SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.68 issue4Novidades na cirurgia de catarata: lentes intraoculares asféricasProfile of patient with aphakic/pseudopfakic bullous keratopaty attended at public hospital author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Oftalmologia

Print version ISSN 0034-7280On-line version ISSN 1982-8551

Rev. bras.oftalmol. vol.68 no.4 Rio de Janeiro July/Aug. 2009

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-72802009000400002 

ARTIGO ORIGINAL

 

Emergências oftalmológicas em um hospital dia

 

Ophthalmological's emergencies of a day hospital

 

 

Ana Carolina Igreja LeonorI; Joyce Treinta DalfréII; Pedro Bertino MoreiraIII; Osmar Antônio Gaiotto JúniorIV

IMédica Residente do Departamento de Oftalmologia do Hospital Dia da Santa Casa de Misericórdia de Limeira - Limeira - SP, Brasil
IIMédica Residente do Departamento de Oftalmologia do Hospital Dia da Santa Casa de Misericórdia de Limeira - Limeira - SP, Brasil
IIIMédico Preceptor do Departamento de Oftalmologia, Setor de Córnea e Catarata, do Hospital Dia da Santa Casa de Misericórdia de Limeira - Limeira (SP), Brasil
IVMédico Coordenador do Departamento de Oftalmologia do Hospital Dia da Santa Casa de Misericórdia de Limeira - Limeira - SP, Brasil

Endereço para correspondência

 

 


RESUMO

Objetivo: Determinar as principais causas de atendimento oftalmológico de urgência e emergência.
Métodos: Foram examinados prospectivamente, no período de fevereiro a julho de 2007, 810 pacientes do Hospital Dia da Santa Casa de Misericórdia de Limeira, correlacionando-os com sexo, faixa etária e procedência dos pacientes.
Resultados:
Houve predominância do sexo masculino (66,6%), na faixa etária de 19 a 40 anos (74%) entre os homens e de 0 a 18 anos (52%) entre as mulheres. As causas mais comuns de atendimento foram corpo estranho ocular (32%), conjuntivite viral (17%) e afecções das pálpebras e anexos (12%).
Conclusão:
Neste estudo das emergências oftalmológicas houve prevalência do sexo masculino, de pacientes na faixa etária economicamente ativa e de casos de corpo estranho ocular.

Descritores: Conjuntivite; Corpos estranhos no olho; Pálpebras; Análise estatística; Serviços médicos de emergência


ABSTRACT

Objective: The objective was to ascertain the main cause of the urgency and emergency in all ophthalmological diagnosis.
Methods
: Between february and july of 2007, eight hundred and one patients were examined prospectively at Hospital Dia da Santa Casa de Misericórdia de Limeira - SP . Patients were correlated with sex, age and origin.
Results
: Most of these patients were men (66%) between nineteen and forty years old (74%) and female from zero to eighteen years old (52%). The most frequent causes for all the diagnosis were eye foreign body (32%), viralconjunctivitis (17%) and eyelids and adnexa diseases (12%).
Conclusion:
In this study of Ophthalmological's emergencies, there were prevalence of men, patients in economically active age and cases of eye foreign body.

Keywords: Conjunctivitis; Eye foreign bodies; Eyelids; Statistical analysis; Emergency medical services


 

 

INTRODUÇÃO

As emergências oftalmológicas são importantes causas de morbidades e estão presentes em nosso cotidiano, devendo o oftalmologista estar apto a este tipo de atendimento já que o tratamento inadequado pode levar à perda da capacidade visual do paciente.

Quando comparadas com as demais emergências médicas, as oftalmológicas não são as mais frequentes, e nem sempre é o oftalmologista o primeiro a ser consultado.Isto prejudica muitas vezes o prognóstico ocular devido ao despreparo de plantonistas não especialistas em adotar medidas imediatas e corretas(1).

A população está exposta a diversos fatores de risco que podem levar à procura de atendimento oftalmológico de urgência(2). Mesmo quando não são tão graves requerem cuidados médicos especializados e tratamento, por vezes, prolongado, principalmente quando há perfuração ocular(3).

Este trabalho teve a finalidade de pesquisar a incidência das emergências oftalmológicas do setor oftalmológico do Hospital Dia da Santa Casa de Misericórdia de Limeira-SP, o qual recebe pacientes encaminhados de ambulatórios e prontos-socorros das cidades e regiões (Engenheiro Coelho, Iracemápolis, Cordeirópolis e Americana), em 810 pacientes atendidos durante o período de fevereiro a julho de 2007.

 

MÉTODOS

Foram analisadas as fichas de atendimento de 810 pacientes atendidos no pronto-socorro de oftalmologia do Hospital Dia da Santa Casa de Misericórdia de Limeira-SP, nos meses de fevereiro a julho de 2007, em horário de seu funcionamento normal (entre 7:30 até 17:00h). Em todos os pacientes do estudo foi realizado exame oftalmológico completo, a fim de determinar o diagnóstico exato e o tratamento mais adequado(4).

Foram considerados para efeito deste trabalho a idade, o sexo, a data de atendimento e o diagnóstico de entrada, que por sua vez foi classificado de acordo com o Código Internacional de Doenças (CID-10)(5). Os registros incompletos foram excluídos da análise final.Os retornos não foram considerados(2).

Os dados foram armazenados no programa excel, e submetidos à análise estatística descritiva(6).

 

RESULTADOS

Durante o período de realização do estudo, foram atendidos 810 pacientes no ambulatório de urgência, sendo 540 (66,6%) do sexo masculino e 270 (33,4%) do sexo feminino.

Observando a figura 1, notamos que a faixa etária predominante no sexo feminino foi de 0 a 18 anos (52%) e no sexo masculino, de 19 a 40 anos (74%).

 

 

Nota-se na figura 2 que na faixa etária de 0 a 18 anos o diagnóstico prevalente foi conjuntivite viral (32%).

 

 

O diagnóstico de corpo estranho ocular predominou nas faixas etárias de 19 a 40 anos (42%) e de 41 a 60 anos (34%).

Nos pacientes com mais de 61 anos houve prevalência de outros diagnósticos mais isolados (48%), tais como hiposfagma, ametropia, glaucoma, catarata e disfunção das vias lacrimais.

A Figura 3 mostra maior prevalência de casos de conjuntivite viral (29%) e afecções das pálpebras e anexos (23%) no sexo feminino. Já no sexo masculino houve prevalência de casos de corpo estranho (44%) e em mesma frequência afecções das pálpebras e anexos (11%) e conjuntivites virais (11%).

 

 

Na Figura 4, observa-se que em nosso serviço houve predominância de pacientes da própria cidade, Limeira, com porcentagem de 90%, seguido das cidades Iracemápolis (4%) e Engenheiro Coelho (4%).

 

 

Observando a figura 5, nota-se que os diagnósticos mais prevalentes foram corpo estranho ocular (32%), conjuntivite viral (17%) e afecções das pálpebras e anexos (12%).

 

 

DISCUSSÃO

O setor oftalmológico da Santa Casa de Misericórdia de Limeira - SP, por ser um serviço de residência médica e credenciado ao SUS, atende uma grande demanda de urgências e emergências da cidade de Limeira e região. Geralmente os atendimentos têm origem de encaminhamentos dos prontos-socorros e ambulatórios gerais.

Constatamos, em nosso estudo, a predominância do sexo masculino nos atendimentos emergenciais realizados, concordando com as casuísticas encontradas na literatura(7-9). Há também concordância no que se refere à faixa etária mais acometida, que é a de adultos jovens e em idade produtiva, principalmente entre os homens, podendo ser explicado devido à quantidade populacional dessa faixa etária, inexperiência, falta de instrução adequada no uso de equipamentos de segurança e, não raro, condições inadequadas no ambiente de trabalho(8).

Dentre os diagnósticos mais frequentes, o que explica em nosso estudo o diagnóstico de corpo estranho ocular é o fato de que a cidade de Limeira é referência na produção de jóias e bijuterias em nosso país, apresentando um grande número de pessoas que trabalham com solda elétrica e funções afins.

Outro diagnóstico prevalente em nosso serviço foi o de conjuntivite viral, o que difere dos achados de Adam Netto(1) e Gómez(10), que encontraram maior incidência de conjuntivites bacterianas. Acreditamos que este resultado se deve ao fato de que nosso serviço receba pacientes previamente triados e portanto muitos casos de conjuntivite bacteriana acabem sendo tratados e resolvidos em ambulatórios e prontos-socorros, deixando de ser encaminhados ao oftalmologista. Notamos que, na maioria dos pacientes encaminhados com quadro de conjuntivite viral havia sido introduzido tratamento com colírio antibiótico, de onde deduzimos a desorientação de muitos médicos não oftalmologistas a respeito dos tipos de conjuntivite.

As doenças das pálpebras e anexos em concordância com os trabalhos de Schellini et al.(11) e Adam Netto(1) também foram bastante frequentes.

 

CONCLUSÃO

No estudo das emergências oftalmológicas em nosso serviço, houve prevalência do sexo masculino sobre o feminino, de pacientes na faixa etária economicamente ativa e de casos de corpo estranho ocular, demonstrando grande relação dos acidentes com o setor ocupacional.

Notamos em nosso trabalho uma predominância do diagnóstico de conjuntivite viral em relação à bacteriana. Talvez este resultado se deva à antibioticoterapia tópica indiscriminada para os casos de conjuntivite na prestação do primeiro atendimento.

Seria de grande importância o estímulo do uso de equipamentos de proteção no ambiente de trabalho e instrução dos trabalhadores sobre os riscos de acidentes.

 

REFERÊNCIAS

1. Adam Netto A, Wayhs LF, Santos Jr EC. Diagnósticos emergenciais em oftalmologia em um hospital universitário. Rev Bras Oftalmol.2002; 61(12): 877-83.         [ Links ]

2. Sugano DM, Ávila, MP, Lima VL, Carvalho F, Rehder JR. Estudo do perfil de demanda e morbidade ocular em um serviço de emergência oftalmológica no período de 1999 a 2002. Rev Bras Oftalmol. 2004; 63(4): 231-5.         [ Links ]

3. Campos Jr JC. Perfil do atendimento oftalmológico de urgência. Rev Bras Oftalmol. 2004; 63(2): 89-91.         [ Links ]

4. Mantilla Silva M, Servat Univazo J. Emergencias oftalmologicas en el hospital regional docente de Trujillo. Rev Oftalmol (Lima). 1986; 7(1): 13-9.         [ Links ]

5. Classificação estatística internacional de doenças e problemas relacionados à saúde. CID10. Genebra; OPAS/OMS; 2000.         [ Links ]

6. Lima DM, Stillitano I, Gifoni A, Lobato FT, Cardoso G. Perfil das queimaduras químicas oculares em um serviço de emergência oftalmológica no estado de Pernambuco. Rev Bras Oftalmol. 2001; 60(11): 800-4.         [ Links ]

7. Fabris C, Serafim AE, Gomes E W. Trauma ocular no trabalho. Pesqui Méd. 1999; 33(1/2): 21-6.         [ Links ]

8. Dias JFP, Xavier MM. Traumas oculares por acidentes do trabalho. Rev Bras Oftalmol. 1989; 48(4): 263-7.         [ Links ]

9. Niranen M. Perforating eye injuries caused by occupactional accidents treated at Helsinki University Eye Hospital in 1970 to 1977. Acta Ophthalmol. 1979; 57: 822.         [ Links ]

10. Gómez RM. Urgências oftalmologicas. Revision de 2209 casos. Bol Hosp Viña del Mar. 1985; 41(3): 46-50.         [ Links ]

11. Schellini SA, Yasuoka ER, Itoda LK, Dutton GA, Jorge EN, Silva M. Morbidade ocular no serviço de emergência e triagem oftalmológica - Unesp - Botucatu. Rev Bras Oftalmol. 1991; 50(2): 48-55.         [ Links ]

 

 

Endereço para correspondência:
Ana Carolina I. Leonor

Rua Santa Cruz, nº 1070 - apto 92
CEP 13480-042 - Limeira - SP
Tel: (19) 34415250
E-mail: joycedalfre@yahoo.com.br

Recebido para publicação em: 29/12/2008
Aceito para publicação em 29/4/2009

 

 

Trabalho realizado no Serviço de Oftalmologia do Hospital Dia da Santa Casa de Misericórdia de Limeira - Limeira - SP, Brasil

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License