SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 issue4Publicações em enfermagem: levantamento de prioridades author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Enfermagem

Print version ISSN 0034-7167

Rev. bras. enferm. vol.40 no.4 Brasília Oct./Dec. 1987

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71671987000400013 

ARTIGOS

 

Sintomas existenciais versus sintomas patológicos, um problema de rotulagem psiquiátrica: inquérito sobre a vivência de profissionais da saúde mental

 

 

Edna Paciência ViettaI; Sônia Maria Villela BuenoII

IProf. Assistente Dra. do Departamento de Enfermagem Psiquiátrica e Ciências Humanas da EERP-USR
IIProf. Assistente do Departamento de Enfermagem Psiquiátrica e Ciências Humanas da EERP USP (pedagoga)

 

 


RESUMO

A classificação psiquiátrica tem levado à degradação e a segregação social o indivíduo identificado como doente mental, contribuindo para a sua estigmatização. No presente trabalho objetivou-se verificar sintomas emocionais que os docentes de enfermagem consideram normais e anormais; como se percebem dentro deste referencial e como evidenciam o tratamento psiquiátrico. Os resultados evidenciaram que a população estudada considerou como sintomas normais vivenciados: ansiedade, desânimo, depressão, agressividade, angústia, sentimento de culpa, inferioridade e vontade de agredir; não vivenciados, anormais: delírio, alucinação, idéias obsessivas e vontade de matar. Apontaram como sintomas vivenciados com maior intensidade: depressão, sentimento de inferioridade, perseguição e desânimo; 50% da população considera-se equilibrada, a maioria não faz tratamento psicoterápico mas pensa em submeter-se a psicoterapia. Concluiu-se que os docentes foram coerentes com as respostas apresentando um conceito de normalidade dentro de um referencial, num continuum, dando portanto, ao conceito, uma conotação de flexibilidade e relatividade.


ABSTRACT

Psychiatric classification has led to the degradation and social segregation of individuals identified as mental patients, thus contributing to a stigmatizing process. The objective of the present study was to determine the emotional symptoms that Nursing teachers consider normal and abnormal, how they perceive themselves within this frame of reference and how they look upon psychiatric treatment. The results showed that the population studied considered the following symptoms to be part of normal day-to-day living: anxiety, discouragement, depression, aggressiveness, anguish, guilt feelings, inferiority and the wish to aggress others; and to be abnormal symptoms, not part of daily life, the following onçs: delirium, hallucinations, obsessive ideas and the wish to kill. They pointed out as symptoms more intensely experienced in daily life: depression, feeling of inferiority, perscution and discouragement. Fifty percent of the participants consider themselves to be equilibrated. Most of them are not in psychoterapy but are thinking about starting psycotherapy. It was concluded that these Nursing teachers are coherent with their responses, presenting a concept of normality within a continuum, and thus investing the concept with a connotation of flexibility and relativity.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. BARRETO, D. O alienista, o louco e a lei. Petrópolis, Vozes, 1978.         [ Links ]

2. JACCARD, R. A loucura. Rio de Janeiro, Zahar, 1981.         [ Links ]

3. MAY, R. Psicologia e dilema humano. Rio de Janeiro, Zahar, 1977.         [ Links ]

4. ______ Psicologia existencial. Porto Alegre, Globo, 1980.         [ Links ]

5. MILES, A. O doente mental na sociedade contemporânea. Rio de Janeiro, Zahar, 1982.         [ Links ]

6. SZASZ, S.T. Ideologia e doença mental: ensaios sobre a desumanização psiquiátrica do homem. Rio de Janeiro, Zahar, 1977.         [ Links ]

7. ______ O mito da doença mental. Rio de Janeiro, Zahar, 1979.         [ Links ]

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License