SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.48 número2Ocorrência de Eurhizococcus brasiliensis (Hempel) (homoptera: margarodidae) em videira no município de Louveira, Estado de São PauloUtilização do etefom e do tidiazurom na desfolha do algodoeiro e na deiscência de seus frutos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Bragantia

versão impressa ISSN 0006-8705versão On-line ISSN 1678-4499

Bragantia v.48 n.2 Campinas  1989

https://doi.org/10.1590/S0006-87051989000200006 

III. ENTOMOLOGIA
NOTA

 

Resistência de campo ao vírus da queima-do-broto em genótipos de soja resistentes a insetos1

 

Field resistence to brazilian bud blight in soybean genotypes resistant to insects

 

 

André Luiz LourençãoI, 2; Álvaro Santos CostaII; Manoel Albino Coelho de MirandaIII, 2

ISeção de Entomologia Fitotécnica, Instituto Agronômico (IAC), Caixa Postal 28, 13001 Campinas (SP)
II
Seção de Virologia Fitotécnica (IAC)
III
Seção de Leguminosas (IAC)

 

 


RESUMO

Avaliou-se o comportamento de trinta e seis genótipos de soja em relação à incidência da queima-do-broto em condições de campo, no Centro Experimental de Campinas (IAC), no ano agrícola 1985/86. A infecção variou de 13 a 92%, destacando-se PI 227687 (13%), IAC 73-228 (25%), IAC 80-1177 (36%), IAC 80-1191 e IAC 84-20-1 (38%) e PI 274453 (40%) com os menores índices da doença. Os cinco genótipos menos infectados, mais a linhagem IAC 79-1823 e os cultivares IAC 9, IAC 10, IAC 12, Santa Rosa, Cristalina e IAC Foscarin-31, inoculados mecanicamente em casa de vegetação com diferentes isolados do vírus, não mostraram nível de resistência semelhante ao observado em campo; nesse teste, a infecção variou de 45 a 90%, tendo o melhor tratamento do experimento de campo (PI 227687) apresentado 90% de infecção. Há indicação, portanto, que a menor infecção observada nos genótipos no experimento de exposição natural seja resistência de campo, relacionada com a interação planta-tripes vetor.

Termos de indexação: Glycine max (L) Merrill, resistência a insetos, vírus da queima-do-broto, tripes, Frankliniella.


SUMMARY

Brazilian bud blight, a soybean disease caused by the tobacco streak virus, is prevalent in a few areas in the States of Paraná and São Paulo. Although the virus is seed-transmitted, outbreaks of the disease are related to the presence of virus in donor plants in the weed vegetation and not to seed sources. Species of Frankliniella act as vectors. Thirty six soybean genotypes, about half of them known to have varying degrees of resistance to insects, were evaluated when exposed to natural infection by bud blight in five replicated plots sown in an area where medium to severe outbreaks of the virus had occurred in previous years. Incidence of bud blight was high in the experiment and reached 90% infection for some of the genotypes. Best genotypes for resistance to bud blight were PI 227687 (13% infection), IAC 73-228 (25%), IAC 80-1177 (36%), IAC 80-1191 and IAC 84-20-1 (both 38%), and PI 274453 (40%). The best five most resistant genotypes mentioned above plus seven others were also screened by mechanical inoculation of greenhouse plants with five isolates of the soybean bud blight virus. The results were not parallel to those read in the field exposure test. Thus, the response of PI 227687, IAC 73-228 and probably those of some of the other best genotypes are not considered the result of plant resistance to the virus, but rather as field resistance related to the interaction plant/thrips vector.

Index terms: Glycine max (L.) Merrill, resistance to insects, thrips, Frankliniella.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

COSTA, A.S. Investigações sobre moléstias da soja no Estado de São Paulo. Summa Phytopathologica, Piracicaba, 3:3-30, 1977.        [ Links ]

__________& LIMA NETO, V. da C. Transmissão do vírus da necrose branca do fumo por Frankliniella sp. Revista da Sociedade Brasileira de Fitopatologia, Piracicaba, 9:36,68, 1976.        [ Links ]

__________& KIIHL, R.A.S. Transmissão do vírus da necrose branca do fumo na semente da soja. Revista da Sociedade Brasileira de Fitopatologia, Piracicaba, 4:35-36, 1971.        [ Links ]

__________; MIYASAKA, S. & PINTO, A.J. D'A. Queima dos brotos da soja, uma moléstia causada pelo vírus da necrose branca ou couve. Bragantia, Campinas, 14:VII-X, 1955. (Nota, 3)        [ Links ]

KOGAN, M. Plant resistance in soybean insect control In: WORLD SOYBEAN RESEARCH CONFERENCE, 4., Buenos Aires, 1989. Proceedings, p.1519-1525.        [ Links ]

LOURENÇÃO, A.L.; ROSSETTO, C.J. & MIRANDA, M.A.C. de. Resistência de soja a insetos. IV. Comportamento de cultivares e linhagens em relação a Hedilepta indicata (Fabr.). Bragantia, Campinas, 44(1):149-157, 1985.        [ Links ]

MIRANDA, M.A.C. de; ROSSETTO, C.J.; ROSSETTO, D., BRAGA, N.R.; MASCARENHAS, H.A.A.; TEIXEIRA, J.P.F. & MASSARIOL, A. Resistência de soja a Nezara viridula e Piezodorus guildinii em condições de campo. Bragantia, Campinas, 38:181-188, 1979.        [ Links ]

 

 

Recebido para publicação em 5 de julho e aceito em 6 de outubro de 1989

 

 

1 Resumo enviado ao XX Congresso Brasileiro de Fitopatologia, realizado em Londrina (PR), em 12-19 de julho de 1987.
2 Com bolsa de pesquisa do CNPq.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons