SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.45 número especialA competência técnica em informática de alunos de enfermagemUtilização de ferramentas computacionais por idosos de um centro de referência e cidadania do idoso índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

  • texto em Inglês
  • Inglês (pdf) | Português (pdf)
  • Artigo em XML
  • Como citar este artigo
  • SciELO Analytics
  • Curriculum ScienTI
  • Tradução automática

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista da Escola de Enfermagem da USP

versão impressa ISSN 0080-6234

Rev. esc. enferm. USP vol.45 no.spe São Paulo dez. 2011

https://doi.org/10.1590/S0080-62342011000700010 

ARTIGO ORIGINAL

 

Dimensionamento informatizado de profissionais de enfermagem: avaliação de um software*

 

Dimensionamiento computadorizado de profesionales de enfermería: evaluación de un software

 

 

Irene Mari PereiraI; Raquel Rapone GaidzinskiII; Fernanda Maria Togeiro FugulinIII; Heloísa Helena Ciqueto PeresIV; Antônio Fernandes Costa LimaV; Valéria CastilhoVI; Vera Lúcia MiraVII; Maria Cristina Komatsu Braga MassarolloVIII

IMestre em Ciências. Enfermeira Especialista em Laboratório do Departamento de Orientação Profissional da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil. irenemari@usp.br
IIProfessora Titular do Departamento de Orientação Profissional da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil. raqui@usp.br
IIIProfessora Associada do Departamento de Orientação Profissional da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil. ffugulim@usp.br
IVProfessora Associada do Departamento de Orientação Profissional da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, SP, Brasil. hhcperes@usp.br
VProfessor Doutor do Departamento de Orientação Profissional da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil. tonifer@usp.br
VIProfessora Associada do Departamento de Orientação Profissional da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil. valeriac@usp.br
VIIProfessora Doutora do Departamento de Orientação Profissional da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil. vlmirag@usp.br
VIIIProfessora Associada do Departamento de Orientação Profissional da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil. massaro@usp.br

Endereço para correspondência:

 

 


RESUMO

A complexidade para operacionalizar o método de dimensionamento de profissionais de enfermagem, diante das inúmeras variáveis relativas à identificação da carga de trabalho, do tempo efetivo de trabalho dos profissionais e do Índice de Segurança Técnica (IST), evidenciou a necessidade de desenvolver um software, denominado: Dimensionamento Informatizado de Profissionais de Enfermagem (DIPE). Este estudo exploratório descritivo teve como objetivo avaliar a qualidade técnica e o desempenho funcional do DIPE. Participaram como sujeitos da pesquisa dezoito avaliadores, sendo dez enfermeiros docentes ou enfermeiros gerentes de unidades de saúde hospitalar e oito especialistas em informática em saúde. A avaliação do software baseou-se na norma NBR ISO/IEC 9126-1, considerando as características funcionalidade, confiabilidade, usabilidade, eficiência e ma­nutenibilidade. A avaliação do software obteve resultados positivos, sobre os quais os avaliadores concordaram em todas as características avaliadas. As sugestões relatadas serão importantes para a proposição de melhorias e aprimoramento do DIPE.

Descritores: Administração de recursos humanos; Recursos humanos de enfermagem; Informática em enfermagem; Validação de programas de computador


RESUMEN

La complejidad para operacionalizar el método de dimensionamiento de profesionales de enfermería, ante las innumerables variables relativas a la identificación de la carga de trabajo, del tiempo efectivo de trabajo de profesionales y del Índice de Seguridad Técnica (IST), evidenció la necesidad de desarrollar un software, denominado Dimensionamiento Informatizado de Profesionales de Enfermería (DIPE). Este estudio exploratorio descriptivo objetivó evaluar la calidad técnica y el desempeño funcional del DIPE. Participaron como sujetos de investigación dieciocho evaluadores, diez de ellos enfermeros docentes o gerentes de unidades de salud hospitalaria, y ocho, especialistas en informática en salud. La evaluación del software se basó en la norma NBR ISO/IEC 9126-1, considerando las características, funcionalidad, confiabilidad, usabilidad, eficiencia y facilidad de mantenimiento. La evaluación del software resultó positiva y concordante entre los evaluadores para todas las características analizadas. Las sugerencias relatadas serán importantes para la propuesta de mejoras y optimización del DIPE.

Descriptores: Administración de personal; Personal de enfermería; Informática aplicada a la enfermería; Validación de programas de computación


 

 

INTRODUÇÃO

A atuação do enfermeiro nos serviços de saúde é norteada por desafios constantes. Quando nos referimos ao gerenciamento dos recursos humanos, esse profissional se depara com ausências de trabalhadores, demissões, afastamentos, demanda de usuários acima da capacidade de atendimento, entre outros. Na tentativa de contornar esses problemas, membros da equipe de enfermagem são deslocados para outro turno, outro setor ou outra atividade, o que gera descontentamento muitas vezes verbalizado pela equipe de enfermagem e angústia no gerente de enfermagem(1).

Por outro lado, a demanda de atendimento dos usuários, com necessidades cada vez mais complexas, tem imprimido sobrecarga de trabalho aos integrantes da equipe de enfermagem, influenciando e dificultando a implantação de qualquer medida que favoreça a qualidade da assistência prestada(2).

Neste contexto, o dimensionamento de profissionais de enfermagem é um processo sistemático que fundamenta o planejamento e a avaliação do quantitativo e qualitativo de profissionais de enfermagem, necessário para prover assistência de enfermagem, de acordo com a singularidade do serviço de saúde, que garanta condições de segurança aos usuários/clientes e aos trabalhadores(2).

Os estudos realizados sobre o dimensionamento de pessoal de enfermagem permitiram o refinamento do método o que proporcionou a análise e o cálculo de inúmeras variáveis que procuram descrever a realidade dos serviços de saúde na perspectiva da enfermagem(3-4).

A geração desse conhecimento tornou a operacionalização do método mais complexa no cotidiano das atividades gerenciais, o que evidenciou a necessidade de desenvolver um software que facilitasse projetar e avaliar o quadro de profissionais de enfermagem(3).

Dessa forma, foi desenvolvido o software Dimensionamento Informatizado de Profissionais de Enfermagem (DIPE) que disponibiliza a projeção do quadro de profissionais de enfermagem para unidades de internação de clínica médica, clínica cirúrgica, terapia intensiva adulto, pediátrica e neonatal e alojamento conjunto de instituições hospitalares.

Ressalta-se que há preocupação crescente com o desenvolvimento de sistemas de informação eficientes que permitam avanços na gestão dos serviços, aumento na produtividade e melhoria na qualidade dos cuidados prestados, já que nos serviços de saúde há o processamento de uma grande quantidade de informações em pequeno intervalo de tempo, sendo necessária rapidez na organização das informações e margem de erro tendendo a zero(5).

A informação organizada e disponibilizada para o profissional de saúde pode auxiliar o gerenciamento dos serviços de saúde, mas, para isso, há a necessidade de desenvolver sistemas adequados que permitam a gestão dessas informações(1).

A Enfermagem, no cotidiano do seu processo de trabalho, está constantemente gerando dados sejam eles decorrentes do processo assistencial, gerencial, de ensino ou de pesquisa(1).

Na medida em que há dados coletados, registrados, classificados, organizados, armazenados e disponíveis para consulta de forma informatizada, essas informações podem auxiliar na análise da situação de saúde, no desempenho do trabalho da enfermagem, seja ele assistencial, gerencial, educativo ou investigativo, na negociação e na tomada de decisão nas organizações de saúde(1).

Assim, para estruturar o software DIPE foram identificados, conceituados e detalhados os dados referentes às categorias: ambiente e recursos humanos que foram mapeados, organizados e interpretados à luz do conhecimento. Adotou-se o método proposto por Gaidzinski(4) que considera as variáveis: carga de trabalho; Índice de Segurança Técnica (IST) e tempo efetivo de trabalho dos profissionais.

O software DIPE foi construído em plataforma Web.NET da Microsoft® e hospedado no site da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (EEUSP): http://www.ee.usp.br/dipe, onde o usuário tem acesso após a realização de um cadastro.

De uma forma geral, os modelos de construção de software constam das fases de definição, construção, produção e manutenção do software. As áreas de estudo da qualidade de software são basicamente as de qualidade de processo, que trabalham com a definição e construção do software e a da qualidade de produto, que trabalham com o software produto(6-8).

A avaliação de um software é fundamental para assegurar sua qualidade, identificar as razões técnicas de deficiências e limitações do produto, observar o desempenho do usuário e verificar as partes do sistema que precisam ser modificadas, a fim de que sejam feitas melhorias antes de ser disponibilizados(9).

 

OBJETIVO

Avaliar a qualidade técnica e o desempenho funcional do software DIPE.

 

MÉTODO

Trata-se de um estudo quantitativo de avaliação do software DIPE.

Os sujeitos da pesquisa foram divididos em duas categorias de avaliadores: enfermeiros docentes/gerentes de unidades de saúde hospitalar (G1) e especialistas em informática em saúde (G2).

A amostra foi aleatória, intencional e não-probabilística constituída por 18 avaliadores, sendo dez enfermeiros integrantes do grupo (G1) e oito especialistas em informática em saúde (G2).

Segundo a norma NBR ISO/IEC 14598-6(10), convém que pelo menos oito participantes integrem cada categoria de avaliadores.

Assim, os critérios de inclusão para o G1 foram ser docente de instituição de ensino superior em Enfermagem ou atuar como enfermeiro gerente de unidade de saúde hospitalar (chefes de unidades, diretores de divisão e diretores de Enfermagem) e para o G2 ser especialista em informática em saúde.

Para a avaliação da qualidade técnica e do desempenho funcional do software DIPE, foram construídos instrumentos de coleta de dados fundamentados no modelo do processo de avaliação de qualidade, segundo a norma NBR ISO/IEC 9126-1(11), conforme aplicado por outro pesquisador(9), em três fases: definição de requisitos de qualidade, preparação da avaliação e procedimento de avaliação.

Os instrumentos de coleta de dados foram submetidos à avaliação dos alunos de pós-graduação que cursaram a disciplina Processo de Dimensionamento de Pessoal em Serviços de Enfermagem e de Saúde, do Programa de Pós-Graduação em Gerenciamento em Enfermagem da EEUSP, com a finalidade de testar a adequação das adaptações realizadas para o tema estudado.

Após a definição dos sujeitos, realizou-se contato por correio eletrônico e por telefone com os possíveis avaliadores. Em seguida, foi enviado por meio de correio eletrônico uma carta convite, o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE), instruções para proceder a avaliação e o instrumento de avaliação.

Os avaliadores acessaram o software DIPE pela internet e, após preencherem o instrumento de avaliação, devolveram-no via correio eletrônico ou em mãos aos pesquisadores.

Para a avaliação da qualidade do software, foram consideradas as características Funcionalidade, Confiabilidade, Usabilidade, Eficiência e Manutensibilidade, segundo modelo proposto em outros estudos(9,12).

Neste estudo, o software DIPE foi avaliado segundo as características: Funcionalidade, Confiabilidade, Usabilidade, Eficiência pelos dois grupos de avaliadores e a característica Manutensibilidade apenas pelo grupo de especialistas em informática em saúde, uma vez que seus os requisitos necessitam de conhecimento aprofundado em informática.

As particularidades do software DIPE foram medidas quantitativamente e mapeadas em uma escala dividida em faixas correspondentes aos graus de satisfação do usuário cujos critérios de avaliação corresponderam aos seguintes níveis de pontuação: 1- Insatisfatório; 2- Razoável; 3- Satisfatório; 4- Excelente. Foi solicitado aos participantes que justificassem os itens avaliados em 1- Insatisfatório e 2- Razoável para possibilitar a realização de melhorias no software.

Os percentuais das respostas da avaliação das características deveriam ter valor maior de 70% para respostas positivas e mesmo percentual de concordância entre os avaliadores do G1 e G2.

O período de coleta de dados ocorreu de 15/11/2010 a 07/02/2011. A partir dos dados obtidos, foram construídas planilhas utilizando o programa Excel®, escolhidas as métricas a serem aplicadas ao software e os resultados apresentados em frequências relativas, o que possibilitou a decisão quanto à aceitação ou rejeição das características avaliadas. A análise foi realizada mediante o referencial teórico metodológico relativo ao tema desta investigação.

O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da EEUSP conforme o protocolo nº 900/2010/CEP-EEUSP e todos os integrantes dos grupos de avaliadores aceitaram participar do estudo, voluntariamente, assinando o TCLE conforme preconizado por meio da Resolução nº 196/96 do Conselho Nacional de Saúde.

 

RESULTADOS

Observou-se nos dois grupos predomínio do sexo feminino, média de idade de 45 anos e tempo de formado em torno de 23 anos.

No G1, dez (100%) avaliadores têm formação em Enfermagem e complementação em Licenciatura e Obstetrícia, quatro (40%) são doutores, quatro (40%) possuem cursos de especialização e dois (20%) são mestres em Enfermagem. A atividade principal desenvolvida por três (30%) avaliadores é a de docência e sete (70%) exercem atividade ligadas ao gerenciamento de unidades hospitalares.

No G2, seis (75%) avaliadores têm formação em Enfermagem, um (12,5%) tem formação em bacharel em marketing e um (12,5%) tem formação em comunicação social. Os oito (100%) avaliadores deste grupo possuíam alguma titulação relacionada à área de informática, dois (25%) possuíam doutorado na área de informática em saúde, um (12,5%) marketing da informação, um (12,5%) Master Business Administration (MBA) em tecnologia da qualidade da informação e quatro (50%) mestrado na área de informática em saúde.

A avaliação do software DIPE foi realizada considerando as características: Funcionalidade; Confiabilidade; Usabilidade; Eficiência e Manutensibilidade.

Na Tabela 1, observa-se que a Funcionalidade do software para prover as funções do dimensionamento de pessoal de enfermagem em instituições hospitalares atingiu um percentual de 94% de respostas positivas, pois das 116 respostas obtidas, 101 (87%) foram avaliadas em excelente e satisfatório, oito (6,8%) razoável e sete (6%) não foram respondidas. Sendo assim, a característica foi avaliada positivamente e com concordância entre os dois grupos de avaliadores.

Na Tabela 2 verifica-se que a Confiabilidade atingiu um percentual de 81,9% de respostas positivas. Dessa forma, a característica foi avaliada com concordância entre os grupos 1 e 2, pois apresentou mais de 70% de respostas positivas.

Na Tabela 3, evidencia-se que a Usabilidade do software atingiu um percentual de 97% de respostas positivas. A característica foi avaliada com concordância entre os dois grupos de avaliadores por superar o percentual de 70% para respostas positivas.

Na Tabela 4 observa-se que a Eficiência foi avaliada com concordância positiva entre os dois grupos de avaliadores (G1) e (G2).

Na Tabela 5 constata-se que a Manutensibilidade do software atingiu um percentual de 71,9% de respostas positivas, o que mostra que esta característica foi avaliada positivamente pelos especialistas em informática em saúde (G2) por superar o percentual de 70% para respostas positivas.

Por fim, os avaliadores expressaram suas opiniões, teceram comentários e realizaram sugestões em relação ao software, evidenciando a necessidade da criação de oficinas para apresentação do DIPE, investimentos em programas de capacitação teórico-práticos para o uso do software, bem como disponibilizar literatura de apoio sobre dimensionamento de pessoal de enfermagem aos usuários.

 

DISCUSSÃO

Neste estudo, utilizaram-se os requisitos de avaliação da qualidade propostos pela norma NBR ISO/IEC 9126-1(11), segundo o modelo desenvolvido e aplicado por outros pesquisadores(9,12), o que favoreceu a fundamentação do caminho metodológico.

A produção do conhecimento acerca da utilização norma NBR ISO/IEC 9126-1(11) para avaliar produtos na área de enfermagem é emergente, havendo poucos estudos sobre o tema, o que inviabilizou a análise comparativa dos resultados obtidos.

A característica Funcionalidade é definida como a capacidade do software de prover funções que atendam às necessidades explícitas e implícitas, quando estiver sendo utilizado sob condições especificadas(11). Quando aplicada ao software DIPE, foi constatado que desempenha adequadamente a função a que foi planejado, ou seja, realizar o dimensionamento de pessoal de enfermagem em instituições hospitalares atingindo um percentual de 94% de respostas positivas dos avaliadores.

A característica Confiabilidade é a capacidade de o software manter um nível de desempenho especificado, quando usado em condições especificadas(11). Essa característica, quando avaliada, atingiu um percentual de 81,9% de respostas positivas, obtendo concordância entre os grupos, pois apresentou mais de 70% de respostas positivas, o que aponta que o software mantém o nível de desempenho durante a utilização.

A característica Usabilidade é definida como a capacidade do software de ser compreendido, aprendido, operado e atraente ao usuário, quando usado sob condições especificadas(11). A avaliação dessa característica atingiu um percentual de 97% de respostas positivas.

A característica Eficiência refere-se ao tempo de execução e os recursos envolvidos, se estes são compatíveis com o nível de desempenho do software(11). Essa característica foi avaliada pelos especialistas dos dois grupos e todos consideraram os recursos disponibilizados pelo software como excelente e satisfatórios.

A característica Manutensibilidade trata da facilidade de o software ser modificado, incluindo tanto as melhorias ou extensões de funcionalidade quanto as correções de defeitos, falhas ou erros(11). A avaliação dessa característica do software atingiu um percentual de 71,9% de respostas positivas, o que mostra que ela foi avaliada positivamente pelos especialistas em informática em saúde (G2) por superar o percentual de 70% para respostas positivas.

Os avaliadores destacaram o software DIPE como uma ferramenta que auxilia o gestor na tomada de decisão sobre o quadro de pessoal nas instituições hospitalares. Além disso, o consideraram de fácil acesso e entendimento.

Por outro lado, apontaram a necessidade do fornecimento de informações detalhadas sobre níveis de cuidado, IST, tipo de unidade e afastamentos que poderiam ser disponibilizadas ao usuário por meio de um menu de ajuda. Ressalta-se que as sugestões e comentários fornecidos serão utilizados para a implementação de melhorias e aprimoramento do software DIPE.

 

CONCLUSÃO

A realização deste estudo possibilitou a avaliação da qualidade técnica e do desempenho funcional do software DIPE por dez enfermeiros docentes/enfermeiros gerentes de unidades de saúde hospitalar que integraram o G1 e oito especialistas em informática em saúde que compuseram o G2.

O software DIPE foi avaliado, segundo as características: Funcionalidade, Confiabilidade, Usabilidade, Eficiência pelos dois grupos de avaliadores e a característica Manutensibilidade apenas pelo grupo de especialistas em informática em saúde, uma vez que seus requisitos necessitam de conhecimento aprofundado em informática. A avaliação de todas as características obteve respostas positivas e concordância entre os dois grupos de avaliadores.

Conclui-se que o software DIPE pode ser utilizado pelos profissionais que tenham a necessidade de dimensionar pessoal de enfermagem para unidades de internação hospitalar, pois permite a utilização da informática para auxiliar o planejamento e a tomada de decisão quanto ao quadro de pessoal de enfermagem.

Nesta perspectiva, o software encontra-se hospedado no servidor da Escola de Enfermagem da USP, com livre acesso após o cadastro, favorecendo a mobilidade para consulta e para o dimensionamento do quadro de pessoal de enfermagem em unidades de saúde hospitalar sem a necessidade de que o software seja implantado em cada instituição.

 

REFERÊNCIAS

1. Pereira IM. Dimensionamento informatizado de profissionais de enfermagem (DIPE): avaliação de um software [dissertação]. São Paulo: Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo; 2011.         [ Links ]

2. Fugulin FMT, Gaidzinski RR, Castilho V. Dimensionamento de pessoal de enfermagem em instituições de saúde. In: Kurcgant P, coordenadora. Gerenciamento em enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2010. p. 121-35.         [ Links ]

3. Gaidzinski RR, Fugulin FMT, Peres HHC, Castilho V, Massarollo MCKB, Mira VL, et al. Dimensionamento informatizado de profissionais de enfermagem: inovação tecnológica. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2009 [citado 2010 fev. 10];43(n.esp 2):1314-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v43nspe2/a29v43s2.pdf        [ Links ]

4. Gaidzinski RR. Dimensionamento de pessoal de enfermagem em instituições hospitalares [tese livre-docência]. São Paulo: Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo; 1998.         [ Links ]

5. Évora YDM. A enfermagem na era da informática [editorial]. Rev Eletr Enferm. [Internet]. 2007 [citado 2011 jan. 18];9(1):14. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v9/n1/v9n1a01_pt.htm        [ Links ]

6. Mazzola VB. Engenharia de software [Internet]. Florianópolis: Departamento de Informática e de Estatística, Universidade Federal de Santa Catarina; 1999 [citado 2010 fev. 18]. Disponível em: http://www.inf.ufsc.br/~mazzola        [ Links ]

7. Pressman RS. Engenharia de software. São Paulo: McGraw Hill Brasil; 2006.         [ Links ]

8. Gomes NS. Qualidade de software: uma necessidade [Internet]. [citado 2009 nov. 20]. Disponível em: http://www.fazenda.gov.br/ucp/pnafe/cst/arquivos/Qualidade_de_Soft.pdf        [ Links ]

9. Sperandio DJ. Tecnologia computacional móvel na sistematização da assistência de enfermagem: avaliação de um software protótipo [tese doutorado]. Ribeirão Preto: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo; 2008.         [ Links ]

10. Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). NBR ISO/IEC 14598-6. Engenharia de software: avaliação de produto parte 6: documentação de módulos de avaliação. Rio de Janeiro; 2004.         [ Links ]

11. Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). NBR ISO/IEC 9126-1. Engenharia de software: qualidade de produto. Rio de Janeiro; 2003.         [ Links ]

12. Rangel AL. Avaliação de software para a elaboração automática da escala de trabalho da enfermagem [tese doutorado]. Ribeirão Preto: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo; 2010.         [ Links ]

 

 

Endereço para correspondência:
Irene Mari Pereira
Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 419 - Cerqueira César
CEP 05403-000 - São Paulo, SP, Brasil

Recebido: 28/10/2011
Aprovado: 09/11/2011

 

 

* Extraído da dissertação "Dimensionamento Informatizado de Profissionais de Enfermagem (DIPE): avaliação de um software", Escola de Enfermagem da Universidade São Paulo, 2011.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons