SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.54 issue4“Effects of low spinal morphine doses associated to intravenous and oral ketoprofen in patients submitted to cesarean sections” and  ”Post-cesarean section analgesia with low spinal morphine doses and systemic nonsteroid anti-inflammatory drug: diclofenac versus ketoprofen”Reply - Post-cesarean section analgesia with low spinal morphine doses and systemic nonsteroid anti-inflammatory drug: diclofenac versus ketoprofen author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Rev. Bras. Anestesiol. vol.54 no.4 Campinas July/Aug. 2004

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942004000400018 

CARTAS AO EDITOR

 

Réplica - Efeitos da associação entre pequenas doses subaracnóideas de morfina e cetoprofeno venoso e oral em pacientes submetidas à cesariana

 

 

Com relação às considerações do Prof. Itagyba Martins Miranda Chaves, gostaria de esclarecer que a associação da morfina ao anestésico local, por via subaracnóidea, para proporcionar analgesia pós-operatória em pacientes submetidas à cesariana, tem sido utilizada, de rotina, pelos membros do Serviço de Anestesiologia há anos, e precauções têm sido tomadas1 para evitar os possíveis efeitos colaterais desta técnica.

A partir da publicação de estudo2 que mostrou que a associação de antiinflamatório (diclofenaco) ao opióide, por via subaracnóidea, foi eficiente na prevenção da dor em pacientes submetidas à cesariana, mesmo quando a morfina foi utilizada em baixas doses, foi proposto, em nosso serviço, a redução da dose de morfina subaracnóidea e sua associação com o cetoprofeno, que é o antiinflamatório padronizado neste hospital. O objetivo principal, além de analgesia, foi reduzir a ocorrência de efeitos colaterais.

Gostaria de ressaltar que nesta ocasião alguns médicos do nosso departamento já vinham utilizando doses menores de morfina associadas ao cetoprofeno em cesarianas, com resultados satisfatórios, porém, para tornar nossas observações cientificamente confiáveis, propusemos a realização da pesquisa em questão para validá-las.

O estudo começou a ser realizado no final de 1999, como critério de inclusão, constavam pacientes com estado físico ASA I, com fetos saudáveis. A pesquisa foi desenvolvida com morosidade visto que trabalhamos em hospital com atendimento obstétrico de nível terciário (pacientes com gestações complicadas, hipertensas, diabéticas, cardiopatas, gestantes com má formação fetal).

Durante a realização desse trabalho foi publicada revisão sistemática que mostrou que a dose ideal de morfina, por via subaracnóidea, como único agente para analgesia pós-operatória de pacientes submetidas à cesariana, era de 0,1 mg (padrão ouro)3.

Como estávamos propondo associar o opióide ao antiinflamatório, nosso objetivo era observar o comportamento dos efeitos de doses menores da morfina.

Para concluir, os resultados obtidos são produtos de método rigorosamente aplicado e, portanto, não poderiam ser mascarados ou manipulados porque diferem do que reza a literatura.

 

Atenciosamente.

Profª. Dra. Eliana Marisa Ganem, TSA
Deptº de Anestesiologia da FMB - UNESP
18618-970 Botucatu, SP
E-mail: eganem@fmb.unesp.br

 

REFERÊNCIAS

01. Ganen EM, Módolo NSP, Ferrari F et al - Efeitos da associação entre pequenas doses subaracnóideas de morfina e cetoprofeno venoso e oral em pacientes submetidas à cesariana. Rev Bras Anestesiol, 2003;53:431;439.

02. Cardoso MM, Carvalho JC, Amaro A et al - Small doses of intrathecal morphine combined with systemic diclofenac for postoperative pain control after cesarean delivery. Anesth Analg, 1998;86:538-541.

03. Dahl JB, Jeppersen IS, Jorgensen H et al - Intraoperative e postoperative analgesic efficacy and adverse effects of intrathecal opioids in patients undergoing cesarean section with spinal anesthesia: a qualitative and quantificative systematic review of randomized controlled trials. Anesthesiology, 1999;91: 1919-1927.