SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 número1Utilização de Geotecnologia para o Mapeamento de Áreas de Preservação Permanente no Município de João Neiva, ESCaracterização da Cobertura Florestal de Unidades de Conservação da Mata Atlântica índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Floresta e Ambiente

versão On-line ISSN 2179-8087

Resumo

KIFFER DE FREITAS, Welington; PINHEIRO, Marco Aurélio Soares  e  ABRAHAO, Leandro Luiz Ferreira. Análise da Arborização de Quatro Praças no Bairro da Tijuca, RJ, Brasil. Floresta Ambient. [online]. 2015, vol.22, n.1, pp.23-31. ISSN 2179-8087.  http://dx.doi.org/10.1590/2179-8087.025612.

Neste estudo foi realizada a avaliação da arborização de quatro praças da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, considerando a riqueza de espécies, análises morfométricas dos indivíduos, além do seu diagnóstico fitossanitário. Foram encontradas 310 árvores, distribuídas em 36 espécies e 14 famílias, com destaque para Cassia siamea e Delonix regia que, juntas, corresponderam a 32,4% dos indivíduos. Cassia siamea representou 9,4% dos indivíduos da Praça Castilho França, 32,3% da Varnhagen, 24,0% da Saens Pena e 11,1% da Xavier de Brito. Já Delonix regia totalizou 3,2% das espécies da Praça Varnhagen, 10,7% da Saens Pena e 35,2% da Xavier de Brito. Nas quatro praças foi encontrada uma distribuição proporcional entre as espécies exóticas e nativas. Todavia, comparando o número de indivíduos, foi constatado predomínio das exóticas. Considerando todos os indivíduos amostrados, 83,6% concentraram-se entre 5 m e 15 m de altura. Observou-se que 49,5% das árvores apresentaram DAP maiores que 30 cm. Considerando-se os aspectos fitossanitários, 64,5% das árvores encontravam-se saudáveis e 25,4% mostravam sinais de ataques de pragas, além disso, 10,1% sofreram injúrias. Diante desses fatos, recomenda-se a substituição dos indivíduos debilitados que sejam uma ameaça aos usuários ou prejudiquem a estética, procurando sempre utilizar o maior número de espécies nativas possível, para evitar a uniformidade. Também se faz necessário intensificar o controle das pragas e as atividades de educação ambiental, com o intuito de reduzir os danos nos exemplares da flora das praças urbanas.

Palavras-chave : florística; espécies arbóreas; diagnóstico de árvores; arborização urbana.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )