SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 número2Uso de medicamentos para tratamento de doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Epidemiologia e Serviços de Saúde

versão impressa ISSN 1679-4974versão On-line ISSN 2237-9622

Resumo

CHIAVEGATTO FILHO, Alexandre Dias Porto. Uso de big data em saúde no Brasil: perspectivas para um futuro próximo. Epidemiol. Serv. Saúde [online]. 2015, vol.24, n.2, pp.325-332. ISSN 1679-4974.  http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742015000200015.

O uso de big data tem crescido em todas as áreas da ciência nos últimos anos. Existem três áreas auspiciosas para o uso de big data em saúde: medicina de precisão (precision medicine); prontuários eletrônicos do paciente; e internet das coisas (internet of things). Entre as linguagens de programação mais utilizadas em big data, duas têm se destacado nos últimos anos: R e Python. Em relação às novas técnicas estatísticas, espera-se que técnicas de machine learning (principalmente as árvores de classificação e regressão), metodologias para controlar por associações espúrias (como a correção de Bonferroni e a taxa de falsas descobertas) e metodologias para a redução da dimensão dos dados (como a análise de componentes principais e o propensity score matching) sejam cada vez mais utilizadas. A questão da privacidade será também cada vez mais importante na análise de dados. O uso de big data na área da saúde trará importantes ganhos em termos de dinheiro, tempo e vidas e precisa ser ativamente defendido por cientistas de dados e epidemiologistas.

Palavras-chave : Big Data; Metodologia; Estatística e Dados Numéricos; Brasil.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )