SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.49 número7 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Papéis Avulsos de Zoologia

versão impressa ISSN 0031-1049versão On-line ISSN 1807-0205

Pap. Avulsos Zool. (São Paulo) vol.49 no.7 São Paulo  2009

http://dx.doi.org/10.1590/S0031-10492009000700001 

Ucai, novo gênero de Anacolini (Coleoptera, Cerambycidae, Prioninae) do Brasil

 

Ucai, a new genus of Anacolini (Coleoptera, Cerambycidae, Prioninae) from Brazil

 

 

Maria Helena M. GalileoI, III; Ubirajara R. MartinsII, III

IMuseu de Ciências Naturais, Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul. Caixa Postal 1.188, 90001-970, Porto Alegre, RS, Brasil. E-mail: galileo@fzb.rs.gov.br
IIMuseu de Zoologia, Universidade de São Paulo, Caixa Postal 42.494, 04218-970, São Paulo, SP, Brasil. E-mail: urmsouza@usp.br
IIIPesquisador do CNPq

 

 


RESUMO

Ucai, novo gênero de Anacolini (Coleoptera, Cerambycidae, Prioninae) do Brasil. Novos táxons descritos: Ucai gen. nov. espécie-tipo, Ucai nascimentoi sp. nov. de São Paulo.

Palavras-Chave: Anacolini; Neotropical; Novos taxa; Prioninae; Taxonomy.


ABSTRACT

Ucai, a new genus of Anacolini (Coleoptera, Cerambycidae, Prioninae) from Brazil. New taxa described: Ucai gen. nov., type-species, Ucai nascimentoi sp. nov. from São Paulo.

Keywords: Anacolini; Neotropical; New taxa; Prioninae; Taxonomy.


 

 

INTRODUÇÃO

O Sr. E.A. Nascimento procede a um estudo sobre os Cerambycidae miméticos e nos tem enviado material para identificar. Na última remessa encaminhada, uma espécie nova de Prioninae surpreendeu-nos, pois foi coletada em São Paulo um dos estados cuja fauna cerambicidológica é melhor conhecida.

O inseto pertence à tribo Anacolini que foi minuciosamente estudada por um dos autores (Galileo, 1987) e que contava, nas Américas, com 19 gêneros (Monné & Hovore, 2006). Foi omitido nessa lista o gênero Galileoana Chemsak, 1908, do México (Tamaulipas), mas catalogada em Monné (2006). Monné & Monné (2008) incluíram mais um gênero à tribo: Atrocolus para espécie do Brasil (Bahia), A. mariahelenae.

 

RESULTADOS

Ucai gen. nov.

Etimologia: Tupi, uçaí = riscar, alusivo à escultura dos flagelômeros.

Cabeça tão larga quanto o protórax. Mandíbulas forte e densamente pontuadas com três dentes na margem interna, eqüidistantes entre si; último segmento dos palpos fusiforme e alongado, truncado no ápice. Clípeo muito desenvolvido, mais largo que a extremidade do escapo. Região entre os tubérculos anteníferos côncava. Olhos com granulação fina. Lobos oculares superiores tão afastados entre si quanto o quádruplo da largura de um lobo. Lobos oculares inferiores desenvolvidos, ocupam quase todo o lado da cabeça. Gena curta com a borda arredondada. Antenas (macho) flabeladas, com 11 artículos, atingem o quinto apical dos élitros. Escapo tronco-cônico. Pedicelo e flagelômeros microcarenados, carenas longitudinais e finas. Antenômero III um terço mais longo do que o escapo. Antenômeros III-X com o ângulo externo projetado num flabelo estreito e longo; comprimento do flabelo aumenta em direção aos antenômeros apicais. Antenômero XI mais longo que o flabelo do X.

Protórax transversal, lados com espinho desenvolvido próximo à base. Pronoto sem gibosidades aparentes. Escutelo ligeiramente côncavo com borda apical arredondada. Processo prosternal estreito sobrepõe-se ao mesosterno. Processo mesosternal estreito, acentuadamente côncavo. Metasterno convexo.

Élitros não deiscentes, acobertam todo o abdômen. Três costas elitrais: a umeral funde-se com a segunda próximo ao ápice. Epipleuras estreitas; declividade lateral reduzida, extremidades arredondadas.

Fêmures levemente engrossados no centro. Metatarsômero I mais curto que o comprimento do II e III reunidos.

Discussão: Ucai gen. nov. tem caracteres em comum com Allaiocerus Galileo, 1987, gênero do qual só se conhecem fêmeas, pelas mandíbulas com três dentículos na margem interna, pelos lados do protórax com espinho lateral, pelo aspecto dos processos pro- e mesosternal (Galileo, 1987:682, figs. 1098, 1100) e pela fórmula dos metatarsômeros. Em Allaiocerus (fêmea), contudo, o tegumento tem brilho metálico, as antenas têm oito artículos e o ápice elitral tem espículo no ângulo sutural. Em Ucai gen. nov. o tegumento dos élitros não tem brilho metálico, as antenas têm onze artículos e o ápice elitral não tem espículo no ângulo sutural.

Pela chave para gêneros de Anacolini (Galileo, 1987), Ucai gen. nov. é discriminado no item 16 com Udeterus Thomson, 1858 e Myzomorphus Dejean, 1835. Distingue-se de ambos pelos élitros não deiscentes e que cobrem todo o abdômen, pelas antenas dos machos com comprimento do antenômero III um terço mais longo que o escapo.

Ucai gen. nov. separa-se de Udeterus, além dos caracteres já mencionados, pelo espinho nos lados do protórax situado próximo à base. Em Udeterus, o espinho dos lados do protórax situa-se no meio.

Ucai gen. nov. difere de Myzomorphus pelos flagelômeros com múltiplas carenas longitudinais e pelo flabelo longo. Em Myzomorphus os flagelômeros não têm carínulas e os flabelos são curtos, largos e foliáceos.

Ucai nascimentoi sp. nov. (Fig. 1)

 

 

Etimologia: Nome específico em homenagem ao coletor do holótipo.

Cabeça preta e brilhante; centro do clípeo, área subcircular entre os lobos oculares superiores e gula, amarelados. Lado interno dos lobos oculares densamente pontuados. Lados da cabeça atrás dos olhos, pontuados. Gula lisa. Escapo brilhante, densamente pontuado. Flagelômeros opacos e carenados.

Protórax largamente preto no centro e lados amarelados; área da base dos espinhos côncava. Pronoto com alguns pontos no terço posterior. Escutelo e mesonoto pretos. Prosterno preto, processo prosternal amarelado. Mesepisternos, mesepimeros, metepisternos e metasterno pretos; mesepimeros com superfície densa e finamente irregular. Lados do metasterno esparsamente pontuados. Esternos torácicos com pêlos curtos, muito esparsos.

Élitros com a metade anterior amarelada e na metade apical uma faixa irregular preta, seguida por faixa amarelada transversal e o terço apical, preto.

Fêmures pretos indistintamente mais acastanhados na base; fina e densamente pontuados. Metatíbias discretamente foliáceas.

Dimensões em mm, holótipo macho: Comprimento total, 9,0; comprimento do protórax, 1,1; maior largura do protórax, 2,3; comprimento do élitro, 6,6; largura umeral, 2,7.

Material-tipo: Holótipo macho, Brasil, São Paulo: Jundiaí (Reserva Biológica Serra do Japi), 01.X.2007, E.A. Nascimento col. (MZUSP).

 

AGRADECIMENTOS

A desenhista Rejane Rosa (Museu de Ciências Naturais, Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul) pela ilustração a cores.

 

REFERÊNCIAS

GALILEO, M.H.M. 1987. Sistemática das tribos Meroscelisini e Anacolini (Coleoptera, Cerambycidae, Prioninae) nas Américas. II. Anacolini. Revista Brasileira de Entomologia, 31(4),481-705.         [ Links ]

MONNÉ, M.A. 2006. Catalogue of the Cerambycidae (Coleoptera) of the Neotropical Region. Part III. Subfamilies Parandrinae, Prioninae, Anoplodermatinae, Aseminae, Spondylinae, Lepturinae, Oxypeltynae, and addenda to the Cerambycinae and Lamiinae. Zootaxa, 1212:1-244.         [ Links ]

MONNÉ, M.A. & HOVORE, F.T. 2006. Checklist of the Cerambycidae or longhorned wood-boring beetles of the Western Hemisphere. BioQuip, Rancho Dominguez. 394p.         [ Links ]

MONNÉ, M.A. & MONNÉ, M.L. 2008. Atrocolus mariahelenae, novo gênero e espécie de Anacolini (Coleoptera, Cerambycidae). Iheringia, Série Zoologia, 98(2):215-217.         [ Links ]

 

 

Recebido em: 29.07.2008
Aceito em: 10.12.2008
Impresso em: 31.03.2009

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons