SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.66 issue4Psychogenic non-epileptic seizures in the post-anesthesia recovery unitAllergic reaction to patent blue dye in breast surgery - case report author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Anestesiologia

Print version ISSN 0034-7094On-line version ISSN 1806-907X

Rev. Bras. Anestesiol. vol.66 no.4 Campinas July/Aug. 2016

http://dx.doi.org/10.1016/j.bjane.2015.01.004 

Informações Clínicas

Rocurônio e sugamadex em recém-nascido de 3 dias para drenagem de um cisto ovariano. Controle neuromuscular e revisão da literatura

Ricardo Vieira Carlosa  * 

Marcelo Luis Abramides Torresa 

Hans D. de Boerb 

aDepartamento de Anestesiologia, Instituto da Criança, Hospital das Clínicas, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil

bDepartamento de Anestesiologia e Medicina da Dor, Martini General Hospital Groningen, Groningen, Países Baixos


Resumo

Relato do caso de uma criança recém-nascida de três dias de idade com um cisto ovariano gigante programada para a cirurgia. A paciente recebeu uma dose de sugamadex para reverter o bloqueio neuromuscular induzido por rocurônio. Uma recuperação rápida e eficiente do bloqueio neuromuscular foi obtida dentro de 90 segundos. Não foram observados efeitos adversos ou outros problemas de segurança. Além disso, uma revisão da literatura sobre o uso de sugamadex em recém-nascidos foi feita.

PALAVRAS-CHAVE Recém-nascidos; Cisto ovariano; Sugamadex; Rocurônio; Agente de reversão

Abstract

A case is reported in which a 3-days old neonate with a giant ovarian cyst was scheduled for surgery. The patient received a dose of sugammadex to reverse a rocuronium-induced neuromuscular block. A fast and efficient recovery from neuromuscular block was achieved within 90 s. No adverse events or other safety concerns were observed. Furthermore, a review of the literature on the use of sugammadex in neonates was performed.

KEYWORDS Neonates; Ovarian cyst; Sugammadex; Rocuronium; Reversal agent

Introdução

Cistos ovarianos neonatais são incomuns. A incidência desses cistos é de 1/2.500 nascidos vivos e a detecção é com frequência feita no pré-natal durante a ecografia no fim da gravidez.1-3 Esses cistos estão associados a complicações pré- e pós-natais como a torção do ovário, que pode levar à perda de ovário, especialmente em cistos volumosos.1 Portanto, o tratamento de cistos ovarianos inclui observação e intervenção cirúrgica quando sintomáticos.1,2

Rocurônio é um agente bloqueador neuromuscular comumente usado em anestesia clínica e administrado em todas as faixas etárias, incluindo recém-nascidos. Sugamadex é o primeiro agente seletivo de ligação ao bloqueador neuromuscular desenvolvido para reverter o bloqueio neuromuscular (BNM) induzido por rocurônio ou vecurônio. Sugamadex foi estudado em adultos e crianças com mais de quatro anos, mas há poucos dados disponíveis sobre a eficácia e segurança de sugamadex na reversão do BNM induzido por rocurônio em recém-nascidos.3,4

Relatamos o caso de uma criança recém-nascida (três dias), com um cisto gigante no ovário, que recebeu uma dose de sugamadex para reverter um profundo BNM induzido por rocurônio. Discutimos a segurança e eficácia de sugamadex. Além disso, uma revisão da literatura sobre o uso de sugamadex em recém-nascidos foi feita.

Relato de caso

Uma criança do sexo feminino, com três dias, 2,98 kg, apresentou-se com um cisto gigante no ovário, volume de 180 mL confirmado por ultrassonografia. O exame físico revelou uma massa palpável na região abdominal. Exame adicional não revelou outra afecção. Após obter a assinatura da mãe em termo de consentimento informado, a criança foi programada para cirurgia aberta para drenar o cisto sob anestesia geral.

Um acesso intravenoso (IV) foi previamente inserido. A monitoração intraoperatória padrão incluiu ECG, PANI, oximetria de pulso, capnografia, analisador de gases anestésicos e termômetro esofágico. A função neuromuscular foi monitorada com o uso de TOF (sequência de quatro estímulos) do nervo ulnar e foi quantificada com aceleromiografia (TOF-WatchTM SX, Schering-Plough Ireland Ltd., Dublin, Irlanda). A variável de eficácia primária para a reversão foi definida como o tempo desde o início da administração de sugamadex até a recuperação da razão de TOF para 0,9.

Após a pré-oxigenação, a anestesia foi induzida com sevoflurano via máscara facial e opiáceo IV. Os procedimentos de configuração, calibração e estabilização do monitoramento neuromuscular foram executados. A paciente, então, recebeu uma injeção IV em bolus 0,9 mg kg-1de rocurônio. Subsequentemente, a intubação traqueal foi feita e os pulmões foram ventilados com uma mistura de oxigênio e ar em proporção de 2:3. O procedimento cirúrgico transcorreu normalmente, 240 mL de líquido foram drenados do cisto ovariano e uma ooforectomia parcial foi feita. A duração da anestesia foi de 75 min. No fim do procedimento, a monitoração neuromuscular mostrou uma contagem pós-tetânica (PTC 1), indicou um profundo BNM. A reversão do BNM induzido por rocurônio foi feita com a administração de 4 mg kg-1 de sugamadex (12 mg). O tempo para a recuperação do BNM induzido por rocurônio até a razão de TOF para 0,9 foi de 90 s. Em comparação com os valores basais, não foram observadas alterações na pressão arterial ou batimentos cardíacos após a administração da dose de sugamadex. No oitavo minuto após a administração de sugamadex, a traqueia foi extubada e a paciente recebeu alta para a assistência neonatal. A recuperação da paciente da anestesia transcorreu sem intercorrências e não foram observados sinais de BNM residual ou recurarização.

Revisão da literatura

A revisão da literatura foi feita no PubMed e em arquivos pessoais de ambos os autores com critérios de pesquisa para sugamadex e recém-nascidos. Os critérios de inclusão foram: recém-nascidos tratados com sugamadex, artigos em idioma inglês. Essas publicações foram recolhidas e analisadas. A pesquisa bibliográfica sobre sugamadex e recém-nascidos resultou em apenas duas publicações que atendiam aos critérios de inclusão (nenhuma do PubMed), nas quais 24 pacientes foram descritos e que serão discutidas a seguir.4,5

Discussão

A reversão de um BNM profundo induzido por rocurônio com sugamadex (4 mg kg-1) em nossa paciente foi rápida, completa e sem sinais de curarização residual no pós-operatório (CRPO) ou recurarização. Sugamadex foi seguro e bem tolerado. A reversão do BNM é importante para a aceleração da recuperação do paciente e prevenção de CRPO. O BNM induzido por rocurônio pode ser revertida por inibidores da colinesterase. No entanto, a reversão do BNM com inibidores da colinesterase (em combinação com antagonistas muscarínicos) tem limitações devido ao seu mecanismo de ação (ineficaz contra BNM profundo) e é frequentemente associada a efeitos colaterais colinérgicos indesejáveis.

Sugamadex pode ligar-se a drogas esteroides de BNM como rocurônio ou vecurônio e formar um complexo. A encapsulação da molécula de rocurônio por sugamadex resulta em uma diminuição rápida de rocurônio livre no plasma e, subsequentemente, do receptor nicotínico na placa terminal motora e leva a um rápido reaparecimento da atividade muscular. Após a encapsulação, rocurônio não está disponível para se ligar ao receptor nicotínico na junção neuromuscular. Isso promove a liberação de receptores de acetilcolina e a atividade muscular reaparece.

Discussão da revisão da literatura

Em duas publicações, 24 casos neonatais foram descritos, nos quais sugamadex foi administrado.4,5 Em uma das publicações, um paciente com 20 dias e 2,6 kg recebeu 12 mg de sugamadex para reverter um bloqueio neuromuscular profundo induzido por rocurônio. Dentro de dois minutos a razão de TOF para > 0,9 foi recuperada. Não houve relato sobre preocupações com a segurança em relação ao sugamadex.5 Na outra publicação, relatou-se que 23 pacientes foram alocados em dois grupos: A, pacientes com um dia (n = 8, média de peso em kg e [DP] 2,8 [0,8]) e B, 1-7 dias (n = 15, média de peso em kg e [DP] 2,4 [0,8]).4 Todos os recém-nascidos receberam sugamadex (4 mg kg-1) para a reversão de um BNM profundo induzido por rocurônio. A recuperação para razão TOF no Grupo A foi de 1,4 min (0,9) (DP) e 1,2 (0,5), respectivamente. Sugamadex foi seguro e bem tolerado. Em todos os pacientes, a recuperação foi rápida e completa.

Os resultados de nossa paciente estão de acordo com os encontrados na literatura e as doses de sugamadex (4 mg kg-1) produziram tempos de recuperação semelhantes como em outras faixas etárias.3 Portanto, a dosagem e os tempos de recuperação são idênticos em todas as faixas etárias e o uso de sugamadex em recém-nascidos também pode ser comparavelmente benéfico, como mostrado em grupos de pacientes de outras faixas etárias. Isso precisa ser confirmado em mais casos ou estudos dedicados. Além disso, a administração de bloqueio neuromuscular em neonatos também deve consistir da escolha apropriada de um agente bloqueador neuromuscular, monitoramento neuromuscular objetivo e reversão adequada para evitar a CRPO.

Divulgação

Aprovação ética: não foi necessário obter aprovação ética; a mãe da criança permitiu a publicação.

REFERÊNCIAS

1 Noia G, Riccardi M, Visconti D, et al. Invasive fetal therapies: approach and results in treating fetal ovarian cysts. J Matern Fetal Neonatal Med. 2012;25:299-303. [ Links ]

2 Papic JC, Billmire DF, Rescorla FJ, et al. Management of neonatal ovarian cysts and its effect on ovarian preservation. J Pediatr Surg. 2014;49:990-4. [ Links ]

3 Plaud B, Meretoja O, Hofmockel R, et al. Reversal of rocuronium-induced neuromuscular blockade with sugammadex in pediatric and adult surgical patients. Anesthesiology. 2009;110:284-94. [ Links ]

4 Alonso A, de Boer HD, Booij L. Reversal of rocuronium-induced neuromuscular block by sugammadex in neonates. Eur J Anaesthesiol. 2014;31(Suppl. 52):163. [ Links ]

5 Cardenas VHG, Gonzalez FDM. Sugammadex in the neonatal patient. Rev Colomb Anesthesiol. 2013;41:171-4. [ Links ]

Recebido: 17 de Dezembro de 2014; Aceito: 27 de Janeiro de 2015

* Autor para correspondência. E-mail:ricardovieirac@gmail.com (R.V. Carlos).

Conflitos de interesse

Os autores declaram não haver conflitos de interesse.

Creative Commons License This is an Open Access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution Non-Commercial No Derivative License, which permits unrestricted non-commercial use, distribution, and reproduction in any medium provided the original work is properly cited and the work is not changed in any way.