SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.38 número1Depressão e ansiedade em pessoas com esclerose lateral amiotrófica: uma revisão sistemáticaSintomas de transtorno de ansiedade definidos conforme o DSM-IV em um grupo de crianças malaias na terceira infância segundo a Escala de Ansiedade Infantil de Spence índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Trends in Psychiatry and Psychotherapy

versão impressa ISSN 2237-6089versão On-line ISSN 2238-0019

Resumo

BAPTISTA, Maria Alice Tourinho et al. Qualidade de vida na demência de início precoce: uma revisão sistemática atualizada. Trends Psychiatry Psychother. [online]. 2016, vol.38, n.1, pp.6-13. ISSN 2238-0019.  https://doi.org/10.1590/2237-6089-2015-0049.

Introdução

A demência de início precoce se desenvolve antes dos 65 anos e possui consequências adversas específicas relacionadas à idade para a qualidade de vida (QV). Nós examinamos de forma sistemática fatores ligados à QV de pessoas com demência de início precoce e seus cuidadores.

Método

Foi utilizada a metodologia PRISMA, com busca nas bases de dados Cochrane, PubMed, SciELO, PsycINFO, Scopus e Thomson Reuters Web of Science electronic em 5 de julho de 2015. Foi utilizada a palavra-chave início precoce combinada com demência, Alzheimer, demência vascular, demência mista, demência frontotemporal, qualidade de vida, bem-estar e necessidades não atendidas. Nove estudos foram incluídos. Foram revisados os objetivos, desenho, amostra, instrumentos e resultados relacionados à QV.

Resultados

Pessoas com demência de início precoce pontuaram sua própria QV significantemente mais alta que seus cuidadores. A maior consciência da doença entre essas pessoas é associada com melhor QV dos cuidadores. Foi encontrada relação entre necessidades não atendidas e atividades diárias, falta de companhia e dificuldades com a memória. A demora na definição do diagnóstico, os serviços de saúde disponíveis e a falta de perspectivas futuras do cuidador foram fatores associados às necessidades não atendidas.

Conclusão

Deve-se considerar a possibilidade de conduzir investigações com amostras mais homogêneas e um conceito mais claro de QV. O presente estudo chama atenção para a necessidade de pesquisas em mais países, utilizando instrumentos específicos para pessoas com demência de início precoce. Seria interessante se estudos pudessem traçar paralelos com grupos de início tardio.

Palavras-chave : Demência de início precoce; qualidade de vida; bem-estar; necessidades não atendidas; pessoas com demência de início precoce; cuidadores.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )