SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 número2Investigação do funcionamento clínico da dimensão evitação a críticas do Inventário Dimensional Clínico da Personalidade 2Tradução, confiabilidade e validade da Death Concern Death para a língua persa índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Trends in Psychiatry and Psychotherapy

versão impressa ISSN 2237-6089versão On-line ISSN 2238-0019

Resumo

SILVA, Wanderson Roberto da et al. Propriedades psicométricas do Instrumento de Qualidade de Vida da Organização Mundial de Saúde - Versão Abreviada em adultos falantes de língua portuguesa de três países diferentes. Trends Psychiatry Psychother. [online]. 2018, vol.40, n.2, pp.104-113. ISSN 2237-6089.  http://dx.doi.org/10.1590/2237-6089-2017-0058.

Objetivo:

Avaliar a validade, a confiabilidade e a invariância do World Health Organization Quality of Life instrument-Abbreviated version (WHOQOL-Bref) em adultos de três diferentes países de língua portuguesa.

Métodos:

Um total de 4.020 indivíduos brasileiros, portugueses e moçambicanos participaram do estudo. A amostra total foi dividida em quatro amostras: pacientes brasileiros (n = 1.120), estudantes brasileiros (n = 1.398), estudantes portugueses (n = 1.165) e estudantes moçambicanos (n = 337). A validade fatorial do WHOQOL-Bref foi avaliada por meio de análise fatorial confirmatória. As validades convergente e discriminante do instrumento foram avaliadas utilizando a variância média extraída (VEM) e o quadrado do coeficiente de correlação de Pearson (r2), respectivamente. A confiabilidade composta e o coeficiente alfa ordinal foram utilizados como medidas de confiabilidade. As invariâncias métrica, escalar e estrita do WHOQOL-Bref foram avaliadas por análise multi-grupos em subamostras independentes (dentro de cada amostra) e somente entre Brasil e Portugal (transnacional), porque o modelo configuracional de Moçambique era diferente.

Resultados:

O modelo original do WHOQOL-Bref não apresentou bom ajustamento para as amostras. Diferentes itens foram excluídos para ajustar o instrumento em cada amostra (modelos diferentes para o WHOQOL-Bref entre amostras brasileiras, portuguesas e moçambicanas). A VEM e o r2 não foram adequados; entretanto, a confiabilidade do WHOQOL-Bref foi boa, exceto na amostra moçambicana. A invariância foi encontrada apenas em subamostras independentes.

Conclusão:

Os modelos ajustados do WHOQOL-Bref apresentaram adequada validade fatorial e invariância em subamostras independentes. A não invariância transnacional do WHOQOL-Bref revela a influência da cultura na operacionalização do construto qualidade de vida.

Palavras-chave : Qualidade de vida; validade; confiabilidade; estudantes; pacientes.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )