SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.2 número3A INVENÇÃO DO "SOCIAL" E A NORMATIVIDADE DAS CIÊNCIAS SOCIAIS: DILEMAS CLÁSSICOS E TENDÊNCIAS CONTEMPORÂNEASGILBERTO FREYRE: A CIDADE COMO PERSONAGEM índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Sociologia & Antropologia

versão impressa ISSN 2236-7527versão On-line ISSN 2238-3875

Resumo

FREITAS, Renan Springer de. O ERRO COMO MEIO DE PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO: MAX WEBER E A ENTWICKLUNGSGESCHICHTE. Sociol. Antropol. [online]. 2012, vol.2, n.3, pp.103-133. ISSN 2238-3875.  https://doi.org/10.1590/2238-38752012v235.

A ideia de que erros bizarros podem conduzir a grandes acertos não é estranha à história da ciência. Este artigo examina o esforço realizado por Wolfgang Schluchter no sentido de mostrar que um determinado erro de Max Weber conduziu a um grande acerto - em razão de ter sido produzido nos marcos de uma perspectiva metateórica que conduz erros a acertos, a perspectiva "histórico-desenvolvimental" (Entwicklungsgeschichte). O erro: aplicar o conceito de "povo-pária" aos judeus da Antiguidade. Argumento de Schluchter: os historiadores mostraram que o conceito de "povo-pária" não se aplica aos judeus da Antiguidade, mas, não obstante, vale a pena insistir nesse erro porque ele conduz a um grande acerto: mostrar a importância da ruptura efetuada pelas missões Paulinas (com o particularismo judaico) para o desenvolvimento do racionalismo ocidental. Argumento do artigo: isto que Schluchter considera o grande acerto é apenas uma reverberação do pensamento teológico protestante do século XIX.

Palavras-chave : Sociologia da religião; Max Weber; Racionalismo ocidental; Judaísmo; Protestantismo.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )