SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 número3Conflitos de uso da terra na microbacia do São Bartolomeu - Viçosa, MGEstrutura e diversidade da regeneração arbórea em uma floresta secundária urbana (Juiz de Fora, MG, Brasil) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Floresta e Ambiente

versão On-line ISSN 2179-8087

Resumo

GASPARINI, Kaio Allan Cruz et al. Técnicas de geoprocessamento e sensoriamento remoto aplicadas na identificação de conflitos do uso da terra em Seropédica-RJ. Floresta Ambient. [online]. 2013, vol.20, n.3, pp.296-306.  Epub 27-Set-2013. ISSN 2179-8087.  https://doi.org/10.4322/floram.2013.030.

Este trabalho avaliou o uso e a cobertura da terra, e comparou os dados obtidos com aqueles das Áreas de Preservação Permanente (APPs), para identificar conflitos do uso da terra no município de Seropédica-RJ. Utilizaram-se duas cenas do satélite CBERS2 e a classificação supervisionada com o método da mínima distância. As APPs foram delimitadas com o auxílio de geotecnologias, baseando-se na legislação ambiental (Lei n.º 12.651/2012) (Brasil, 2012). Utilizou-se no mapeamento das APPs um Modelo Digital de Elevação (1:25.000) e, para a rede de drenagem, cartas planialtimétricas (1:10.000). Identificaram-se 40,02 km2 de APPs, o que correspondeu a 15,01% do município. A APP do rio Guandu apresentou maior área (7,23%) e lagos urbanos, a menor (0,04%). O município não apresentou APPs de declividade (<40°) e de topo de morro (declividade < 25° com altitude < 100). Em relação aos conflitos do uso da terra, o solo exposto correspondeu a 58,1%, pastagem a 21,7%, areia/mineração a 7,8% e área urbana a 3,9%. Os resultados obtidos indicam eficiência dessas geotecnologias na gestão municipal.

Palavras-chave : geoprocessamento; Área de Preservação Permanente; Rio Guandu.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons