SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.2 número4Back pain in adolescents: prevalence and associated factorsKnowledge of the nursing team about the newborn’s pain índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


BrJP

versión impresa ISSN 2595-0118versión On-line ISSN 2595-3192

Resumen

DE-ARAUJO, Ben-Hur James Maciel et al. Manifestações clínicas em pacientes com dores musculoesqueléticas pós-chikungunya. BrJP [online]. 2019, vol.2, n.4, pp.326-330.  Epub 02-Dic-2019. ISSN 2595-3192.  http://dx.doi.org/10.5935/2595-0118.20190060.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS:

As manifestações clínicas crônicas da infecção pelo vírus chikungunya estão associadas a altos índices de incapacidade e piora da qualidade de vida, representando um dos grandes desafios para a saúde pública mundial. O objetivo deste estudo foi investigar a apresentação clínica-psico-funcional de indivíduos infectados pelo vírus chikungunya com queixas de dores musculoesqueléticas crônicas.

MÉTODOS:

Participaram do estudo 22 indivíduos com diagnóstico de infecção pelo vírus chikungunya e queixa de dor musculoesquelética persistente (≥3 meses). A avaliação clínica-psico-funcional foi realizada por meio da intensidade e aspecto afetivo-emocional da dor, qualidade de vida, cinesiofobia, percepção global de recuperação da dor pós-infecção e funcionalidade emocional. Ao final foi avaliado o limiar de dor por pressão e a modulação condicionada da dor.

RESULTADOS:

A apresentação clínica da dor revelou longa persistência, 17,5±7,4 meses; predominância nos membros inferiores (45,5%); intensidade média (5,5±2,1); alterações afetiva-emocionais leves a moderadas; moderada cinesiofobia (46±6,5) e baixa percepção global de melhora (1,5±2,5). O Inventário de Depressão de Beck e a escala analógica visual para ansiedade apresentaram pouca alteração. A qualidade de vida apresentou prejuízos leves a moderados, e a modulação da dor revelou pouco aumento do limiar de dor por pressão (6,3%).

CONCLUSÃO:

A fase crônica da infecção pelo vírus chikungunya tem como apresentação clínica dor persistente de moderada intensidade, em nível sensorial e afetivo, além de moderada cinesiofobia, piora na qualidade de vida, percepção de pouca recuperação pós-infecção e diminuição da ativação inibitória descendente da dor.

Palabras clave : Dor crônica; Evolução clínica; Sinais e sintomas; Vírus chikungunya.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés | Portugués     · Inglés ( pdf ) | Portugués ( pdf )