SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 issue23ILLEGAL TRADE OF AFRICAN PEOPLE WITHIN BRAZIL IN19TH CENTURY: THE “PATACHO” HERMINIA (PARAÍBA - 1850)NINETEENTH CENTURY HISPANIC AMERICAN ARTISANS: IDENTITIES, ORGANIZATIONS AND POLITICAL ACTION author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Almanack

On-line version ISSN 2236-4633

Abstract

FERREIRA, Cristina  and  LENZ, Thiago. DUAS NARRATIVAS PARA O LUGAR DOS INDÍGENAS NAS ORIGENS DA NAÇÃO: A HISTÓRIA FICCIONAL DE MAGALHÃES E ALENCAR. Almanack [online]. 2019, n.23, pp.202-238.  Epub Dec 13, 2019. ISSN 2236-4633.  http://dx.doi.org/10.1590/2236-463320192309.

História e literatura exprimem sentidos ao mundo social por meio de narrativas que subsidiam a investigação histórica, com pistas fragmentárias de suas redes de interlocução social e intertextual. Em consonância com esses pressupostos teórico-metodológicos, este artigo analisa o indianismo preconizado pelo Romantismo brasileiro, por meio do estudo da polêmica entre Domingos José Gonçalves de Magalhães e José de Alencar. A Confederação dos Tamoios (1856), poema épico escrito por Magalhães e narrado em forma de versos, descrevia o conflito empreendido pelos índios Tamoios, no período de 1554 a 1567, contra os portugueses e sua prática de escravização indígena. O poema não teve aceitação totalmente elogiosa, com destaque para as críticas de José de Alencar que, sob o pseudônimo de Ig, alegou que o formato de epopeia não captava o heroísmo idealizado às personagens indígenas e às especificidades do Brasil mediante o pouco destaque atribuído às características da natureza. O ponto de convergência na abordagem de ambos era a ênfase na figura do indígena, gestada a partir de uma aproximação com os relatos de cronistas, mas por intermédio de maneiras distintas de usufruto: Magalhães adotava a fidelidade ao “testemunho”, sem a idealização, enquanto Alencar seguiu o caminho inverso e poetizou os nativos. Tais embates literários confirmaram a formulação de uma literatura romântica pautada no estudo de cronistas para a composição de textos ficcionais, demarcando a evidência da fluidez entre história e literatura no universo letrado oitocentista.

Keywords : Confederação dos Tamoios; Gonçalves de Magalhães; José de Alencar; natureza; indígenas.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )