SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.52 issue4Interação dos glicoalcalóides solanáceos com drogas utilizadas em anestesia author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094On-line version ISSN 1806-907X

Rev. Bras. Anestesiol. vol.52 no.4 Campinas July/Aug. 2002

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942002000400017 

CARTAS AO EDITOR

 

Meningite após técnica combinada para analgesia de parto. Relato de caso

 

 

Amaury Sanchez Oliveira; Carlos Alberto Figueiredo Côrtes

Endereço para correspondência

 

 

Senhor Editor,

Considerando-se a importância dos autores, é oportuna a publicação "Meningite após Técnica Combinada para Analgesia de Parto. Relato de Caso", devido à generalização, com o risco de banalização desta técnica no nosso país, com o que não concordamos, inclusive recebendo o rótulo de técnica de analgesia mais próxima da ideal e colocando-se publicamente a peridural contínua segmentar com emprego de anestésico local associado a drogas opióides como técnica ultrapassada de analgesia para o trabalho de parto.

Consideramos "fantástico" o imediato alívio das dores provocadas pelas contrações uterinas após a injeção subaracnóidea das drogas opióides, seguida de excelente analgesia sem a ocorrência de bloqueio motor. Contudo por vários motivos não elegemos neste departamento a técnica combinada como 1ª opção para analgesia da 1ª fase do trabalho parto, visto que indicamos a peridural contínua segmentar com anestésico local associado aos opióides 1-3, tendo sido realizadas 56.925 analgesias desde 1.965, sem a ocorrência de nenhum caso de meningite. A literatura sugere que a técnica combinada proporciona analgesia efetiva mas é insuficiente para avaliar a eficácia analgésica quando comparada à peridural com anestésico local 4 e que a incidência de operações cesarianas e de partos instrumentais são semelhantes 5.

Prurido intenso 5, hipotensão arterial e bradicardia fetal 6,7, depressão respiratória 8, altos níveis de bloqueio sensitivo atingindo até a região facial 9, são complicações e/ou efeitos colaterais descritos recentemente na literatura com o emprego da técnica combinada, embora potencialmente estas alterações possam ocorrer com a tradicional peridural segmentar.

Mas o principal obstáculo que colocamos para a adoção da técnica combinada, a qual poderia ser indicada para analgesia do trabalho de parto quando a dilatação do colo uterino fosse incipiente, continua sendo a maior possibilidade de infecção do sistema nervoso central, corroborada por esta publicação, quando se utiliza esta técnica mais invasiva 5,10-13.

Segundo conclusão do relato em discussão se não houver falhas na realização da técnica combinada a questão tornar-se-ia simplesmente inerente ao risco benéfico da técnica. Sugerimos aos adeptos da técnica combinada, que informem as parturientes sobre os potenciais riscos e benefícios das duas técnicas discutidas e desde que se opte pela raqui-peridural combinadas recomendamos que redobrem a atenção no pós-parto, até que futuras pesquisas clínicas avaliem a incidência desta grave complicação relatada.

 

REFERÊNCIAS

01. Castro LFL, Cavalcanti FS, Hartman AML et al - Analgesia peridural contínua com fentanil no trabalho de parto. Rev Bras Anestesiol, 1992;42:(Supl15):54.

02. Castro LFL, Oliveira AS, Sanchez CAS et al - Meperidina peridural no trabalho de parto. Rev Bras Anestesiol, 1993;43: (Supl17):128- 129.

03. Castro LFL, Oliveira AS, Lira VM et al - Sufentanil peridural no trabalho de parto. Rev Bras Anestesiol, 1994;44:(Supl18):104.

04. Task Force on obstetrical anesthesia. Practice guidelines for obstetrical anesthesia: a report by the American Society of Anesthesiology. Anesthesiology, 1999;90: 600-611.

05. Bucklin BA, Chestnut DH, Hawkins JL - Intratecal opióides versus epidural local anesthetics for labor analgesia: A meta-analysis. Reg Anesth Pain Med, 2002;27: 23-30.

06. D’Angelo R, Eisennach JC - Severe maternal hypotension and fetal bradycardia after a combined spinal epidural anesthetic. Anesthesiology, 1997;87: 166-168.

07. Eisenach JC - Combined spinal-epidural analgesia in obstetrics. Anesthesiology, 1999;91:299-302.

08. Norris MC, Fogel ST, Haltman B - Intrathecal sufentanil (5vs10µg) for labour analgesia: efficacy and side effects. Reg Anesth, 1998; 23:252-257.

09. Abdou WA, Aveline C, Bonet F - Two additional cases of excessive extension of sensory blockade after intrathecal sufentanil for labor analgesia. International Journal of Obstetric Anesthesia, 2000;9: 48-50.

10. Harding SA, Coolis RE, Morgan BM - Meningitis after combined spinal - extra-dural anaesthesia in obstetrics. Br J Anaesth, 1994;73: 545-547.

11. Wee M, Morgan BM, Collins RE et al - Meningitis after combined spinal - extra-dural anaesthesia in obstetrics. Br J Anaesth, 1995;74: 351.

12. Schroter J, Jamba WAD, Hoffmann V et al - Epidural abscess after combined spinal epidural block. Can J Anaesth, 1997;44: 300-304.

13. Laurila J, Kostamovaara P, Alahuhta S - Spreptococcns salivarius meningitis after spinal anesthesia. Anesthesiology, 1998;89: 1579-1580.

 

 

Endereço para correspondência
Prof. Dr. Amaury Sanchez Oliveira, TSA
Dr. Carlos Alberto Figueiredo Côrtes, TSA
Rua Prof. Edgar Atra, 563
Res. Arboreto dos Jequitibás
13105-666 Campinas, SP

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License