SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.65 número4Level of knowledge of patients with glaucoma about their diagnosis compared with that of hypertensive and diabetic patientsDiffuse subretinal fibrosis syndrome: description of three cases índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Arquivos Brasileiros de Oftalmologia

versión impresa ISSN 0004-2749

Arq. Bras. Oftalmol. v.65 n.4 São Paulo jul./ago. 2002

http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27492002000400015 

RELATOS DE CASOS

Canaliculite - Relato de casos e conduta

 

Canaliculitis - Case report and management

 

Mirelle Langier Benchimol1
Abelardo de Souza Couto Junior2
Claudio Figueiredo Araújo Pereira3
Alcir Carvalho de Melo4
Rafael Siqueira Barbosa5

 

 


RESUMO

Objetivo: Descrever 5 casos clínicos com o diagnóstico de canaliculite, enfatizando a importância do diagnóstico como uma das causas de conjuntivite e/ou blefarite crônicas, como também demonstrar a eficácia do tratamento cirúrgico nos pacientes estudados. Métodos: Descrição de 5 casos clínicos e do tratamento cirúrgico aplicado. Resultados: O gram foi sugestivo de Actinomyces israelli e as culturas foram negativas. O tratamento cirúrgico proposto mostrou-se eficaz. Conclusão: A canaliculotomia com preservação do ponto lacrimal nos pacientes portadores de canaliculite mostrou-se eficaz.

Descritores: Infecções oculares bacterianas/cirurgia; Actinomicose/cirurgia; Relato de caso; Masculino; Feminino; Adulto


 

 

INTRODUÇÃO

A canaliculite é uma infecção rara do canalículo lacrimal, que na maioria das vezes não é adequadamente tratada devido à confusão em seu diagnóstico(1-3). Deve ser considerada como diagnóstico diferencial importante em casos de conjuntivite intermitente, principalmente quando a apresentação for unilateral, crônica e não responsiva ao tratamento convencional(4-6).

O agente etiológico principal é o Actinomyces israelli(1-2,7-8,10-11), bactéria Gram-positiva, anaeróbio de difícil isolamento e identificação que atinge a cavidade do canalículo formando concreções(1) e que no passado era classificada como fungo. Alguns autores consideram a canaliculite uma infecção mista(2).

As manifestações clínicas mais freqüentes são tumoração, hiperemia em tarso conjuntival e palpebral na área do canalículo afetado, presença de secreção mucopurulenta e em alguns casos dacriolitos visíveis no ponto lacrimal(5-6,9) (Figura 1). Apesar dos achados clínicos serem característicos, uma avaliação laboratorial completa deve ser feita para obter o diagnóstico de certeza(2).

 

 

O tratamento proposto em nosso trabalho é a canaliculotomia com preservação do ponto lacrimal(5,9,12). Outras alternativas são o tratamento clínico com irrigação da via lacrimal com antibioticoterapia ou até mesmo o uso de antibióticos via oral.

 

MÉTODOS

Foram examinados 5 pacientes, 3 homens e duas mulheres, que apresentavam hiperemia ocular unilateral, secreção, prurido e apenas um deles com acometimento bilateral. Tais pacientes já tinham sido submetidos ao tratamento para conjuntivite com antibioticoterapia e até submetidos ao procedimento cirúrgico para drenagem de hordéolo. Ao exame, além do quadro descrito, também apresentavam pequeno nódulo inflamatório em canto interno palpebral, linfonodo pré-auricular palpável e drenagem espontânea de secreção mucopurulenta à dilatação do ponto lacrimal próximo ao nódulo (Figura 2). Todos os pacientes apresentavam o quadro descrito há pelo menos 6 meses.

 

 

Os pacientes foram submetidos à canaliculotomia preservando-se o ponto lacrimal onde se observou a drenagem de grande quantidade de dacriolitos (Figura 3). Os pacientes foram orientados a suspenderem qualquer medicação tópica prescrita anteriormente por pelo menos 15 dias antes do procedimento cirúrgico e da coleta. O material colhido foi semeado nos meios de ágar sangue, ágar chocolate, Sabouraud, tioglicolato e coloração para Gram. Foi feita irrigação local com solução de penicilina G cristalina 1: 160.000U/ml2 imediatamente após o procedimento cirúrgico. Foi prescrito cloranfenicol colírio durante 15 dias, 5 vezes ao dia.

 

 

RESULTADOS

Os pacientes apresentaram à bacterioscopia numerosos bastonetes gram positivos, por vezes ramificados, em forma de colar de pérolas e formando grumos o que é sugestivo de Actinomyces sp. Os resultados dos exames laboratoriais estão descritos no quadro 1. Nos pacientes cujas bacterioscopias foram sugestivas de Actynomyces sp e as culturas negativas, o diagnóstico baseou-se na bacterioscopia. Nos pacientes em cujas bacterioscopias e culturas foram negativas o diagnóstico foi baseado nos achados clínicos e cirúrgicos.

 

 

Não foi observado crescimento de fungos apesar da realização de várias culturas e incubação por pelo menos 20 dias.

Após o tratamento cirúrgico proposto houve a resolução do quadro inicial.

 

DISCUSSÃO

A canaliculite é uma afecção rara cujo diagnóstico é baseado em achados clínicos e laboratoriais. Seu quadro clínico consiste em tumoração na área do canalículo afetado com saída de secreção mucopurulenta, espontânea ou não. O diagnóstico diferencial é feito com casos de conjuntivites crônicas recorrente, blefarite e hordéolo. Muitas vezes não é feito o tratamento adequado devido às dificuldades no diagnóstico etiológico(1).

O agente etiológico mais encontrado é o Actinomyces israelli. Apesar da cultura ter sido negativa em 4 pacientes, o diagnóstico foi baseado na bacterioscopia e/ou no aspecto clínico. Sabe-se que a cultura negativa não invalida o diagnóstico microbiológico quando a bacterioscopia é conclusiva, pois o Actynomyces israelli é de difícil isolamento e identificação(5,7,11). A ausência de crescimento microbiano pode ter ocorrido devido à não suspensão da antibioticoterapia tópica 15 dias antes do procedimento e da colheita do material.

Várias técnicas foram propostas para o tratamento da canaliculite e a conduta cirúrgica mostrou-se mais eficaz do que o tratamento conservador(5,9,12). O tratamento realizado na presente casuística baseou-se naquele proposto por Pavilack, Frueh (1992) e consiste na canaliculotomia com posterior irrigação com solução de penicilina G cristalina (1: 160.000U/ml)(2,5,12). Epífora e a recidiva do quadro clínico são as principais complicações da canaliculotomia.

Este trabalho teve como finalidade mostrar a eficácia do tratamento cirúrgico da canaliculite nos pacientes estudados e lembrar da canaliculite como diagnóstico diferencial importante de casos de conjuntivite crônicas.

 

 


ABSTRACT

Purpose: To describe 5 cases with the diagnosis of canalicu-litis, emphatising the diagnosis of canaliculitis as an important cause of chronic conjunctivitis and blepharitis and also to demonstrate the efficacy of the surgical treatment in these patients. Methods: Surgical management of 5 cases with diagnosis of canaliculitis. Results: The gram results were suggestive of Actinomyces israelli and the culture results were negative. The surgical treatment was shown efficacious. Conclusions: The surgical treatment proposed was shown efficacious.

Keywords: Eye infections, bacterial/surgery; Actinomycosis/surgery; Case report; Male; Female; Adult


 

 

REFERÊNCIAS

1. Hass C, Pittasch K, Handrick W, Tauchnitz R. Actinomycetes canaliculitis ¾ case reports. Immun Infekt 1995;23:222-3.         [ Links ]

2. Struck HG, Hohne C, Tost M. Diagnosis and therapy of chronic canaliculitis. Ophthalmologe 1992;89:233-6.         [ Links ]

3. Richards WW. Actynomycotic lacrimal canaliculitis. Am J Ophthalmol 1973; 75:155-7.         [ Links ]

4. Alves MR, Kara Jose N. Conjuntivite crônica in: Alves MR. Conjuntiva cirúrgica - atualidades oftalmologia. São Paulo: Rocca; 1999. p.1-5.         [ Links ]

5. Mc Kellar MJ, Aburn NS. Cast-Froming Actinomyces israelli canaliculitis. Aust N Z J Ophthalmol 1997;25:301-3.         [ Links ]

6. Demant E, Hurwitz JJ. Canaliculitis: review of 12 cases. Can J Ophthalmol 1980; 15:73-5.         [ Links ]

7. Hirst LW, Merz WB, Kaufmann CS. Actinomyces/Arachnia lacrimal canaliculitis. Cornea 1982;1:259.         [ Links ]

8. Smith RL, Henderson PN. Actinomycotic canaliculitis. Aust J Ophthalmol 1980; 8:75-9.         [ Links ]

9. Vécsei VP, Huber-Spitzy V, Abrocker-Metinger C, Steinkoger FJ. Canaliculitis: difficulties in diagnosis, differential diagnosis and comparison between conservative and surgical treatment. Ophthalmologica 1994;208:314-7.         [ Links ]

10. Jones DB, Robinson NM. Anaerobic ocular infections. Trans Am Acad Ophthalmol Otolaringol 1977;83:309-31.         [ Links ]

11. Schaal KP, Schofield GM, Pulverer G. Taxonomy and clinical significance of Actinomycetaceae and Propionibacteriaceae. Infection 1980; 8 Suppl 2:s122-30.         [ Links ]

12. Pavilack MA, Frueh BR. Through curettage in the treatment of chronic canaliculitis. Arch Ophthalmol 1992;110:200-2.         [ Links ]

 

 

1 Médica Oftalmologista da Clínica de Olhos Benchimol ¾ RJ, Ex fellow do Departamento de Oftalmologia da McGill University- Montreal- Canadá.
2 Chefe do Setor de Oculoplástica, Vias Lacrimais e Órbita do Instituto Benjamin Constant / IBC - RJ e Hospital da Piedade -RJ, Mestre e Doutor em Medicina. TCBC Chefe do Departamento de Bacteriologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
4 Médico Estagiário do Setor de Oculoplástica, Vias Lacrimais e Órbita do IBC - RJ
5 Médico Oftalmologista do Hospital de Olhos de Niterói - RJ.

Endereço para correspondência: Av. Nossa Senhora de Copacabana, 680/511 - Rio de Janeiro (RJ) CEP 22050-000.
E-mail: mirellebenchimol@hotmail.com
Recebido para publicação em 05.01.2000
Aceito para publicação em 22.04.2002

Nota Editorial: Pela análise deste trabalho e por sua anuência sobre a divulgação desta nota, agradecemos à Dra. Simone H. D. Von Faber Visón.