SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.62 issue2Cigarette smoking and the effect of dexmedetomidine and fentanyl on tracheal intubation author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094

Rev. Bras. Anestesiol. vol.62 no.2 Campinas Mar./Apr. 2012

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942012000200001 

EDITORIAL

 

Títulos de trabalhos científicos: obrigado pela informação contida em seu título

 

 

A palavra "título", etimologicamente, vem do latim titulus. O título surge em primeiro lugar como anúncio ou mesmo um rótulo. Ele não surge por si só, mas para se referir a algo que lhe é exterior. Normalmente, o título deve exprimir a temática específica que determina o texto. O título é frequentemente destacado e citado, não sendo raros os casos em que ele é o único "pedaço" da obra que a maioria conhece. Nas ciências, somente os títulos dos trabalhos são colocados nas referências, com seus autores e o veículo de publicação (revistas). Assim, ele terá importância na curiosidade do leitor sobre o assunto.

De acordo com o livro Obrigado pela informação que você não me deu 1, aprende-se que relevância, concisão e simplicidade são fatores obrigatórios para quem almeja sucesso com a produção científica. Devido ao excesso de informação diária, a sociedade está se aprimorando em selecionar o que capta seu interesse.

Segundo o Prof. Gilson Volpato, durante suas aulas no curso de Pós-Graduação em Anestesiologia na Faculdade de Medicina de Botucatu, o título do trabalho deve estimular os leitores para que leiam o artigo. Ele afirma que no mundo moderno as pessoas selecionam o que vão ler pelo título: se este as agradar, elas lêem o resumo; e, se o resumo as estimular, lerão o trabalho completo. Há uma tendência, cada vez maior, de a sociedade considerar o tempo o seu bem mais precioso, assim, a leitura de trabalhos científicos que não dizem nada é considerada um desperdício desse bem. Conforme nosso público aumenta, percebemos que o sonho de produzir não apenas tornou-se real, como também necessário.

Em Dicas para Redação Científica 2, Volpato sugere que o título deve ser curto, pois, por possuir uma leitura rápida, o leitor quase sempre irá ignorar títulos longos; o excesso de artigos científicos disponíveis demanda uma triagem daqueles que serão lidos. O autor afirma, ainda, que o título deve ser fiel ao conteúdo do trabalho, não podendo iludir o leitor: ele deve informar precisamente o conteúdo do trabalho, ressaltando seu objetivo ou sua conclusão. De um modo geral, o título deve mostrar a conclusão, o problema ou o assunto, evitando-se sempre que possível termos muito específicos. Isso serve tanto para o projeto quanto para o trabalho concluído.

De acordo com o Professor Volpato, o título é a última eta-pa do processo para publicação, e pode ser escolhido para apresentar o projeto a uma Comissão de Ética e Pesquisa ou mesmo buscar fomentos para sua realização. Assim, o título deve ser simples, conciso, claro, curto e impactante. O título deve ser um "resumo bem compactado" de cada trabalho científico. Se bem escrito, pode ser o principal motivo para que alguém leia o que está sendo oferecido. O título tem uma função muito importante porque esclarece o assunto a ser tratado no texto, chama a atenção do leitor e instiga a leitura, além de criar um suporte ao texto.

Em recente estudo sobre os títulos de artigos publicados no Lancet, British Medical Journal e Journal of Clinical Pathology no ano de 2005, os autores mostraram que certas características relacionadas ao título de um artigo científico orientam o número de citações subsequentes. De um modo geral, houve associação inversa entre o tamanho do título e o número de citações 3; outros autores sugeriram que muitos títulos de artigos científicos podem ser falsos ou enganosos 4. Em uma recente revisão de revistas de dermatologia, os autores mostraram que a maioria dos artigos não informou o desenho do estudo, tanto no título como no resumo 5.

Durante a leitura da Revista Brasileira de Anestesiologia, desperta-nos a atenção o fato de muitos dos títulos não corresponderem aos conteúdos dos respectivos artigos e, principalmente, de não haver coerência entre vários desses títulos e as conclusões respectivas. Portanto, a partir do momento em que a Revista Brasileira de Anestesiologia ganha notoriedade, recebendo artigos de diversos países, devemos ficar mais atentos aos títulos para estimular tanto a leitura de todo o artigo, quanto a citação dos mesmos, a fim de contribuir para o aumento do Fator de Impacto da Revista. Forma e conteúdo do trabalho são, de modo idêntico, a justificativa total das condições e dos fins do projeto existente. Assim, o título é a presença permanente dessa justificativa, como ocupação maior do tempo vivido pelos leitores. Finalmente, o caráter fundamentalmente tautológico do título decorre do simples fato de seus meios serem, ao mesmo tempo, seu fim.

 

Luiz Eduardo Imbelloni
TSA/SBA, MD, PhD

 

REFERÊNCIAS

1. Kestenbaum N - Obrigado pela informação que você não me deu. Rio de Janeiro, Elsevier, 2008.         [ Links ]

2. Volpato GGL - Dicas para redação científica. 2ª Ed., Botucatu, 2006.         [ Links ]

3. Jacques TS, Sebire NJ - The impact of article titles on citation hits: an analysis of general and specialist medical journals. J R Soc Med Sh Rep 2010;1:2. DOI 10.1258/shorts.2009.100020.         [ Links ]

4. Smith J, Dunstone M, Elliott-Rudder M - Health professional knowledge of breastfeeding: are the health risks of infant formula feeding accurately conveyed by the titles and abstracts of journal articles? J Hum Lact, 2009;25:350-358.         [ Links ]

5. Ubriani R, Smith N, Katz KA - Reporting of study design in titles and abstracts of articles published in clinically oriented dermatology journals. Br J Dermatol, 2007;156:557-559.         [ Links ]