SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.26 número1Enraizamento de estacas de azaleia, cultivares Otto e Terra Nova, tratadas com auxina e boroAvaliação de paisagens projetadas e suas práticas de gestão em capitais selecionadas da Nigéria índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ornamental Horticulture

versão On-line ISSN 2447-536X

Resumo

RODRIGUES, Daniele Brandstetter et al. Qualidade da luz e ácido indolbutírico no enraizamento in vitro de lavanda. Ornam. Hortic. [online]. 2020, vol.26, n.1, pp.89-94.  Epub 11-Maio-2020. ISSN 2447-536X.  http://dx.doi.org/10.1590/2447-536x.v26i1.2112.

A lavanda, planta aromática e medicinal, utilizada na extração de óleo essencial, como planta ornamental e melífera pode ser micropropagada com sucesso desde que a luz, o meio nutritivo e os reguladores de crescimento sejam adequados. O objetivo com o estudo foi avaliar o efeito de diferentes concentrações de ácido indolbutírico (AIB) associadas a espectros de luz distintos, no enraizamento in vitro de Lavandula angustifolia. O experimento consistiu na combinação de duas concentrações de ácido indolbutírico no meio de crescimento (0 e 0,1 mg L-1) e dois espectros de luz, utilizando filtros de acetato de celulose (azul e vermelho), além do controle (sem filtro), totalizando seis tratamentos com quatro repetições. Para cada repetição foram utilizados cinco explantes. Após 30 dias, as variáveis avaliadas foram: porcentagem de sobrevivência, número de brotos e folhas, comprimento da parte aérea, número de raízes, comprimento da raiz, peso da matéria fresca e seca da parte aérea. Houve interação significativa entre as concentrações de ácido indolbutírico e os filtros de luz para as variáveis número de brotos, folhas e raízes e comprimento da parte aérea. Exceto pelo número de folhas, foram obtidos resultados promissores quando os explantes foram mantidos sob filtros vermelhos e com uma concentração de 0 mg L-1 de ácido indolbutírico no meio de crescimento. A partir desses resultados, pode-se concluir que o melhor enraizamento in vitro de Lavandula angustifolia é obtido quando não há ácido indolbutírico no meio de crescimento associado ao uso do filtro vermelho.

Palavras-chave : Lavandula angustifolia; enraizamento in vitro; filtros modificadores de luz natural; ornamentais.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )