SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.51 issue3Leisure and recreation at medical clinics units, wat participant patients think and feelUFMG nursing school: from its creation until today author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Enfermagem

Print version ISSN 0034-7167

Rev. bras. enferm. vol.51 no.3 Brasília July/Sept. 1998

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71671998000300014 

PÁGINA DO ESTUDANTE

 

Libertas que serás enfermagem

 

Free then thou shall be nursing

 

Libertad que serás enfermería

 

 

Mary Anne Fontenele MartinsI; Débora Rodrigues GuerraII; Maria Vilaní Cavalcante GuedesIII

IAcadêmica de enfermagem da Universidade Estadual do Ceará e Bolsista PET/CAPES
IIAcadêmica de enfermagem da Universidade Estadual do Ceará e Bolsista PET/CAPES
IIIEnfermeira, Mestra em Educação, Docente Adjunta do Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual do Ceará e Tutora do PET/CAPES

 

 


RESUMO

O título deste ensaio nos faz lembrar a Inconfidência Mineira, que teve como líder José Joaquim da Silva Xavier, o Tiradentes, sendo um movimento que ansiava por liberdade, assim como a enfermagem que, ao longo dos anos, vem construindo sua história e caminhando em busca de sua autonomia. A presente pesquisa tem como objetivo investigar os caminhos percorridos pela enfermagem, enquanto ciência na busca de sua autonomia, e refletir sobre a atuação do enfermeiro enquanto profissional criativo e autônomo. Estudo respaldado no materialismo histórico e dialético, realizado no período de maio a agosto de 1997 com enfermeiras do Estado do Ceará, que estão envolvidas com o processo histórico da profissão. Os resultados deram origem a uma categoria central, prática profissional e outras três: autonomia, criatividade e disposição para enfrentar desafios, que favoreceram uma melhor compreensão dos caminhos já trilhados pela enfermagem, além de nos permitir entender que o enfermeiro pode ser autônomo e livre.

Palavras chave: Enfermagem - Liberdade - Autonomia - Prática profissional


ABSTRACT

The title of this effort has reminded us of the Inconfidência Mineira, that had José Joaquim da Silva Xavier, the Tiradentes as its leader. It was a movement that longed for freedom, like nursing that, along the years, has been building its history and has been walking in search of its autonomy. This study has aims at investigating the ways nursing has gone through, while a science, it searches for its autonomy and mediates about nurse's performance while an autonomous and creative professional. This study had the historical materialism as support. It was accomplished from May to August, 1997 with nurses from Ceará that were involved with the profession historical process. The results originated a central category, professional practice, and the other three ones: autonomy, creativity and disposition to face challenges, that favour a better comprehension about the paths nursing tracked, besides permitting us to understand that the nurse can be autonomous and free.

Keywords: Nursing - Freedom - Autonomy -Professional Practice


RESUMEN

El título de este ensayo nos hace recordar la "Inconfidencia Mineira", que tuvo como líder José Joaquim da Silva Xavier, o Tiradentes, siendo un movimiento que ansiava por libertad, así como la enfermería que, a lo largo de los años, viene contruyendo su historia y caminando en busca de su autonomía. La presente pesquisa tiene como objetivo investigar los caminos recorridos por la enfermería, encuanto ciencia en la búsqueda de su autonomía, y reflexionar sobre la actuación del enfermero encuanto profesional creativo y autónomo. Estudio respaldado en el materialismo histórico y dialéctico, realizado en el período de mayo a agosto de 1997 con enfermeras del Estado de Ceará, que están envueltas con el proceso histórico de la profesión. Los resultados dieron origen a una categoría central, práctica profesional y otras tres: autonomía, creatividade y disposición para enfrentar desafíos, que permitieron una mejor comprensión de los caminos ya recorridos por la enfermería, además de permitimos entender que el enfermero puede ser autónomo y libre.

Palabras clave: Enfermería - Libertad - Autonomía - Práctica profesional


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. ANGELO, M.. Enfermagem: um passaporte para a primeira fila. R. Esc. Enferm. da USP; v. 30, n. 2, p. 181-186, Ago., 1996.         [ Links ]

2. ANTUNES, M. J. M.. Enfermagem como espaço de inserção de trabalhadores não qualificados. CONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM, 47, 1995,Goiânia. Anais... Goiânia:ABEn,1995.p.37-51.         [ Links ]

3. CRUZ, D. de A. L. M. da.. Contribuições do diagnóstico de enfermagem para a autonomia da enfermeira. SIMPÓSIO NACIONAL SOBRE DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM, 3, 1996, Fortaleza. Conferência... Fortaleza: ABEn, 1996.10 p.         [ Links ]

4. FONSECA, R. M. G. S. da.. Mulher, trabalho e enfermagem: o nexo coesivo. CONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM, 47, 1995, Goiânia. Anais... Goiânia: ABEn, 1995.p.79-90.         [ Links ]

5. GERMANO, R.M.. A ética e o ensino de ética na enfermagem do Brasil. São Paulo: Cortez, 1993,141 p.         [ Links ]

6. GUEDES, M. V. C.. Prática técnica, educativa e social do enfermeiro em uma instituição hospitalar: estudo de caso. Dissertação (Mestrado em Educação) Fortaleza, Universidade Federal do Ceará. 1990, 175 p.         [ Links ]

7. LIMA, M. J. de.. O que é enfermagem. São Paulo: 2. ed. Brasiliense, 1994.102p        [ Links ]

8. LOYOLA, C. M. D.. Os dóce(i)s corpos do hospital. Rio de Janeiro: UFRJ, 1987, 138p.         [ Links ]

9. LUNARDI, V. L.. Uma crítica da moral da obediência para a busca de uma moral autônoma da enfermeira. Texto e Contexto Enferm.; Florianópolis, v. 4, n. 2, p. 73-92, jul./dez., 1995.         [ Links ]

10. MELO, C. M. M.. As interfaces do poder no setor saúde e no trabalho de enfermagem: o jardim de caminhos que se bifurcam. CONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM, 47, 1995, Goiânia. Livro Síntese... Goiânia: ABEn, 1995. p. 71-72.         [ Links ]

11. PIRES, D.. Hegemonia médica na saúde e a enfermagem. São Paulo: Cortez, 1989.154 p.         [ Links ]

12. TRIVIÑOS, A. N. S.. Três enfoques na pesquisa em ciências sociais: o positivismo, a fenomenologia e o marxismo. In:______. Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Atlas, 1987. p. 49-63.         [ Links ]

13. WALDOW, V. R.. O Ensino de enfermagem numa dimensão feminista e existencialista: uma reflexão crítica para a liberação. Revista Gaúcha de Enferm., Porto Alegre, v. 11, n.2, p.35-40, jul., 1990.         [ Links ]

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License