SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.31 issue4Body mass index as a predictor of complications and conversion in patients undergoing laparoscopic colectomyQuestionnaire assessment based on signs, symptoms and history in the prevention of colorectal cancer author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Journal of Coloproctology (Rio de Janeiro)

Print version ISSN 2237-9363

Abstract

REGO, Rodrigo Soares Napoleão do et al. Evaluation of response to neoadjuvant treatment, by nuclear magnetic resonance, as a predictor of oncologic results and survival of patients with rectal cancer. J. Coloproctol. (Rio J.) [online]. 2011, vol.31, n.4, pp. 334-338. ISSN 2237-9363.  http://dx.doi.org/10.1590/S2237-93632011000400004.

INTRODUÇÃO: A radioquimioterapia neoadjuvante promove redução do tamanho e do estadiamento dos tumores do reto antes da cirurgia, reduzindo o risco de acometimento de margem de ressecção circunferencial e da recorrência local. Para pacientes que se submeteram a neoadjuvância, a realização de uma segunda ressonância magnética (RNM) após a radioquimioterapia, para avaliação do resultado do tratamento, pode trazer dados relevantes para a programação cirúrgica e previsão do prognóstico, porém sua utilização ainda é controversa. OBJETIVO: Avaliar a capacidade da RNM prever o grau de regressão tumoral e o downstaging obtidos e a correlação entre o grau de regressão tumoral com o prognóstico dos pacientes. Métodos: Foram incluídos 13 pacientes até o momento; desses 69,23% eram do sexo masculino e a idade média foi de 52,3 anos. RESULTADOS: O anatomopatológico (AP) mostrou conformidade em relação ao estadiamento T e N estimado pela RNM pós-neoadjuvância de 30,76%; nos demais pacientes, houve tendência ao superestadiamento em 55,55%. No estadiamento T houve concordância de 53,84% e quanto ao status linfonodal, concordância 61,53%. A margem de ressecção circunferencial foi livre de neoplasia em 100%. A sobrevida foi de 92%, com 75% de sobrevida livre de doença num seguimento médio de 1-2 anos. CONCLUSÃO: Uma segunda ressonância após neoadjuvância pode avaliar se houve regressão tumoral, porém com baixa conformidade em relação ao anatomopatológico, com tendência ao superestadiamento. Mais estudos são necessários para corroborar essas impressões iniciais.

Keywords : imagem por ressonância magnética; câncer de reto; terapia neoadjuvante.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English