SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.54 issue5Correlation between end-tidal carbon dioxide levels and cardiac output during cardiac surgery with cardiopulmonary bypass author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094On-line version ISSN 1806-907X

Rev. Bras. Anestesiol. vol.54 no.5 Campinas Sept./Oct. 2004

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942004000500001 

EDITORIAL

 

Nova farmacotécnica para velhos agentes

 

 

A Anestesiologia Experimental é uma área que pode abrir novos caminhos e propor soluções para problemas enfrentados na Anestesiologia Clínica.

Em 1995, Eger e MacLoad estudaram a administração por via venosa de uma emulsão de isoflurano em camundongos 1. As principais vantagens relacionadas pelos autores foram eliminação do circuito anestésico do respirador e da capacidade residual funcional do pulmão, permitindo uma aceleração da indução da anestesia. Ao final do estudo os autores concluíram que a técnica foi possível, a indução e manutenção da anestesia desenvolveram-se de maneira segura e reprodutível. Sugeriram também que outros estudos com animais maiores seriam importantes para determinar as características, toxicológicas, físico-químicas, farmacocinéticas e farmacodinâmicas desta mistura ou de outras similares.

Em 1984 e 1999, um grupo europeu e um americano, estudaram respectivamente os efeitos farmacocinéticos e farmacodinâmicos de emulsão lipídica de halotano em cães, ratos e porcos. Estes trabalhos descrevem grupos com injeção única e infusão, isoladas ou combinadas, com comportamento farmacológico semelhante à administração por via inalatória. Não foi observado efeito tóxico, mas registrado um aumento de 12 vezes na concentração plasmática de triglicérides no grupo de cães 2-4.

Neste número da Revista Brasileira de Anestesiologia, um grupo de pesquisadores brasileiros 5 apresentou um modelo experimental em porcos, para estudar algumas das características farmacocinéticas e farmacodinâmicas de emulsão de isoflurano. Os resultados obtidos são similares aos de Eger e MacLoad, com uma relação direta entre os efeitos farmacodinâmicos e a concentração expirada de isoflurano.

Em nosso meio a indução da anestesia, por via inalatória, é empregada principalmente em crianças, quando nem sempre é fácil a obtenção de um acesso venoso. Pelas características fisiológicas da função pulmonar deste grupo de pacientes, normalmente a indução por via inalatória é rápida. A eventual vantagem obtida no tempo de indução com o uso da via venosa, contrapõe-se à dificuldade de seu acesso.

Considerando a contaminação do ambiente pelo uso de agentes anestésicos por via inalatória, o seu emprego por via venosa não a elimina, uma vez que a concentração expirada do agente corresponde aos seus efeitos farmacodinâmicos sendo proporcional tanto à quantidade administrada como à profundidade anestésica que se deseja.

Quanto a prescindir de equipamentos sofisticados para sua vaporização e administração inalatória, estes seriam trocados por equivalentes para a infusão venosa.

Deve-se ainda esclarecer se existem repercussões metabólicas decorrentes do uso venoso desta emulsão lipídica, como acidemia e hipercolesterolemia, observadas com outros agentes venosos de formulação semelhante.

Assim, permanece a questão, que até o momento parece não ter sido respondida, sobre os benefícios desta proposta farmacotécnica.

A pesquisa, no entanto, não deve se pautar por benefícios óbvios e imediatos, pois no seu desenvolvimento, fatos novos podem ser observados e ganhos importantes obtidos.

 

Dra. Judymara Lauzi Gozzani, TSA
Editor-Chefe da Revista Brasileira de Anestesiologia

 

REFERÊNCIAS

01. Eger RP, MacLeod BA - Anaesthesia by intravenous emulsified isoflurane in mice. Can J Anaesth, 1995;42:836-837.

02. Johannesson G, Alm P, Biber B et al - Halothane dissolved in fat as an intravenous anaesthetic to rats. Acta Anaesthesiol Scand, 1984;28:381-384.

03. Biber B, Johannesson G, Lennander O et al - Intravenous infusion of halothane dissolved in fat. Haemodynamic effects in dogs. Acta Anaesthesiol Scand, 1984;28:385-389.

04. Musser JB, Fontana JL, Mongan PD - The anesthetic and physiology effects of an intravenous administration of a halothane lipid emulsion (5% vol/vol), Anesth Analg, 1999;88:671-674.

05. Mathias LAST, Piccinini Filho L, Rites JC et al - Isoflurano em emulsão lipídica por via venosa promove estabilidade cardiovascular respiratória em modelo experimental. Rev Bras Anestesiol, 2004;54:650-662.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License