SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 issue4Does CBT have lasting effects in the treatment of PTSD after one year of follow-up? A systematic review of randomized controlled trialsGlobal hippocampal atrophy in major depressive disorder: a meta-analysis of magnetic resonance imaging studies author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Trends in Psychiatry and Psychotherapy

Print version ISSN 2237-6089On-line version ISSN 2238-0019

Abstract

BESERRA, Ana Heloisa Nascimento et al. O exercício físico pode modular os níveis de cortisol em indivíduos com depressão? Uma revisão sistemática e metanálise. Trends Psychiatry Psychother. [online]. 2018, vol.40, n.4, pp.360-368. ISSN 2237-6089.  http://dx.doi.org/10.1590/2237-6089-2017-0155.

Introdução:

A depressão maior (DM) é uma doença associada ao estresse crônico que pode apresentar um desequilíbrio nos níveis de cortisol, podendo ser recuperado com a remissão dos sintomas. O exercício tem sido utilizado como uma ferramenta para promover mudanças nos níveis de cortisol em indivíduos saudáveis. No entanto, não se sabe se o exercício produz os mesmos resultados em indivíduos com DM.

Objetivo:

Revisar evidências de alterações dos níveis de cortisol após o exercício em indivíduos com DM.

Métodos:

Foi realizada busca nas bases de dados PubMed, SciELO, LILACS, ISI Web of Knowledge, Scopus e PsycInfo. Procedeu-se a metanálise com o cálculo do tamanho do efeito da diferença de média padronizada. Foi utilizado o software Stata v.11.0.

Resultados:

Foram obtidos na busca 463 estudos. Após o procedimento de seleção, cinco artigos com sete análises foram incluídos. O tipo de exercício, frequência de treinamento, tipo de medida do cortisol e tipo de grupo controle foram analisados como subgrupos. Houve uma redução dos níveis de cortisol no grupo de exercício. Além disso, a análise de sensibilidade e análises de subgrupos revelaram um efeito do tipo (exercício aeróbico) e da frequência (cinco vezes por semana) de exercício na redução dos níveis de cortisol. No entanto, esses resultados devem ser interpretados com cautela, devido ao pequeno número de estudos e uma heterogeneidade substancial entre eles.

Conclusão:

O exercício promove redução dos níveis de cortisol em indivíduos com DM. No entanto, esse achado pode ser influenciado pelo tipo de exercício, medida do cortisol e frequência semanal.

Keywords : Atividade física; depressão; cortisol; eixo HPA; exercício.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )