SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 númeroUNICOLevantamento pedológico do campo de pesquisas de água pretaMelhoramento do cafeeiro: XXII - Resultados obtidos no ensaio de seleções regionais de campinas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Bragantia

versão impressa ISSN 0006-8705

Bragantia vol.20 no.unico Campinas  1961

http://dx.doi.org/10.1590/S0006-87051961000100029 

Espaçamento para menta (Mentha arvensis L.) resultados experimentais do período de 1943-44 a 1950-51

 

Field experiments on spacing of japanese mint

 

 

Samuel Ribeiro dos SantosI; Vicente Gonçalves de OliveiraII

IEngenheiro-agrônomo, Seção de Fumo, Plantas Medicinais e Inseticidas
IIEngenheiro-agrônomo, Estação Experimental de Tietê, Instituto Agronômico

 

 


RESUMO

Para estudar o espaçamento na cultura da menta (Mentha arvensis L.), foram efetuados quatro ensaios de campo, um na Estação Experimental de Pindorama e os outros na Estação Experimental de Tietê. No ensaio de Pindorama, instalado em 1943-44, e nos de Tietê, nos anos de 1943-44 e 1944-45. foram adotadas as distâncias de 50, 75 e 100 centímetros entre as fileiras. No experimento de 1950-51, de Tietê, essas distâncias foram um pouco menores: 40, 60 e 80 centímetros. Em todos os ensaios, os espaçamentos adotados entre plantas, nas fileiras, foram de 20 e de 40 centímetros. As produções registraram-se como: erva-verde, a parte vegetativa aérea, recém-ceifada; erva-murcha e óleo essencial, êste obtido por destilarão a vapor em alambique.
Os resultados mostraram, de forma consistente, produções significativamente maiores nos espaçamentos mais compactos. Considerações de ordem econômica sôbre o consumo de rizomas para a plantação e necessidades de instalações de viveiro, de mão-de-obra no tratamento dos viveiros e transplante das mudas, são feitas na interpretação dos resultados experimentais.


SUMMARY

Field experiments is on spacing of Japanese mint (Mentha arvensis L., subsp. haplocalyx Briquet, var. piperascens Holmes or forma piperascens Malinvaud) were conducted at the experiment stations of Pindorama and Tietê, during the 1943-44, 1944-45 and 1950-51 seasons.
In Brazil, nowadays the leading world supplier of menthol and dementholized oil, mint is generally raised in newly cleared forest soils. In these areas planting is usual|y done at irregular spacings, due to the presence of trunk and branches of the felled trees, the distances between plants being rather wide.
Yields, recorded as fresh and cured (wilted) hay and oil, were significantly higher from the following spacings: 40 x 20, 50 x 20, 60 x 20 and 50 x 40 centimeters.
Considerations on the amount of rhizomes and labor necessary for nurseries and transplanting were made when interpreting the experimental results. The relation was also discussed in regard to the best use of the land.


 

 

Texto completo disponivél apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

Recebido para publicação em 2 de maio de 1961.