SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 número2Tempo e golpes mastigatórios nas diferentes deformidades dentofaciaisDesempenho sócio-cognitivo e diferentes situações comunicativas em grupos de crianças com diagnósticos distintos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Jornal da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia

versão On-line ISSN 2179-6491

Resumo

WEBER, Priscila et al. Frequência de sinais e sintomas de disfunção cervical em indivíduos com disfunção temporomandibular. J. Soc. Bras. Fonoaudiol. [online]. 2012, vol.24, n.2, pp.134-139. ISSN 2179-6491.  http://dx.doi.org/10.1590/S2179-64912012000200008.

OBJETIVOS: Investigar a frequência de sinais e sintomas de disfunção da coluna cervical (DCC) em indivíduos com e sem disfunção temporomandibular (DTM) e avaliar a influência da postura craniocervical sobre a coexistência da DTM e da DCC. MÉTODOS: Participaram 71 mulheres, com idades entre 19 e 35 anos, que foram avaliadas quanto à presença de DTM. Destas, 34 constituíram o grupo com DTM (G1) e 37 participaram compuseram o grupo sem DTM (G2). A DCC foi avaliada pelo Índice de Disfunção Clínica Craniocervical e pelo Índice de Mobilidade Cervical. Questionou-se, ainda, a queixa de dor cervical. A postura craniocervical foi aferida por meio do traçado cefalométrico. RESULTADOS: Não houve diferença na entre os grupos quanto à postura craniocervical. O G2 apresentou maior frequência de DCC leve e menor frequência de DCC moderada ou grave (0,01). O G1 apresentou maiores percentuais de frequência de dor durante a execução do movimento e dor à palpação dos músculos cervicais. No G1, a maioria (88,24%) das participantes relatou dor cervical, com diferença em relação ao G2. CONCLUSÃO: Não houve diferença na postura craniocervical entre os grupos, o que sugere que as alterações posturais estejam mais relacionadas à ocorrência de DCC. A presença de DTM resultou em maior frequência de sintomas dolorosos na região cervical. Assim, a coexistência de sinais e sintomas de DCC e DTM parece estar mais relacionada à inervação comum do complexo trigêmino-cervical e à hiperalgesia de indivíduos com DTM do que à alteração postural craniocervical.

Palavras-chave : Dor facial; Cervicalgia; Transtornos craniomandibulares; Postura; Circunferência craniana; Sinais e sintomas.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons