SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.37 issue4Brazilian Portuguese version of the CORE-OM: cross-cultural adaptation of an instrument to assess the efficacy and effectiveness of psychotherapy author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Trends in Psychiatry and Psychotherapy

Print version ISSN 2237-6089On-line version ISSN 2238-0019

Abstract

BORTOLUZZI, Andressa et al. O que os genes associados ao eixo HPA podem nos dizer sobre os transtornos de ansiedade em adolescentes?. Trends Psychiatry Psychother. [online]. 2015, vol.37, n.4, pp.232-237. ISSN 2238-0019.  https://doi.org/10.1590/2237-6089-2015-0035.

Introdução:

Os transtornos de ansiedade (TA) compartilham características tanto de ansiedade quanto de medo, ambos associados à resposta ao estresse. O eixo hipotálamo-pituitária-adrenal (HPA) é considerado a principal via biológica do sistema do estresse, e sabe-se que respostas inadequadas aos estímulos ambientais podem estar relacionadas à vulnerabilidade genética individual em genes do eixo HPA. Apesar da plausibilidade biológica de uma relação entre o eixo HPA e os TA, poucos estudos avaliaram a associação entre os polimorfismos genéticos de genes do eixo HPA e esse transtorno psiquiátrico complexo.

Objetivo:

Investigar, em adolescentes, se os TA estão associados com polimorfismos em genes do eixo HPA.

Métodos:

Nosso estudo é uma avaliação transversal realizada em uma amostra comunitária de 228 adolescentes (131 casos de TA). Foi extraído DNA de saliva e foram genotipados os polimorfismos do eixo HPA (FKBP5: rs3800373, rs9296158, rs1360780, rs9470080 e rs4713916; NR3C1: rs6198; CRHR1: rs878886; e SERPINA6: rs746530), por reação em cadeia da polimerase (PCR) em tempo real. O diagnóstico e a gravidade dos TA foram avaliados pelo instrumentos The Schedule for Affective Disorder and Schizophrenia for School-Age Children - Present and Lifetime (K-SADS-PL) e Screen for Child and Anxiety related Emotional Disorders (SCARED).

Resultados:

Não foram encontradas associações entre os TA e os polimorfismos genéticos do eixo HPA (p > 0.05).

Conclusão:

Segundo nosso conhecimento, este é o primeiro estudo que avaliou, em adolescentes, esses polimorfismos genéticos específicos do eixo HPA e sua relação com os TA, o que nos encoraja a delinear novas pesquisas sobre o assunto.

Keywords : Eixo HPA; polimorfismos genéticos; transtorno de ansiedade; adolescentes.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )