SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 número2Incidence of atrioventricular and intraventricular conduction disorders after transcatheter aortic valve implantation with the CoreValve bioprosthesisIntracoronary administration of paclitaxel nanoparticles during percutaneous coronary intervention for intimal hyperplasia suppression after bare-metal stent implantation índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Revista Brasileira de Cardiologia Invasiva

versión On-line ISSN 2179-8397

Resumen

LEMOS, Pedro A. et al. Implante transcateter de valva aórtica sem a necessidade de marca-passo definitivo em uma série de casos consecutivos: é possível predizer o risco de bloqueio atrioventricular?. Rev. Bras. Cardiol. Invasiva [online]. 2010, vol.18, n.2, pp. 135-139. ISSN 2179-8397.  http://dx.doi.org/10.1590/S2179-83972010000200006.

INTRODUÇÃO: O implante transcateter de prótese valvar aórtica (ITVA) tem sido relatado, de forma crescente, como uma opção terapêutica para pacientes com estenose aórtica de elevado risco cirúrgico. Embora eficaz e relativamente segura, o ITVA é atualmente associado a taxa de necessidade de marca-passo definitivo de 20% a 30%, com alguns preditores do risco dessa complicação já descritos na literatura MÉTODO: Relatamos uma série de 8 casos consecutivos de pacientes com estenose aórtica tratados com ITVA (Corevalve Revalving, Medtronic Inc., Estados Unidos) RESULTADOS: Foram incluídos pacientes de alto risco cirúrgico (na média, Escore STS = 22,9% e EuroSCORE = 27,2%). Todos os pacientes apresentavam pelo menos uma característica preditora de bloqueio atrioventricular de alto grau após o procedimento. A intervenção foi bem-sucedida em todos os pacientes, exceto em um caso que apresentou tamponamento e óbito intra-hospitalar. O gradiente transaórtico máximo reduziu-se de 91,3 ± 26,9 mmHg para 19,4 ± 6,3 mmHg. Após a alta, o tempo de seguimento clínico variou de quatro semanas a doze meses. Durante o seguimento, não houve óbitos e nenhum paciente apresentou bloqueio atrioventricular de 2º ou 3º graus novo, com taxa zero de marca-passo definitivo CONCLUSÃO: Embora o acaso possa explicar a ausência de marca-passo definitivo na população do estudo, nossa experiência inicial sugere que a necessidade de marca-passo após ITVA não é prontamente previsível por meio dos preditores de risco atualmente descritos.

Palabras llave : Estenose da valva aórtica; Cateterismo; Próteses valvulares cardíacas; Bloqueio cardíaco; Marcapasso artificial.

        · resumen en Inglés     · texto en Portugués     · pdf en Portugués