SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.57 issue1Assessment of oral S(+) ketamine associated with morphine for the treatment of oncologic painLabor analgesia: a comparative study between combined spinal-epidural anesthesia versus continuous epidural anesthesia author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Rev. Bras. Anestesiol. vol.57 no.1 Campinas Jan./Feb. 2007

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942007000100004 

ARTIGO CIENTÍFICO

 

Efeitos do tratamento prévio com lidocaína, paracetamol e lidocaína-fentanil por via venosa na dor causada pela injeção de propofol. Estudo comparativo*

 

Efectos del tratamiento previo con lidocaína, paracetamol y lidocaína-fentanil intravenosos en el dolor causado por la inyección de propofol. Estudio comparativo

 

 

Khaled M. El-Radaideh

Professor-Assistente de Anestesiologia, MD, Facharzt Division of Anesthesia and Surgical ICU, King Abdullah University Hospital, Faculty of Medicine, Jordan University of Science and Technology, Irbid, Jordan

Endereço para correspondência

 

 


RESUMO

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Foi realizado estudo duplamente encoberto, aleatório, para avaliar a eficácia do tratamento prévio, por via venosa, com lidocaína, paracetamol (Perfalgan®) ou lidocaína associada ao fentanil na redução da dor causada pela injeção de propofol.
MÉTODOS: Imediatamente após a oclusão venosa com torniquete de borracha foi feita a administração venosa de 4 mL de lidocaína a 1% (Grupo L, n = 50), 4 mL de paracetamol (Perfalgan®) (40 mg) (Grupo R, n = 50), lidocaína a 2% associada a 100 µg de fentanil (Grupo LF, n = 50) ou 4 mL de solução fisiológica a 0,9% (Grupo P, n = 50; grupo-controle com placebo) a 200 adultos. A liberação da obstrução venosa foi feita após 60 segundos, sendo seguida da administração venosa de propofol, 2,5 mg.kg-1 a uma velocidade de 0,5 mg.s-1 através de cateter 20G inserido na veia do dorso da mão. A avaliação da dor foi feita durante a injeção de propofol. Ela incluiu movimentos da mão, expressão verbal espontânea de dor, caretas e gemidos durante a injeção de propofol.
RESULTADOS: Lidocaína-fentanil (70% sem dor) e lidocaína (68% sem dor) foram mais eficazes na redução da dor causada pela injeção de propofol do que o paracetamol (54% sem dor) e o placebo (36% sem dor) (p < 0,05). A diferença na redução da incidência de dor causada pela injeção de propofol entre a lidocaína e lidocaína-fentanil não foi significativa. O paracetamol foi muito superior ao placebo (p < 0,05).
CONCLUSÕES: O propofol é um anestésico amplamente utilizado. Lidocaína e lidocaína-fentanil administrados como tratamento prévio, na forma de retenção venosa durante 60 segundos, antes da administração do propofol reduziram de forma acentuada a dor causada pela injeção de propofol, enquanto o paracetamol (Perfalgan®) reduziu discretamente essa mesma dor.

Unitermos: ANESTÉSICOS, Venoso: propofol; COMPLICAÇÕES, dor à injeção.


RESUMEN

JUSTIFICATIVA Y OBJETIVOS: Se realizó estudio doblemente encubierto, aleatorio, para evaluar la eficacia del tratamiento previo, intravenoso (IV), con lidocaína, paracetamol (Perfalgan®) o lidocaína asociada con fentanil en la reducción del dolor causado por la inyección de propofol.
MÉTODOS: Inmediatamente después de la oclusión venosa con un torniquete de goma, se hizo la administración intravenosa de 4 mL de lidocaína a 1% (Grupo L, n = 50), 4 mL de paracetamol (Perfalgan®) (40 mg) (Grupo R, n = 50), lidocaína a 2% asociada con 100 µg de fentanil (Grupo LF, n = 50) o 4 mL de solución fisiológica (Grupo P, n = 50; grupo control con placebo) a 200 adultos. La liberación de la obstrucción venosa fue hecha después de 60 segundos, siendo seguida de la administración intravenosa de propofol, 2,5 mg.kg-1 a una velocidad de 0,5 mg.s-1 a través de un catéter de 20G insertado en la vena del dorso de la mano. La evaluación del dolor fue hecha durante la inyección de propofol. Ella incluyó movimientos de la mano, expresión verbal espontánea de dolor, muecas y gemidos durante la inyección de propofol.
RESULTADOS: Lidocaína-fentanil (70% sin dolor) y lidocaína (68% sin dolor) fueron más eficaces en la reducción del dolor causado por la inyección de propofol que el paracetamol (54% sin dolor) y el placebo (36% sin dolor) (p < 0.05). La diferencia en la reducción de la incidencia de dolor causada por la inyección de propofol entre la lidocaína y la lidocaína-fentanil, no fue estadísticamente significativa. El paracetamol fue significativamente superior al placebo (p < 0,05).
CONCLUSIONES: El propofol es un anestésico ampliamente utilizado. La lidocaína y lidocaína-fentanil administrados como tratamiento previo, en la forma de retención venosa durante 60 segundos, antes de la administración del propofol redujeron significativamente el dolor causado por la inyección de propofol, mientras que el paracetamol IV (Perfalgan®) redujo discretamente ese mismo dolor.


 

 

INTRODUÇÃO

Propofol é um agente anestésico muito usado na indução da anestesia geral, sobretudo nos procedimentos cirúrgicos ambulatoriais. A dor causada pela sua administração ainda é o seu maior problema. Diversos métodos foram utilizados para prevenir ou aliviar essa dor, tal como a administração de propofol em diversas temperaturas 1-4, lidocaína associada ao propofol 5,6 ou tratamento prévio com lidocaína com ou sem o uso de um torniquete 8. Além disso, diversos agentes já foram utilizados, como metoclopramida 9, nitroglicerina 10, procaína 11, prilocaína 12, opióides 7 e ceterolaco 13,14, com resultados variáveis. Estudos antigos e recentes demonstraram que a oclusão venosa temporária seguida da administração de lidocaína diminui a intensidade da dor 15,16.

O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia do tratamento prévio com lidocaína, lidocaína associada ao fentanil e paracetamol após a oclusão venosa temporária usando um volume maior, 4 mL, em vez do volume utilizado normalmente, 2 mL, na redução da dor associada à injeção de propofol.

 

MÉTODOS

Após a aprovação pelo Comitê de Ética na Pesquisa e assinatura de um termo de Consentimento Livre, 200 pacientes, estado físico ASA I – III, com idade entre 21 a 73 anos, que iriam ser submetidos a intervenções cirúrgicas ginecológica, urológica ou geral eletivas, participaram deste estudo duplamente encoberto, aleatório, controlado por placebo.

Os critérios de exclusão incluíram a recusa em assinar o termo de consentimento, insuficiências cardíaca e renal, e disfunção hepática. Pacientes fazendo uso de sedativos, analgésicos, medicamentos que causam depressão do sistema nervoso central (SNC) ou antiepilépticos, ou que apresentaram histórico de intolerância ou reações adversas aos medicamentos utilizados neste estudo também foram excluídos.

Duzentos pacientes (50 em cada grupo) foram divididos em quatro grupos de forma aleatória, por meio de um sistema de envelopes fechados, para receber 4 mL de lidocaína a 1% (Grupo L), 2 mL de lidocaína a 2% associado a 2 mL de fentanil (Grupo LF), 4 mL de paracetamol (Grupo R) ou 4 mL de solução isotônica de cloreto de sódio (Grupo P, placebo), seguido da administração de 2,5 mg.kg-1 de propofol após oclusão venosa por 60 segundos. Ao chegarem à sala de anestesia, foi feita punção venosa em todos os pacientes com a introdução de cateter 20G no dorso da mão. Foi utilizada monitorização-padrão durante todo o estudo e durante o procedimento cirúrgico, incluindo pressão arterial não-invasiva, freqüência cardíaca e oxímetro de pulso.

A oclusão venosa por 60 segundos em todos os pacientes foi feita no braço, 8 cm proximal à fossa antecubital, com torniquete de 2,5 cm de largura.

Após 60 segundos, o torniquete foi liberado e 2,5 mg.kg-1 de propofol foram injetados a 0,5 mL.s-1.

Os pacientes do grupo placebo (n = 50) receberam 4 mL de solução fisiológica a 0,9%. Os pacientes do Grupo L (n = 50) receberam tratamento prévio com 4 mL de lidocaína a 1% (total = 40 mg). Os pacientes do Grupo LF (n = 50) foram tratados previamente com 2 mL de lidocaína a 2% (total = 40 mg) e 2 mL de fentanil (total = 100 µg), enquanto os pacientes do Grupo R (n = 50) receberam tratamento prévio de 4 mL de paracetamol (total = 40 mg). Quatro residentes de Anestesiologia no último ano de residência também estavam envolvidos neste estudo. O anestesiologista, que desconhecia o conteúdo da seringa, avaliou a dor causada pela injeção de propofol observando se havia movimentos da mão, caretas, verbalização espontânea de dor e gemidos.

Este estudo foi idealizado para verificar o tratamento prévio com volume maior de lidocaína, a associação de lidocaína e fentanil e o paracetamol após a oclusão venosa temporária diminuem a dor ocasionada pela injeção de propofol.

Os dados foram apresentados como média e desvio-padrão ou como um grupo de porcentagens. A avaliação estatística foi realizada pelos testes t de Student e Qui-quadrado, incorporando o teste Exato de Fisher quando apropriado. Valores de p < 0,05 foram considerados significativos do ponto de vista estatístico.

Os cálculos estatísticos foram feitos usando-se o Statistical Package for the Social Sciences Software Program versão 13 (SPSS®, Inc).

 

RESULTADOS

Os 200 pacientes que participaram deste estudo foram divididos de forma aleatória em quatro grupos de 50 pacientes. Não houve diferença de idade, sexo, estado físico, peso e altura entre os grupos (Tabela I).

A injeção de propofol desencadeou dor em 32 pacientes do Grupo P (64%), 16 pacientes do Grupo L (32%), 15 pacientes do Grupo LF (30%) e 23 pacientes do Grupo R (46%).

Comparado com o grupo placebo, houve redução significativa da dor nos pacientes do Grupo L (36% sem dor versus 68%; p < 0,05), do Grupo LF (36% sem dor versus 70%; p < 0,05) e do Grupo R (36% sem dor versus 54%; p < 0,05).

Não houve diferença significativa entre os grupos L e LF na redução da dor causada pela injeção de propofol (68% sem dor versus 70%; p > 0,05) (Figura 1).

 

DISCUSSÃO

O torniquete isola as veias do braço do restante da circulação. Isso é útil no estudo das ações periféricas de um medicamento na ausência de seu efeito central 8.

Os mecanismos pelos quais o propofol causa dor ao ser injetado são desconhecidos 14, mas Scott e col. 17 sugeriram que seja conseqüência da ação de cascata enzimática, possivelmente a cascata da calicreína-cinina. Essa sugestão foi apoiada por Iwama e col. 17, que demonstraram que o tratamento prévio com um inibidor da calicreína inibia a dor causada pela injeção de propofol.

A redução da dor causada pela injeção venosa de propofol pelo tratamento prévio com lidocaína, paracetamol e a mistura de lidocaína com fentanil foi a principal observação deste estudo.

A lidocaína pura e sua associação ao fentanil foram eficazes na redução da dor, mas não houve uma diferença estatística relevante entre eles.

O paracetamol também foi eficaz na redução da incidência de dor causada pela injeção de propofol, mas foi muito menos eficaz do que a lidocaína e a mistura de lidocaína e fentanil.

Relatou-se incidência de 70% de dor causada pela injeção de propofol 15,19. Neste estudo, 64% dos pacientes do grupo placebo se queixaram de dor no local da injeção, apresentando o mesmo resultado obtido por outros estudos 20,21.

A lidocaína, um anestésico local, causa bloqueio reversível dos nervos periféricos por sua ação nas membranas excitáveis no braço 8. Há redução da dor com o tratamento prévio com 40 mg de lidocaína na forma de bloqueio venoso pela técnica de Bier. Neste estudo, 32% dos pacientes do grupo da lidocaína se queixaram de dor após a injeção de propofol. Esse resultado é semelhante ao de Schaub e col. 15.

O efeito clínico primário do fentanil está relacionado com a sua interação com os receptores opióides centrais e, em doses maiores, pode apresentar um efeito anestésico local 22,23.

Para utilizar esse efeito local do fentanil, ele foi associado à lidocaína no grupo Lidocaína-Fentanil. Este estudo evidenciou que a eficácia da lidocaína associada ao fentanil na redução da dor causada pela injeção de propofol foi semelhante à da lidocaína isoladamente.

O paracetamol é a substância ativa da solução de Perfalgan® (10 mg.mL-1), usado para o tratamento da dor moderada e da febre 24. Neste estudo o objetivo foi o efeito analgésico do paracetamol por meio da administração venosa, antes da injeção de propofol, após 60 segundos de oclusão venosa. No grupo tratado previamente com paracetamol, 23 pacientes (46%) se queixaram de dor causada pela injeção de propofol.

Foi possível concluir que o paracetamol foi muito superior ao placebo, enquanto a lidocaína e a associação de lidocaína e fentanil produziram redução acentuada da dor quando comparadas com o paracetamol e o placebo.

A adição de fentanil à lidocaína não parece ser um bom método de se aumentar a eficácia da lidocaína na redução da dor causada pela injeção de propofol.

Quarenta miligramas de lidocaína retidos na veia ocluída por torniquete, por 60 segundos, reduzem de forma acentuada a incidência da dor causada pela injeção de propofol.

 

REFERÊNCIAS

01. Fletcher GC, Gillespie JA, Davidson JA - The effect of temperature upon pain during injection of propofol. Anaesthesia, 1996; 51:498-499.        [ Links ]

02. McCulloch MJ, Lees NW - Assessment and modification of pain on induction with propofol (Diprivan). Anaesthesia, 1985;40:1117-1120.        [ Links ]

03. McCrirrick A, Hunter S - Pain of injection of propofol: the effect of injectate temperature. Anaesthesia, 1990;45:443-444.        [ Links ]

04. Barker P, Langton JA, Murphy P et al - Effects of prior administration of cold saline on pain during propofol injection. A comparison with cold propofol and propofol with lignocaine. Anaesthesia, 1991;46:1069-1070.        [ Links ]

05. Yokota S, Komatsu T, Komura Y et al - Pretreatment with topical 60% lidocaine tape reduces pain on injection of propofol. Anesth Analg, 1997;85:672- 674.        [ Links ]

06. Overbaugh R, Jone P, Nguyen A et al - Effect of mixed versus unmixed lidocaine with propofol. Internet J Anesthesiol, 2003; 7(2). www.ispub.com        [ Links ]

07. Lyons B, Lohan D, Flynn C et al - Modification of pain on injection of propofol. A comparison of pethidine and lignocaine. Anaesthesia, 1996;51:394-395.        [ Links ]

08. Pang WW, Mok MS, Huang S et al - The analgesic effect of fentanyl, morphine, meperidine, and lidocaine in the peripheral veins: a comparative study. Anesth Analg, 1998;86:382- 386.        [ Links ]

09. Mecklem DW - Propofol injection pain: comparing the addition of lignocaine or metoclopramide. Anaesth Intensive Care, 1994; 22:568-570.        [ Links ]

10. Wilkinson D, Anderson M, Gauntlett IS - Pain on injection of propofol: modification by nitroglycerin. Anesth Analg, 1993; 77:1139-1142.        [ Links ]

11. Nicol ME, Moriarty J, Edwards J et al - Modification of pain on injection of propofol - a comparison between lignocaine and procaine. Anaesthesia, 1991;46:67-69.        [ Links ]

12. Eriksson M - Prilocaine reduces injection pain caused by propofol. Acta Anaesthesiol Scand, 1995;39:210-213.        [ Links ]

13. Smith AJ, Power I - The effect of pretreatment with ketorolac on pain during intravenous injection of propofol. Anaesthesia, 1996;51:883-885.        [ Links ]

14. Huang YW, Buerkle H, Lee TH et al - Effect of pretreatment with ketorolac on propofol injection pain. Acta Anaesthesiol Scand, 2002;46:1021-1024.        [ Links ]

15. Schaub E, Kern C, Landau R - Pain on injection: a double-blind comparison of propofol with lidocaine pretreatment versus propofol formulated with long- and medium-chain triglycerides. Anesth Analg, 2004;99:1699-1702.        [ Links ]

16. Mangar D, Holak E - Tourniquet at 50 mmHg followed by intravenous lidocaine diminishes hand pain associated with propofol injection. Anesth Analg, 1992;74:250-252.        [ Links ]

17. Scott RP, Saunders DA, Norman J - Propofol: clinical strategies for preventing the pain of injection. Anaesthesia, 1988;43:492-494.        [ Links ]

18. Iwama H, Nakane M, Ohmori S et al - Nafamostat mesilate, a kallikrein inhibitor, prevents pain on injection with propofol. Br J Anaesth, 1998;81:963-964.        [ Links ]

19. Picard P, Tramer MR - Prevention of pain on injection with propofol: a quantitative systematic review. Anesth Analg, 2000; 90:963-969.        [ Links ]

20. Nyman Y, von Hofsten K, Georgiadi A et al - Propofol injection pain in children: a prospective randomized double-blind trial of a new propofol formulation versus propofol with added lidocaine. Br J Anaesth, 2005;95:222-225.        [ Links ]

21. Larsen B, Beerhalter U, Biedler A et al Less pain on injection by a new formulation of propofol? A comparison with propofol LCT. Anaesthesist, 2001;50:842-845.        [ Links ]

22. Power I, Hons BSC, Brown DT et al - The effect of fentanyl, meperidine and diamorphine on nerve conduction in vitro. Reg Anesth, 1991;16:204-208.        [ Links ]

23. Gissen AJ, Gugino LD, Datta S et al - Effects of fentanyl and sufentanil on peripheral mammalian nerves. Anesth Analg, 1987;66:1272-1276.        [ Links ]

24. Editorial: IV paracetamol product launched. PJ online - Pharmaceut J, 2004;272:498. www.pharmj.com/Editorial/20040424/news/p498ivparacetamol.html.        [ Links ]

 

 

Endereço para correspondência:
Khaled M. El-Radaideh
Assistant Professor of Anesthesia
Division of Anesthesia and Surgical ICU
Jordan University of Science and Technology.
P O Box 3030
Irbid 22110
Jordan
E-mail: elradk01@yahoo.com

Apresentado em 24 de março de 2006
Aceito para publicação em 18 de setembro de 2006

 

 

* Recebido do King Abdullah University Hospital, Irbid, Jordan