelética: Classe I, Classe II e Classe III. A postura da língua foi avaliada com o software ViewPro-X, de acordo com o método descrito por Graber et al. em 1997, medindo-se a distância entre o palato e a língua em seis pontos diferentes (distâncias 1 a 6). A largura das arcadas (distâncias intercaninos e intermolares) foi medida nos modelos de gesso iniciais.

Resultados:

as distâncias aferidas foram semelhantes entre os grupos. Diferenças significativas entre os grupos foram encontradas para as distâncias intercaninos e intermolares, nos níveis das cúspides e da gengiva, com exceção da distância intercaninos superiores ao nível das cúspides e distância intermolares inferiores ao nível das cúspides. No grupo Classe III, foi observada uma correlação positiva moderada entre as proporções das larguras das arcadas nas distâncias 3 e 4. O tamanho do efeito apresentou-se de moderado a alto nos diferentes padrões esqueléticos e larguras das arcadas.

Conclusão:

os resultados do presente estudo mostraram ausência de diferenças significativas na postura da língua em repouso entre os diferentes grupos, e uma correlação moderada a fraca entre a postura da língua e o formato das arcadas.

Palabras clave : Língua; Relação óssea; Formato da arcada.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · Inglés ( pdf )