SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.47 número2Sequências deposicionais de alta frequência no Quaternário da Bacia de Pelotas (planície costeira): registro de empilhamento degradacional em função de queda do nível de base em longo períodoAplicação de interferometria por espalhadores persistentes para monitoramento de deformações de superfície na mina de ferro a céu aberto N5E utilizando dados TerraSAR-X, na Província Carajás, região amazônica índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Brazilian Journal of Geology

versão impressa ISSN 2317-4889versão On-line ISSN 2317-4692

Resumo

SIMOES, Marcello Guimarães et al. Assembleia de bivalves permianos de Tiaraju, Grupo Passa Dois, sul do Brasil: significado bioestratigráfico e paleobiogeográfico. Braz. J. Geol. [online]. 2017, vol.47, n.2, pp.209-224. ISSN 2317-4889.  http://dx.doi.org/10.1590/2317-4889201720170013.

Bivalves permianos da Bacia do Paraná evoluíram em um imenso mar interior, sob condições de extremo isolamento e estresse ambiental. Embora conhecidos desde 1918, a história evolutiva desses bivalves é ainda obscurecida pelo conhecimento incompleto e enviesado sobre a composição faunística e a distribuição estratigráfica de várias assembleias. Portanto, a descrição da assembleia de Tiaraju, a única conhecida no Grupo Passa Dois do sul do Brasil, contribui com novas informações-chave sobre a composição, biocorrelação e idade dessa fauna de moluscos únicos. Terraia falconeri, Cowperesia emerita, Holdhausiella elongata e Terraia altissima foram registradas e descritas. T. falconeri é a espécie mais comum, seguida por C. emerita, H. elongata e T. altissima. A fauna é maiormente composta por Terrainae, faltando os Pinzonellinae. A assembleia é, desse modo, pobremente diversificada, no que tange à composição faunística e guildas (somente bivalves de infauna, facultativamente móveis, suspensívoros estão presentes). Cowperesia emerita e T. altissima sugerem, fortemente, biocorrelação com assembleias das formações Rio do Rasto e Gai-As, Brasil e Namíbia, indicando idade não mais jovem que o Permiano médio (Wordiano-Capitaniano). À luz dessas informações, o mapa geológico da região de Tiaraju, São Gabriel, e o contato local entre as formações Teresina e Rio do Rasto, requerem, ambos, reavaliação.

Palavras-chave : Grupo Passa Dois; Bacia do Paraná; Formação Gai-As; Guadalupiano.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )