SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.7 número1PLASTICIDADES RECRIADAS: CONHECIMENTO SENSÍVEL, VALOR E INDETERMINAÇÃO NA ATIVIDADE DOS CATADORES DE RECICLÁVEIS"O PROBLEMA RACIAL SE RESOLVERÁ QUANDO SE DESTRUÍREM A NEGRURA DO NEGRO E A BRANCURA DO BRANCO". ENTREVISTA COM O ANTROPÓLOGO PABLO RODRÍGUEZ RUIZ índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Sociologia & Antropologia

versão impressa ISSN 2236-7527versão On-line ISSN 2238-3875

Resumo

PUZONE, Vladimir. FILOSOFIA DA HISTÓRIA OU REPRODUÇÃO DA VIDA DOS INDIVÍDUOS? A CRÍTICA DE MAX HORKHEIMER A GEORG LUKÁCS E A REFORMULAÇÃO DO MARXISMO. Sociol. Antropol. [online]. 2017, vol.7, n.1, pp.239-265. ISSN 2238-3875.  http://dx.doi.org/10.1590/2238-38752017v7110.

O exame feito por Max Horkheimer dos pressupostos que aproximaram a teoria lukácsiana da consciência de classe a alguns aspectos do idealismo alemão deu ensejo às formulações da teoria crítica a respeito do funcionamento da sociedade capitalista e da maneira como se deveria abordá- la. Ao contrário dos textos de Lukács, que terminam por se afastar de um exame das transformações históricas do início do século XX e da real situação das classes trabalhadoras, a teoria crítica coloca no centro das análises os fatores individuais e concretos que levavam as classes trabalhadoras a aceitar a dominação capitalista. Para isso, foi fundamental a releitura de A ideologia alemã, de Marx e Engels. Essa recuperação do texto marxiano permite entender a fecundidade das análises da teoria crítica, contrariando as teses que identificam a primeira fase da teoria crítica com uma filosofia da história.

Palavras-chave : Teoria crítica; marxismo; idealismo alemão; transfiguração; consciência de classe.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )