SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 número1Verificação da efetividade de uma ação educativa sobre proteção auditiva para trabalhadores expostos a ruídoAvaliação da restrição de participação e de processos cognitivos em idosos antes e após intervenção fonoaudiológica índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Jornal da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia

versão On-line ISSN 2179-6491

Resumo

MOROZETTI, Pâmela Garcia; GANANCA, Cristina Freitas  e  CHIARI, Brasília Maria. Comparação de diferentes protocolos de reabilitação vestibular em pacientes com disfunções vestibulares periféricas. J. Soc. Bras. Fonoaudiol. [online]. 2011, vol.23, n.1, pp.44-50. ISSN 2179-6491.  http://dx.doi.org/10.1590/S2179-64912011000100011.

OBJETIVO: Comparar a eficácia terapêutica de dois protocolos de reabilitação vestibular em diferentes disfunções vestibulares. MÉTODOS: Participaram 20 pacientes com disfunções periféricas crônicas, de ambos os gêneros (prevalência do gênero feminino, com 60% da amostra), com média de idade de 55 anos e 9 meses. O Grupo 1 realizou exercícios baseados na estimulação do reflexo vestíbulocular vertical e horizontal, e o Grupo 2 realizou exercícios baseados em um protocolo de reabilitação vestibular personalizado. A análise de dados levou em consideração a queixa durante a anamnese e a evolução clínica do paciente a partir da execução dos exercícios. Além disso, foram obtidos os resultados do questionário Dizziness Handicap Inventory (DHI) e da escala analógica e visual de tontura (EVA), pré e pós reabilitação vestibular. RESULTADOS: Houve diferença nos valores da EVA e do DHI (escala física, funcional e no valor total), pré e pós-reabilitação vestibular, em ambos os grupos. Porém, na comparação dos dois grupos no momento pós-reabilitação, o Grupo 2 obteve melhores resultados que o Grupo 1, tanto na EVA quanto no DHI (escala funcional e no valor total). CONCLUSÃO: A reabilitação vestibular possibilitou melhora significativa do quadro otoneurológico clínico e na auto-percepção da tontura independentemente da terapêutica empregada. A reabilitação vestibular personalizada mostrou-se mais eficaz do que o protocolo de estimulação do reflexo vestibulocular na melhora da qualidade de vida de indivíduos com disfunções periféricas crônicas

Palavras-chave : Tontura; Doenças vestibulares [terapia]; Qualidade de vida; Reabilitação [métodos]; Resultado de tratamento.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons