SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.52 issue1Novas masculinidades nas organizações author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

  • On index processCited by Google
  • Have no similar articlesSimilars in SciELO
  • On index processSimilars in Google

Share


Revista de Administração de Empresas

Print version ISSN 0034-7590

Rev. adm. empres. vol.52 no.1 São Paulo Jan./Feb. 2012

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-75902012000100011 

INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS

 

Geopolítica e organizações

 

 

Vivemos um período de transição da hegemonia mundial, no qual países e blocos econômicos lutam para superar suas crises e aumentar seu peso nas decisões globais e sua participação na distribuição dos recursos planetários escassos. Geopolítica e Organizações é uma área ainda nascente da pesquisa em Administração, que procura entender o papel das organizações públicas, privadas e do terceiro setor, nacionais e internacionais, no jogo pelo poder global entre os diversos países. Nesse jogo, as organizações são tanto causa quanto efeito do sucesso de um país. Buscando sair dos paradigmas ideológicos vigentes e da limitação da relação entre os fatores geopolíticos e as organizações ao conceito de risco político, a área busca construir análises e cenários realistas para que as organizações possam posicionar-se durante o atual período de incertezas. Antonio Gelis Filho, professor da FGV-EAESP, oferece aqui suas indicações sobre o tema.

 

 

WORLD-SYSTEMS ANALYSIS: An introduction. Immanuel Wallerstein. Durham: Duke University Press, 2004. 109 p. O sociólogo norte-americano é um dos mais respeitados cientistas sociais vivos e um ativo pensador da esquerda mundial. Sua teoria do sistema-mundo oferece uma alternativa convincente à compreensão neoliberal vigente desde o final da Guerra Fria e que agora se encontra em crise. Sua análise da situação mundial parece explicar muitos dos fenômenos geopolíticos recentes.

 

 

HISTOIRE SECRÈTE DU PATRONAT: De 1945 à nos jours. BennoÎt Collombat e David Servenay (Dirs.) Paris: La Découverte, 2009. 719 p. Patronat é uma expressão utilizada em referência às pessoas e grupos que controlam o grande capital na França. Nesta obra, os autores oferecem uma visão panorâmica da estreita, e frequentemente secreta, relação entre os governos franceses e as grandes empresas e grupos empresariais do país. Poucos livros cumprem melhor o papel de destruir as ilusões em relação à existência uma suposta mão invisível do mercado na construção da fortuna nacional.

 

 

LA CHINA EMERGENTE: La transformación del gigante asiático desde dentro. Wu Xiaobo. Beijing: China Intercontinental Press, 2009. 327 p. Publicado na China, este livro é um envolvente diário das transformações econômicas chinesas desde 1978, que consegue oferecer uma visão geral do processo sem se esquecer das estórias e dramas dos pequenos atores da economia. O autor faz isso, porém, sem deixar de destacar o papel de Deng Xiaoping e de sua política de desenvolvimento econômico na construção do milagre econômico chinês, processo esse que mudaria a distribuição do poder global.

 

 

CRUDE CONTINENT: The struggle for Africa's oil prize. Duncan Clarke. London: Profile Books, 2008. 674 p. Talvez nenhuma outra indústria sinta tão de perto os efeitos das disputas geopolíticas quanto a indústria de petróleo e gás. O autor deste livro, tendo passado parte de sua vida nessa atividade, oferece uma visão abrangente, e por vezes deprimente, do pesado jogo de poder econômico e político em torno do petróleo africano, envolvendo governos e empresas. Um jogo que, infelizmente, pouco beneficiou a população mais pobre do continente.

 

 

THE SUBLIME OBJECT OF IDEOLOGY. Slavoj ŽiŽek. New York: Verso, 1989. 240 p. O filósofo esloveno é uma das mais polêmicas e brilhantes personalidades do pensamento crítico contemporâneo. Situando seu trabalho na intersecção entre Lacan, Marx e Hegel, ŽiŽek, nesta obra, leva a geopolítica à sua fronteira última: a construção pessoal e inconsciente da ideologia. Ele mostra também, com base em exemplos históricos, como pode ser rápida a modificação da maneira de pensar das pessoas em resposta às crises. Infelizmente, um tema atual.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License