SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.48 issue4Berinjela: que antecedente familial terrível!Variação sazonal da densitometria óssea no RS author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

  • Have no similar articlesSimilars in SciELO

Share


Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia

Print version ISSN 0004-2730

Arq Bras Endocrinol Metab vol.48 no.4 São Paulo Aug. 2004

http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27302004000400021 

CARTAS AO EDITOR

 

Estadiamento do carcinoma diferenciado de tireóide pela classificação AJCC/TNM

 

 

Pedro Weslley S. Rosário; Álvaro Luís Barroso; Eduardo Lanza Padrão; Leonardo Lamego Rezende; Saulo Purisch

Serviços de Medicina Nuclear e Endocrinologia da Santa Casa de Belo Horizonte, MG

Endereço para correspondência

 

 

DIFERENTES SISTEMAS PROGNÓSTICOS são propostos para o carcinoma diferenciado de tireóide (CDT) baseado nos fatores prognósticos: MACIS (distant metastasis, age, completeness of primary tumor ressection, local invasion, tumor size), AMES (age, distant metastasis, tumor extent, tumor size), AGES (age, grade, tumor extent, tumor size), TNM (tumor, node metastasis, distant metastasis), classificação do EORCT (European Organization for Research on Treatment of Cancer) e a proposta por DeGroot (linfonodo, invasão extra-tireoideana, metástases distantes), entre outros. Todos estes sistemas estão validados na predição de mortalidade relacionada à doença em longo prazo. Assim, aceita-se a utilização de qualquer um destes, não havendo uma clara superioridade de algum e ocorrendo, inclusive, diferenças populacionais (1). A desvantagem do uso de sistemas prognósticos diferentes é que dificulta a aplicação das conclusões de estudos em populações classificadas de forma diferente, e o agrupamento de dados em artigos de revisão, consensos ou meta-análises. Mesmo apresentando limitações (1,2), o sistema de classificação da AJCC (American Joint Committee on Cancer) / TNM é conhecido universalmente para todos os tumores e considera muitos dos fatores prognósticos no CDT. Por estas razões, defendemos que esta classificação seja a padronizada nas publicações sobre CDT (1,3,4).

A AJCC modificou esta classificação em janeiro de 2003 (5). Para avaliação do novo TNM (tabelas 1 e 2), estudamos retrospectivamente 168 pacientes quanto ao prognóstico, 5 anos após a terapia inicial (tireoidectomia total seguida de radioiodoterapia) (tabela 3). Apesar da pequena série e curto período de seguimento, verificamos o valor desta classificação prognóstica.

 

 

 

 

 

 

Propomos aos pesquisadores do nosso país a adoção do sistema da AJCC/TNM nas publicações, o que facilita a aplicação dos resultados nos outros serviços e permite o agrupamento de dados de diferentes centros, possibilitando uma maior casuística.

 

REFERÊNCIAS

1. Passler C, Prager G, Scheuba C, Kaserer K, Zettinig G, Niederle B. Application of staging systems for differentiated thyroid carcinoma in an endemic goiter region with iodine substitution. Ann Surg 2003;237:227-34.

2. Mazzaferri EL. NCCN thyroid carcinoma practice guidelines. Oncology 1999;13(suppl. 11A):391-442. http://www.nccn.org

3. AACE-AAES medical-surgical guidelines for clinical practice: management of thyroid carcinoma. Endocr Pract 2001;7:202-20.

4. Brierley JD, Panzarella T, Tsang RW, Gospodarowick MK, O'Sullivan B. A comparison of different staging systems predictability of patient outcome: thyroid carcinoma as an example. Cancer 1997;79:2414-23.

5. AJCC Cancer Stating Manual, 6th edition. American Joint Committee on Cancer. http://www.cancerstating.org

 

 

Endereço para correspondência
Pedro Weslley Souza do Rosário
Centro de Estudos e Pesquisa
Clínica de Endocrinologia e Metabologia (CEPCEM)
Av. Francisco Sales 1111, 5° andar, Ala D
30150-221 Belo Horizonte, MG
Fax: (31) 3213-0836
E-mail: pedrorosario@globo.com