SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.35 issue3The Iowa Gambling Task (IGT) in Brazil: a systematic reviewBeginning and end of treatment of patients who dropped out of psychoanalytic psychotherapy author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Trends in Psychiatry and Psychotherapy

Print version ISSN 2237-6089

Abstract

DESOUSA, Diogo Araújo et al. Adaptação transcultural e propriedades psicométricas preliminares do Affective Reactivity Index em jovens brasileiros: implicações para a irritabilidade medida pelo DSM-5. Trends Psychiatry Psychother. [online]. 2013, vol.35, n.3, pp.171-180. ISSN 2237-6089.  http://dx.doi.org/10.1590/S2237-60892013000300004.

Objetivo: Descrever a adaptação transcultural do Affective Reactivity Index (ARI) para o português do Brasil e investigar propriedades psicométricas preliminares da versão adaptada. Método: A adaptação transcultural foi baseada na investigação das equivalências teórica e operacional da versão original do ARI no contexto brasileiro, seguida do processo de tradução, retrotradução e revisão por comitê de especialistas. A análise dos dados foi realizada em uma amostra comunitária de 133 escolares com idade entre 8 e 17 anos para investigar as seguintes características do ARI: 1) estrutura fatorial; 2) consistência interna; 3) validade do construto, comparando as relações diferenciais entre irritabilidade e as dimensões de ansiedade e prejuízo; e 4) parâmetros de teoria da resposta ao item (TRI). Resultados: Uma versão final em português do Brasil do instrumento foi definida e é apresentada. A consistência interna foi boa, e nossa análise confirmou a estrutura unifatorial original do ARI. As correlações do ARI com as dimensões de ansiedade relacionadas a sofrimento foram maiores do que com as dimensões de ansiedade relacionadas a fobias, reforçando a validade do construto. Além disso, escores mais altos no ARI foram associados a maior prejuízo relacionado à irritabilidade. A análise do TRI enfatizou a frequência de perda de controle como essencial para determinar estados patológicos de irritabilidade. Conclusão: A versão em português do Brasil do ARI parece ser muito semelhante ao instrumento original em termos de equivalência conceitual, de itens, semântica e operacional. Nossa análise preliminar reproduz e estende evidências anteriores que confirmam propriedades psicométricas promissoras para o ARI.

Keywords : Affective Reactivity Index; irritabilidade; adaptação transcultural; psicometria; teoria da resposta ao item.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License