SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.7 issue9-10A severidade de corte no sisal e analise tecnológica da fibra author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Bragantia

Print version ISSN 0006-8705

Bragantia vol.7 no.9-10 Campinas  1947

http://dx.doi.org/10.1590/S0006-87051947000800002 

Observações citológicas em Coffea. XI - Métodos de tratamento pela colchicina

 

 

Antônio J. T. Mendes

 

 


SUMÁRIO

O tratamento de sementes de Coffea canephora (2n=22), C. Dewevrei (2n=22) e C. arabica (2n=44), por soluções de colchicina de 0,15% a 0,60% produziu plantas com número duplo de cromossômios (2n=44 em C. canephora e C. Dewevrei e 2n=88 em C. arabica).
O tratamento de gemas foliares por pasta de lanolina contendo 0,10 a 0,60% de colchicina não produziu resultado nessas mesmas 3 espécies.
Elaborou-se um novo método de tratamento de ramos que pode ser aplicado para os casos em que a planta que se deseja "duplicar" seja estéril. É o caso dos híbridos entre C. canephora e C. arabica (2n=33) e da forma di-haplóide (monosperma) de C. arabica (2n=22), os quais nâo produzem sementes, ou, melhor, cujas raras sementes têm em geral um embrião com número variado de cromossômios.
O método consiste em fazer com que ramos levados ao laboratório absorvam uma solução de colchicina pela sua parte cortada e em seguida sejam enxertados de forma usual. Através dêste método conseguiu-se obter uma planta com 2n = 66 cromossômios a partir do híbrido triplóide ; conseguiu-se ainda obter uma planta com 2n = 44 cromossômios a partir do monosperma (2n = 22). No primeiro caso eliminou-se a esterilidade quase completamente ; no segundo caso obteve-se uma transformação completa de esterilidade em fertilidade.
Êste método aplica-se a outras plantas nas quais não é possível o tratamento de sementes e que fàcilmente se pode multiplicar pela enxertia.


SUMMARY

Colchicine treated seeds of Coffea canephora (2n = 22), C. Dewevrei (2n = 22) and C. arabica (2n=44) produced plants with doubled chromosome numbers (2n = 44 in the first two and 2n = 88 in the last mentioned species)! The strength of the solutions varied from 0,15 to 0,60% ; the treatment was given when the seeds were already germinating. The immersion of seeds in the solution even for many days did not affect the embryo.
Colchicine in lanolin (0,10 to 0,60%) did not produce doubling of chromosomes when applied to buds of the same three species.
A new method has been devised for the treatment of sterile plants. This is the case of the triploid (2n = 33) hybrids between Coffea arabica and C. canephora and of the di-haploid (2n = 22) form of Coffea arabica known as the monosperma variety : both are highly sterile producing only a few round seeds whose embryos are of varied chromosome numbers. The method is the following : twigs of the plants are taken to the laboratory where they are placed in individual vials containing a solution of colchicine ; after having absorbed a certain amount of the liquid, they are grafted. In the case of Coffee the strength of the solution was of 0,25 and 0,50%. Through this method, 66 - chromosome branches have been obtained on these grafts by treating original triploid (2n=33) tissue. Many 44 - chromosome branches were also obtained from a di-haploid (2n=22) variety. In the first case the sterility was almost entirely eliminated ; in the second case a complete change from sterility to fertility has occurred.
This method is also applicable to other plants, when the treatment of seeds is not possible and grafting is an usual means of propagation.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

LITERATURA CITADA

1.  Homeyer, H. Zur Zytologie der Rubiaceen (Vorláufige Mitteilung). Planta 18: 640. 1933.         [ Links ]

2.  Krug, C. A. Contribuição para o estudo da citologia do gênero Coffea. Inst. Agronômico de Campinas. Bol. Técn. n.° 11. 8 págs. 9 figs. 1934.         [ Links ]

3.  Krug, C. A. Genética de Coffea. Plano de estudos em execução no Departamento de Genética do Instituto Agronômico. Inst. Agronômico de Campinas. Bol. Técn. n.° 26. 40 págs. 16 figs. 1936.         [ Links ]

4.  Krug, C. A. Observações citológicas em Coffea. III. Inst. Agronômico de Campinas. Bol. Técn. n.° 27. 19 págs. 14 figs. 1937.         [ Links ]

5.  Krug, C. A. Variações somáticas em Coffea arabica L. Rev. de Agricultura, Piracicaba 12 (3-4) : 1937.         [ Links ]

6.  Krug, C. A. e A. J. T. Mendes. Observações citológicas em Coffea. IV. Bragantia 1 (6) : 467-482. 1941.         [ Links ]

7.  Krug, C. A. e A. J. T. Mendes. Conhecimentos gerais sobre a Genética e a Citologia do gênero Coffea. Revista de Agricultura, Piracicaba 18: 399-408. 1943.         [ Links ]

8.  Krug, C. A., J. E. T. Mendes e Alcides Carvalho. Taxonomia de Coffea arabica L. Inst. Agronômico do Estado em Campinas. Bol. Técn. n.° 62. 57 págs. 122 figs. 1938.         [ Links ]

9.  Mendes, A. J. T. Duplicação do número de cromossômios em Café, Algodão e Fumo, pela ação da Colchicina. Inst. Agron. do Estado em Campinas. Bol. Técn. n.° 57. 21 págs. 17 figs. 1939.         [ Links ]

10.  Mendes, A. J. T. Observações Citológicas em Coffea. VI — Desenvolvimento do Embrião e do Endosperma em Coffea arabica L. Bragantia 2: 115-125. figs. 1-18. 1942.         [ Links ]

11.  Mendes, A. J. T. e Osvaldo Bacchi. Observações citológicas em Coffea. V — Uma variedade haplóide ("di-haplóide") de C. arábica L. Jornal de Agronomia 3 (3) : 183-206. 1940.         [ Links ]

12.  Mendes, A. J. T. e O. Bacchi. Os grãos "moca" de café. Rev. do Inst. de Café 27 (161) : 996-999. 4 figs. 1940.         [ Links ]

13.  Mendes, J. E. Teixeira. A enxertia do cafeeiro — I. Instituto Agronômico de Campinas. Bol. Técn. n.° 39. 18 págs. 6 figs. 1938.         [ Links ]