SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.52 issue3Doctor Carlos Pereira Magalhães JúniorThe bispectral index author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094On-line version ISSN 1806-907X

Rev. Bras. Anestesiol. vol.52 no.3 Campinas May/June 2002

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942002000300015 

CARTAS AO EDITOR

 

Interação dos glicoalcalóides solanáceos com drogas utilizadas em anestesia

 

 

Eugesse Cremonesi, TSA

Endereço para correspondência

 

 

Senhor Editor,

Em resumo publicado no Anesthesiology, Moss, Krasowski e McGehee apresentaram um trabalho interessante sobre a interação de compostos naturais encontrados em batatas, os glicoalcalóides solanáceos (SGAs) alfa solanina e alfa chaconina, com acetilcolinesterase (AChE) e butirilcolinesterase (BuChE).

Os autores estudaram o efeito inibidor desses compostos sobre a AChE e BuChE e concluíram que os SGAs inibem a BuChE de maneira muito mais intensa do que a AChE, em concentrações nanomoleculares que estão presentes no soro de indivíduos consumidores de batatas. Estudaram também a possível atividade anticolinesterásica apresentada por outros compostos, como bloqueadores neuromusculares, e verificaram que apenas o pancurônio e o vecurônio possuem efeitos semelhantes.

Esses resultados sugerem a possibilidade de os glicoalcalóides citados poderem alterar a farmacocinética de bloqueadores neuromusculares, anestésicos locais e outros fármacos com hidrólise mediada pela BuChE. Também sugerem que a grande variação na sensibilidade dos pacientes a drogas anestésicas pode ser atribuída, em parte, a fatores dietéticos.

Os glicoalcalóides solanáceos são encontrados principalmente em batatas, tomates e berinjelas e, podem interferir, de maneira importante, no metabolismo de bloqueadores neuromusculares, anestésicos locais, drogas de ação cardiovascular e outros compostos que são hidrolisados pela BuChE, quando consumidos habitualmente ou em grande quantidade, na véspera de uma cirurgia.

 

REFERÊNCIAS

01. Moss J, Krasowski BA, McGehee DS - Anesthesiology, 1998;89: 3A:A1008.

02. Larkin M - Lancet, 1998;352:1362.

 

 

Endereço para correspondência
Eugesse Cremonesi, TSA
Rua  Dr. José de Moura Rezende, 165 Jardim Caxingui
05517-000 São Paulo, SP

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License