SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.27 número3Retenção de nutrientes e crescimento multitemporal de wetland – Estudo de caso da Wetland do Riacho Fundo índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Acta Limnologica Brasiliensia

versão impressa ISSN 0102-6712versão On-line ISSN 2179-975X

Resumo

FIORI, Leandro Fabrício; CIONEK, Vivian de Mello; SACRAMENTO, Patricia Almeida  e  BENEDITO, Evanilde. Conteúdo calórico de folhas de cinco espécies de árvores da vegetação ripária em um fragmento florestal do Sul do Brasil. Acta Limnol. Bras. [online]. 2015, vol.27, n.3, pp.247-253. ISSN 2179-975X.  https://doi.org/10.1590/S2179-975X6114.

Resumo

Objetivo: O conteúdo calórico evidencia a quantidade de energia que permanece na folha e que pode ser libertado para a cadeia trófica aquática. O presente estudo teve como objetivo investigar o conteúdo calórico de folhas de cinco espécies de árvores de vegetação ripária e avaliar sua variação interespecífica e sazonal (seca e chuva).

Métodos

As coletas foram realizadas trimestralmente durante um ano, na área de vegetação ripária de um fragmento florestal no sul do Brasil. Os locais de amostragem foram localizados ao longo da vegetação ripária desses dois corpos de água, e devido à sua proximidade e ausência de diferenças estatísticas significativas do conteúdo calórico, analisados em conjunto.

Resultados

O conteúdo calórico variou significativamente entre as espécies e entre todos os pares de espécies, com exceção de Nectandra cuspidata Ness e Calophyllum brasiliensis Cambess. Duas espécies apresentaram diferenças significativas entre estações, Sloanea guianensis (Aubl.) Ben e Calophyllum brasiliensis Cambess.

Conclusões

A ausência de diferenças significativas sazonais no teor energético de algumas espécies pode ser devido às características da floresta tropical, em que a temperatura não variou significativamente entre as estações do ano. No entanto, a diferença de energia entre as espécies e de sazonalidade para algumas espécies, enfatiza a necessidade de uma inspeção preliminar no teor energético, antes de traçar fluxos de energia, em detrimento do uso de um único valor para toda a vegetação ripária.

Palavras-chave : serapilheira; energia; matéria orgânica alóctone; riacho de cabeceira; Mata Atlântica.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )