SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.54 issue1Dental health: a challenge for the health professionalsEthics in the daily professional practice of nurses author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Enfermagem

Print version ISSN 0034-7167

Rev. bras. enferm. vol.54 no.1 Brasília Jan./Mar. 2001

https://doi.org/10.1590/S0034-71672001000100007 

PESQUISA

 

Significados de cuidado para crianças e adolescentes vítimas da violência doméstica1

 

The meaning of "care" for children and adolescents who have suffered domestic violence

 

Los significados de cuidado para niños y adolescentes víctimas de la violencia doméstica

 

 

Alcione Leite da SilvaI; Cristina VogelII; Mirela Schmidt VirgílioIII

IEnfermeira. Doutora em Filosofia de Enfermagem. Professora Titular do Depto. De Enfermagem da UFSC. Coordenadora Didático-Pedagógica do Curso de Doutorado em Enfermagem da UFSC e Coordenadora do Núcleo de Pesquisa Cuidando-Confortando: Tecnologias Inovadoras pró Ser e Viver Saudável
IIAluna do Curso de Graduação em Enfermagem da UFSC. Membro do Núcleo de Pesquisa Cuidando-Confortando: Tecnologias Inovadoras pró Ser e Viver Saudável
IIIAluna do Curso de Graduação em Enfermagem da UFSC, Bolsista de Iniciação Científica (PIBIC). Membro do Núcleo de Pesquisa Cuidando-Confortando: Tecnologias Inovadoras pró Ser e Viver Saudável

 

 


RESUMO

Trata-se de um estudo fenomenológico hermenêutico, que teve como objetivo desvelar os significados de cuidado a partir da experiencia vivida por crianças e adolescentes vítimas da violencia doméstica. Foi desenvolvido em duas Casas-Lares, em Florianópolis, que funcionam em regime de abrigo temporário e excepcional, para crianças e adolescentes do sexo masculino e feminino vítimas da violencia doméstica. As descrições, obtidas nas respostas e desenhos de dezoito crianças e adolescentes do sexo feminino e masculino, possibilitou-nos caracterizar "o cuidado como forma de promoção da vida, de expressão do ser, de relação com o meio ambiente e, de negação de experiências vividas e de resistência para sobreviver."

Palavras-chave: cuidado, significados, violência doméstica


ABSTRACT

This is a phenomenological and hermeneutic study. Its objective is to reveal the meaning of "care" for children and adolescents who have suffered domestic violence. The investigation was carried out in two casas-lares (orphanage houses) in Florianópolis. These houses functioned as temporary shelters for either girls or boys who had suffered some kind of violence in their homes. The descriptions obtained through the answers and drawings of eighteen children and adolescents enabled us to characterize "care " as a way of promoting life, expressing oneself, relating to the environment, denying past experiences and resisting in order to survive.

Keywords: care, meanings, domestic violence


RESUMEN

Se trata de un estudio fenomenológico hermenêutico que tuvo como objetivo desvelar los significados de cuidado a partir de la experiencia vivida por los niños y adolescentes víctimas de la violencia doméstica. Se desarrolló en dos Casas-Hogares en Florianópolis, que funcionan en régimen de albergue temporario y excepcional para niños y adolescentes de sexo masculino y femenino víctimas de la violencia doméstica. Las descripciones obtenidas en las respuestas y en los dibujos de los dieciocho niños y adolescentes nos han posibilitado caracterizar el cuidado como forma de promoción de la vida, de expresión del ser, de relación con el medio ambiente y de la negación de las experiencias vividas y de resistencia para supervivir.

Palavras clave: cuidado, significados, violencia doméstica


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AZEVEDO, M.A. Notas para uma teoria crítica da violência familiar contra crianças e adolescentes. In: AZEVEDO, M.A.; GUERRA, V.N.de A. (Org.). Infância e violência doméstica, fronteiras do conhecimento. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1997. p. 25-47.         [ Links ]

AZEVEDO, M.A. GUERRA, V.N.de A. (Org.). As politicas sociais e a violência doméstica contra crianças e adolescentes: um desafio recusado em São Paulo? In: Infância e violência doméstica: fronteiras do conhecimento. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1997. p. 25-47.         [ Links ]

BARBOSA, H. Abuso e exploração sexual de crianças: origens, causas, prevenção e atendimento no Brasil. In: WERTHEIN, J.; BORGES, M.D.; CUNHA, C. da. Inocência em perigo. Brasília-DF: UNESCO, 1999. p.24-38.         [ Links ]

BOEMER, M.R.; VALLE, E.R.M. do. O significado do cuidar de criança com câncer visão de enfermeiras. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v.41, n.1, p.56-63, jan./mar. 1988.         [ Links ]

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Assistência à Saúde. Violência contra a criança e o adolescente - proposta preliminar de prevenção e assistência à violência doméstica, Brasília, DF. 1993.         [ Links ]

______. Ministério da Saúde. Estatuto da Criança e Adolescente. Brasília-DF, 1991.         [ Links ]

BRASIL. Constituição. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988. Art. 227.         [ Links ]

CAMARGO, CL; BURALLI, K.O. Violência familiar contra crianças e adolescentes. Salvador: Ultragraph, 1998.         [ Links ]

CHAUÍ, M. Participando do debate sobre mulher e violência. In:______. Perspectivas antropológicas da mulher. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.         [ Links ]

COLLIÈRE, M.F. Promover a vida. Lisboa: Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, 1989.         [ Links ]

DARO, D.; STEVO, K. Revisão resumida do abuso infantil da negligência na América do Norte. In: WERTHEIN, J.; BORGES, M.D.; CUNHA, C. da. Inocência em perigo. Brasília-DF: UNESCO, 1999. p.68-69.         [ Links ]

FERREIRA, A.B. de H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.         [ Links ]

GAYLIN, W. Caring. New York: Avon Books, 1979.         [ Links ]

GONZAGA, M L. de C.; NEVES-ARRUDA, E. O cuidado na hospitalização: uma perspectiva infanto-juvenil. Revista Texto & Contexto - Enfermagem, Florianópolis, v.7, n.2, p. 1998a.         [ Links ]

GONZAGA, M.L. de C.; NEVES-ARRUDA, E. Fontes e significados de cuidar em um hospital pediátrico. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v.6, n.5, p. 17-26, dez. 1998b.         [ Links ]

ROACH, M.S. The human act of caring, a blueprint for the health professions. Ontario-Ottawa: Canadian Hospital Association, 1987.         [ Links ]

SILVA, A.L. da. Cuidado Transdimensional: um paradigma emergente. Pelotas: Universitária da UFPEL, 1997.         [ Links ]

SILVA, A.L.da. O cuidado no encontro de quem cuida e de quem é cuidado. In: MEYER, D.E.; WALDOW, V.R.; LOPES, M.J.M. Marcas da diversidade, saberes e fazeres da enfermagem contemporânea. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998. p.195-241.         [ Links ]

SILVA, A.L.da; BELLAGUARDA, M.L.; VOGEL, C. Significados do cuidado em um universo infanto-juvenil. Revista Texto & Contexto - Enfermagem, Florianópolis, v. 7, n. 2, p.68-83, 1998.         [ Links ]

STEVO, K. Resumo do relatório global sobre negligência e abuso de crianças. In: In: WERTHEIN, J.;BORGES, M.D.; CUNHA, C. da. Inocência em perigo. Brasília-DF: UNESCO, 1999. p.65-67.         [ Links ]

VAN MANEN, M. Researching lived experience: human science for an action sensitive pedagogy. New York: The State University of New York, 1990.         [ Links ]

WALDOW, V.R. Cuidado humano: o resgate necessário. Porto Alegre: Sagra Luzzato, 1998. p.93-126.         [ Links ]

 

 

Recebido em outubro de 2000
Aprovado em junho de 2001

 

 

1 Prêmio Edith Magalhães Fraenket, 1°. iugar, 52° CBEn, 2000.
2 O estatuto da Criança e do Adolescente não utiliza essa terminologia, sendo esta utilizada no Projeto desenvolvido em Santa Catarina.
3 O critério para a definição do período que caracterizou a infância e adolescência foi adotado da OMS. O nome das crianças e adolescentes apresentados no estudo foi alterado para assegurar o anonimato.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License