SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.35 número4O fenotipo ampliado do autismo em pais de individuos autistas: uma revisao sistematica da literatura índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Trends in Psychiatry and Psychotherapy

versão impressa ISSN 2237-6089

Resumo

CARVALHO, Marcele Regine de et al. Achados eletroencefalográficos no transtorno do pânico. Trends Psychiatry Psychother. [online]. 2013, vol.35, n.4, pp.238-251. ISSN 2237-6089.  https://doi.org/10.1590/2237-6089-2013-0012.

Alguns estudos relataram a importância da eletroencefalografia (EEG) como método de investigação de parâmetros anormais em transtornos psiquiátricos. Achados diferentes na análise do domínio do tempo e da frequência em relação à excitabilidade do sistema nervoso central durante estados agudos de pânico já foram obtidos. O objetivo deste estudo foi revisar sistematicamente os achados de EEG no transtorno do pânico (TP), discuti-los com base em uma hipótese neuroanatômica atualmente aceita para essa patologia e identificar limitações nos estudos selecionados. A pesquisa bibliográfica foi realizada nas bases de dados PubMed e ISI Web of Knowledge, utilizando as palavras-chave eletroencefalografia e transtorno do pânico; 16 artigos foram selecionados. Apesar da inconsistência dos achados de EEG no TP, as principais conclusões sobre a potência absoluta das bandas alfa e beta apontam para uma diminuição da potência em alfa, enquanto em beta a potência tende a aumentar. Diferentes padrões de assimetria foram encontrados entre estudos. Os estudos de coerência apontaram para um menor grau de conectividade funcional inter-hemisférica na região frontal e intra-hemisférica na região temporal bilateral. Estudos de potenciais eventos relacionados demonstraram mudanças no processamento da memória em pacientes com TP quando expostos a estímulos aversivos. Notou-se que a maioria dos resultados reflete a atual hipótese neurobiológica do TP, nos quais déficits inibitórios do córtex pré-frontal em relação à modulação da atividade da amígdala, e a subsequente ativação de regiões subcorticais, podem ser responsáveis por desencadear respostas de ansiedade. Foram abordadas algumas questões importantes que precisam ser consideradas em futuras pesquisas, especialmente o uso de diferentes métodos de análise de sinais de EEG. Descritores: Eletroencefalografia, transtorno do pânico, neurobiologia, mapeamento encefálico.

Palavras-chave : Eletroencefalografia; transtorno do pânico; neurobiologia; mapeamento encefálico.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )