SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 issue1Performance in motor, communicative and cognitive skills of girls with congenital hypothyroidism treated from the neonatal period author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


CoDAS

On-line version ISSN 2317-1782

Abstract

NASCIMENTO, Gicélia Barreto et al. Indicadores de risco para a deficiência auditiva e aquisição da linguagem e sua relação com variáveis socioeconômicas, demográficas e obstétricas em bebês pré-termo e a termo. CoDAS [online]. 2020, vol.32, n.1, e20180278.  Epub Feb 10, 2020. ISSN 2317-1782.  http://dx.doi.org/10.1590/2317-1782/20192018278.

Objetivo

Comparar a frequência de indicadores de risco em bebês nascidos pré-termo e a termo; analisar as possíveis relações entre a presença de risco para perda auditiva com variáveis socioeconômicas, demográficas, obstétricas e risco à linguagem.

Método

Trata-se de um estudo de coorte longitudinal com amostra de 87 bebês. Foram coletados dados gestacionais, obstétricos e sociodemográficos das mães e dos bebês. A classificação socioeconômica das famílias foi analisada por meio do Critério de Classificação Econômica Brasil. O risco à linguagem foi avaliado por meio dos Sinais Enunciativos de Aquisição da Linguagem e Teste Denver II. Os dados foram analisados utilizando o programa STATISTICA 9.1, por meio dos Testes Quiquadrado e U de Mann-Whitney, Modelo de regressão linear simples e múltiplo.

Resultados

A permanência em UTI neonatal (65,52%), ototóxico (48,28%), ventilação mecânica (39,66%) e hiperbilirrubinemia (46,55%) foram os indicadores de risco mais frequentes na amostra. Considerando fatores socioeconômicos, demográficos e obstétricos, houve correlação entre pré-natal, idade gestacional, peso ao nascer e alimentação com o risco auditivo. A aquisição e desenvolvimento de linguagem mostrou significância estatística com a varicela, HIV, Apgar e peso >1500 gramas.

Conclusão

Os prematuros apresentaram maior frequência de indicadores de risco, comparados aos bebês a termo. Dos fatores ambientais, o pré-natal que interfere no desfecho da idade gestacional, peso ao nascer, apgar e presença de doenças infecciosas, além da alimentação, despontaram como significativos relacionados com o desenvolvimento da audição e a aquisição da linguagem. A prematuridade foi o fator biológico relevante relacionado ao risco auditivo e linguístico.

Keywords : Audição; Linguagem; Desenvolvimento Infantil; Fatores de Risco; Nascimento Prematuro.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )