SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.52 issue1Factors that cause satisfaction and insatisfaction among patients assisted by SUSRelated teaching-learning process to the technique of verification of the arterial pressure author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Enfermagem

Print version ISSN 0034-7167

Rev. bras. enferm. vol.52 no.1 Brasília Jan./Mar. 1999

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71671999000100007 

ARTIGOS

 

Necessidades em saúde: questões importantes para o trabalho da enfermagem

 

Needs in health: important questions to nursing work

 

Necesidades de la salud: cuestiones importantes para el trabajo de la enfermería

 

 

Edir Nei Teixeira ManduI; Maria Cecília Puntel de AlmeidaII

IEnfermeira. Professora Adjunto IV do Departamento de Enfermagem Materno-lnfantil da Faculdade de Enfermagem e Nutrição/UFMT. Doutoranda do Programa Interunidades de Doutorado em Enfermagem da EERP/USP
IIEnfermeira. Professora Titular do Departamento de Enfermagem Materno-lnfantil e de Saúde Pública da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto/USP

 

 


RESUMO

A construção de novos parâmetros e práticas em saúde e enfermagem, no sentido do efetivo exercício de direitos sociais, é um desafio posto na atualidade. Este trabalho é uma contribuição ao enfrentamento desse desafio. Olhando para o saber da enfermagem, reflete-se sobre um dado modo de interpretação das necessidades em saúde. A partir de uma discussão acerca das necessidades humanas e de sua relação com o trabalho em saúde, submete-se à crítica a interpretação das necessidades humanas/em saúde presente na teoria de Wanda de Aguiar Horta. Destaca-se na análise a importância da autonomia/autovalorização humana e a interpretação de necessidades a partir da consideração aos sujeitos que recebem-fazem saúde e ao contexto social.

Palavras-chave: assistência de enfermagem, necessidades em saúde, saber da enfermagem.


ABSTRACT

The construction of new paradigms and practices in health and nursing, directed to an effective exercise of social rights is an actual challenge. The present study is a contribution to solve this challenge. Looking at nursing knowledge, authors reflect on a way of interpreting the needs in health. Based on a discution about human needs and their relationship with the health work, they analyse them following the direction of Wanda de Aguiar Horta's theory. They emphasize the importance of human autonomy/selfvaluing and the interpretation of needs based on the consideration of people who receive and give health care and of the social context.

Keywords: nursing care, needs in health, nursing knowledge.


RESUMEN

La construcción de nuevos parámetros y prácticas en salud y enfermería en el sentido del ejercicio efectivo de los derechos sociales, es un desafío actual. El presente trabajo es una contribución al enfrentamiento de este desafío. Analisando el saber de la enfermería reflexionamos sobre esta manera de interpretar las necesidades de la salud. A partir de una discusión a cerca de las necesidades humanas y de su relación con el trabajo en salud, nos sometemos a la crítica de la interpretación de dichas necesidades, presente en la teoria de Wanda de Aguiar Horta . El análisis destaca la importancia de la autonomía/autovalorización humana y de la interpretación de las necesidades a partir de las consideraciones de sujetos que reciben y hacen salud y del contexto social.

Palavras llave: necesidades en la salud, asistencia de la enfermería, saber de la enfermería.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALMEIDA, M. C. P. de; ROCHA, J. S. Y. O saber de enfermagem e sua dimensão prática. São Paulo: Cortez, 1986.         [ Links ]

AYRES, J. R. de C. M. Adolescência e saúde coletiva: aspectos epistemológicos da abordagem programática. In: SCHRAIBER, I. B. Programação em saúde hoje. São Paulo: Hucitec, 1993. p. 139-182.         [ Links ]

DÂMASO, R. Saúde e autonomia: para uma política da vida. In: Fleury, s. (Org) Saúde: coletiva? Questionando a onipotência do social. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1992. p. 213-230.         [ Links ]

CAMPOS, G. W. de S. Considerações sobre a arte e a ciência da mudança: revolução das coisas e reforma das pessoas. O caso da saúde. In: CECÍLIO, L. C. de O (Org.) Inventando a mudança na saúde. São Paulo: Hucitec, 1994. p. 29-88.         [ Links ]

CAMPOS, G. W. de S. Análise crítica das contribuições da saúde coletiva a organização das práticas de saúde no SUS. In: FLEURY, S. (Org.) Saúde e democracia: a luta do CEBES. São Paulo: Lemos Editorial, 1997. p. 113-124.         [ Links ]

FROMM, E. Conceito marxista do homem. Tradução de Octávio Alves Velho. 4. ed., Rio de Janeiro: Zahar, 1967. (Com uma tradução dos Manuscritos econômicos e filosóficos de Karl Marx, por T. B. Bottomore).         [ Links ]

HELLER, A.; FEHÉR, F. A condição política pós-moderna. Tradução de Marcos Santarrita. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998.         [ Links ]

HORTA, W. A. Processo de enfermagem. São Paulo: EPU, 1979.         [ Links ]

MERHY, E. E. A perda da dimensão cuidadora na produção da saúde: uma discussão do modelo assistencial e da intervenção no seu modo de trabalhar a assistência. DMPS/FCM/UNICAMP. Conferência Nacional de Saúde On-Line. Temas em debate. Campinas, 1997a.         [ Links ]

MERHY, E. E. Em busca do tempo perdido: a micropolítica do trabalho. In: MERHY, E. E.; ONOCKO, R. (Orgs) Agir em saúde: um desafio para o público. São Paulo: Hucitec/Buenos Aires: Lugar Editorial, 1997b. p. 71-112.         [ Links ]

MENDES-GONÇALVES Práticas de saúde: processos de trabalho e necessidades. Cadernos Cefor, São Paulo: SMS, 1992.

SCHRAIBER, L B.; MENDES-GONÇALVES, R. B. Necessidades de saúde e atenção primária. In: SCHRAIBER, L. B.; NEMES, M. I. B.; MENDES-GONÇALVES, R. B. (Orgs) Saúde do adulto: programas e ações na unidade básica. São Paulo: Hucitec, 1996. p.29-47.         [ Links ]

VAITSMAN, J. Saúde, cultura e necessidades. In: Fleury, S. (Org) Saúde: coletiva? Questionando a onipotência do social. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1992. p. 157-173.         [ Links ]

 

 

1 A interpretação específica do conteúdo dessas necessidades, expresso entre parênteses, é nossa, a partir de afirmações gerais da autora.
2 Merhy, no texto referido, explica o uso do termo "irteseçor" em substituição ao termo intercessor.
3 Abraham Maslow, psicólogo clínico, nos anos 40/50, trabalha com a noção de necessidades como ponto de partida do comportamento motivacional.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License