SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 número2Avaliação postural em crianças com deglutição atípica: estudo radiográficoFrequência de sinais e sintomas de disfunção cervical em indivíduos com disfunção temporomandibular índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Jornal da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia

versão On-line ISSN 2179-6491

Resumo

PICINATO-PIROLA, Melissa Nara de Carvalho; MELLO-FILHO, Francisco Veríssimo de  e  TRAWITZKI, Luciana Vitaliano Voi. Tempo e golpes mastigatórios nas diferentes deformidades dentofaciais. J. Soc. Bras. Fonoaudiol. [online]. 2012, vol.24, n.2, pp.130-133. ISSN 2179-6491.  http://dx.doi.org/10.1590/S2179-64912012000200007.

OBJETIVO: Verificar se o número de golpes e o tempo mastigatório são influenciados pela deformidade dentofacial, na mastigação habitual livre. MÉTODOS: Participaram 15 pacientes com deformidade dentofacial classe II (GII), 15 com classe III (GIII) e 15 indivíduos sem a deformidade (GC). Foi analisada a mastigação habitual livre de um biscoito de maisena, considerando o tempo e o número de golpes mastigatórios apresentados durante duas mastigações. A contagem dos golpes foi feita considerando os movimentos mandibulares de abertura e fechamento da mandíbula. O tempo para o consumo de cada mordida do alimento foi investigado por meio de um cronômetro digital, acionado após a colocação do alimento na cavidade oral e paralisado no momento da deglutição final de cada porção. RESULTADOS: Não houve diferenças entre os grupos, tanto para a variável referente ao número de golpes, quanto para a relacionada ao tempo. Entretanto, quanto ao número de golpes, observou-se que os grupos GC e GII apresentaram uma concordância significativa entre a primeira e a segunda situação de mastigação, o que não ocorreu com o GIII. Na análise do tempo, houve uma concordância significativa no GC entre a primeira e a segunda situação de mastigação; o GII apresentou uma concordância razoável entre as duas situações de mastigação e o GIII apresentou discordância entre as duas mastigações. CONCLUSÃO: As deformidades dentofaciais não influenciam no número de golpes mastigatórios e no tempo da mastigação. Entretanto, os indivíduos classe III não apresentam uma uniformidade nesses aspectos.

Palavras-chave : Mastigação; Má oclusão; Estudos de tempo e movimento; Anormalidades maxilofaciais; Anormalidades do sistema estomatognático.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons