SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.66 issue3BMethods to increase muscle tonus of upper airway to treat snoring: systematic reviewLeitura e interpretação do EEG: clínicos, pediatras e médicos de família author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Arquivos de Neuro-Psiquiatria

Print version ISSN 0004-282X

Arq. Neuro-Psiquiatr. vol.66 no.3b São Paulo  2008

http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2008000500038 

IN MEMORIAM

 

Sylvia Regina Mielli 1960-2008

 

 

 

Terminada a revisão final do número Setembro A, ainda encontrou forças para analisar um compêndio para a seção de Análises de Livros de Setembro B. Depois disso, nem mais suas atividades neurológicas foram possíveis. A doença que a consumia venceu. Terminaram seus dias em 23 de agosto. Assim foi-se a Dra. Sylvia Regina Mielli.

Deixa-nos uma lição de vida e de luta dificilmente superáveis.

Graduada na Faculdade de Medicina de Mogi das Cruzes, fez sua Residência na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Completou o Programa de Pós-Graduação em Neurologia na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, conquistando o grau de Doutor em Medicina, em 1995. Sua tese foi uma obra completa, versando sobre tema a que se dedicara ao estudo clínico e laboratorial, as complicações neurológicas dos linfomas não Hodgkin. Os dados dessa tese encontram-se publicados em Arquivos de Neuro-Psiquiatria em 1998, dando início a uma série de outros estudos publicados.

Sua maior preocupação, no entanto, sempre foi o doente. Essa tarefa sempre foi seu alvo e alimento. Dedicou-se a ela por inteiro, cuidando em cada paciente, da doença e do reflexo desta sobre sua vida. Nunca a vimos sem essa preocupação. Entregava-se de fato a assistir o paciente como um todo, no plano físico e no espiritual. Era como se cada um deles passasse a fazer parte de sua própria família, da qual sempre cuidou com carinho.

Tudo isso fez dela uma profissional competente e meiga. Seus dotes intelectuais levavam-na a sempre procurar o novo. A vida para ela era uma luta, com etapas a serem vencidas com sabedoria, serenidade, coragem e otimismo.

Guiada por um de nós, José Antonio Livramento, aos poucos se envolveu com esta revista. A amizade foi o elo que a ligou à equipe de Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Desinteressadamente estava sempre pronta a ajudar e a cooperar.

Com prazer aceitou integrar o Corpo Editorial do periódico e a ele se entregou de corpo e alma até o fim.

Todos os membros da equipe da revista, Spina, Marilia, Livramento, Machado, Adriana, Luciano, lamentamos sua perda prematura, a perda de sua candura e amizade de modo especial. Sentindo tanto sua ausência, nos resta o exemplo de trabalho que deixa, trabalho carinhoso e competente, feito com alegria e com a disposição do viver.