SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.6 issue1Hipovitaminosis "A": serum vitamin "A" content and cacotene level in the State of S. Paulo, Brazil, seaside populationsHealth levels in the Taquari-Antas Region, State of Rio Grande do Sul, Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

Share


Revista de Saúde Pública

Print version ISSN 0034-8910

Rev. Saúde Pública vol.6 no.1 São Paulo Mar. 1972

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101972000100003 

ARTIGO ORIGINAL

 

Diafanização de esfregaços de fezes

 

Clearing of fecal smears

 

 

Claúdio Santos Ferreira; Maria Esther de Carvalho

Do Departamento de Parasitologia do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo. – Av. Dr. Arnaldo, 455 – São Paulo, S.P. – Brasil

 

 


RESUMO

Nas mesmas condições de turbidez (transmitância = 50%), as médias das quantidades de fezes por unidade de área de esfregaço sofrem acréscimos quando, ao invés de água, usam-se diluentes de índices de refração mais elevados. Calculados como fatores, esses acréscimos foram, em média, 3,17 para a solução de sacarose a 54% (n = 1,438), 1,95 para a solução de glicerina a 50% (n = 1,411) e 1,50 para a solução de sacarose a 30% (n = 1,385). A absorciometria fatoelétrica mostrou-se adequada à avaliação do rendimento do processo de diafanização de esfregaços de fezes.

Unitermos: Esfregaços fecais*; Diafanização*; Índice de refração*; Absorciometria.


SUMMARY

Under the same conditions of turbidity (transmittance = 50%) the average amounts of feces per unit smear area are increased when diluents with high refractive indices are substituted for water. Such increments, calculated as factors, were on the average: 3.17 for 54% sucrose (n = 1.438); 1.95 for 50% glycerol (n = 1.411); and 1.50 for 30% sucrose (n = 1.385) aqueous solutions. Photoelectric absorptiometry was found adequate for evaluating the efficiency of fecal smear clearing processes.

Uniterms: Fecal smears*; Clearing*; Refractive index*; Absorptiometry.


 

 

INTRODUÇÃO

A quantidade de material contida por unidade de área de uma preparação fecal é limitada pela turbidez máxima compatível com a identificação de elementos parasitários.

O baixo índice de refração da água (n = 1,333) torna pouco transparentes os objetos microscópicos nela imersos (BAKER1, 1950). Meios de índices de refração mais elevados aumentam o rendimento do microscópio, sendo preferíveis. Os meios de montagem podem ser divididos em dois grandes grupos: miscíveis e não miscíveis em água (ROMEIS6, 1948).

A diafanização de esfregaços de fezes por meio de óleo de cedro (n = 1,505) foi proposta por HEIN4 (1927). Embora ofereça bom rendimento, há necessidade de prévia dessecação das preparações, o que torna inidentificáveis os ovos de várias espécies de helmintos, impossibitando também a pesquisa de cistos de protozoários.

A glicerina, um dos meios de montagem de uso mais freqüente dentre os miscíveis em água, é empregada em solução aquosa a 50%, na técnica de Kato e Miura para a preparação de esfregaços espessos de fezes (KOMIYA & KOBAYASHI5, 1966).

Considerando a analogia entre os métodos gerais de diafanização usados em microscopia ótica, efetuamos determinações turbidimétricas de suspensões de fezes em água (n = 1,333), solução de sacarose a 30% (n = 1,385), solução de glicerina a 50% (n = 1,411) e solução de sacarose a 54% (n = 1,438). A turbidimetria fotoelétrica, empregada no presente estudo, possibilita a avaliação objetiva do rendimento do processo.

O estado de conservação e as condições de visibilidade dos ovos de helmintos presentes em diversas das amostras de fezes examinadas foram objeto de verificação.

 

MATERIAIS E MÉTODOS

Materiais:

a) Câmaras para fotometria (Fig. 1) feitas a partir de lâminas de microscopia, para conter preparações de 1 mm de espessura;

 

 

b) absorciômetro basicamente semelhante ao proposto por BEAVER 2 (1949), dotado de célula fotorresistiva de CdS (LDR Phillips) e escala de transmitância. O diâmetro do feixe luminoso incidente sobre a célula (após passagem pela câmara) foi reduzido para 5 mm. Usaram-se diafragmas para evitar a entrada de luz difusa. A aferição foi feita por meio de filtros de transmitância conhecida, determinada com fotômetro graduado em "footcandles" (FERREIRA & CARVALHO3, 1971);

c) solução de glicerina a 50% v/v em água (n = 1,411);

d) solução de sacarose a 30% p/v em água (n = 1,385);

e) solução de sacarose a 54% p/v em água (n = 1,438).

Os índices de refração foram determinados com refratômetro de Abbe.

Métodos:

Amostras de fezes humanas normais (sólidas), em número de 20, foram diluídas em água e nas soluções mencionadas. Os resíduos sólidos macroscópicos, excluídos por meio de catação.

De cada amostra de fezes foram separadas 4 porções de mesmo pêso e diluídas a 1:10, 1:20, 1:40, 1:80 e 1:160 em água e nas três soluções referidas.

Após homogeneização, transferiram-se, sucessivamente, todas as suspensões para as câmaras, determinando-se as respectivas transmitâncias em relação à água destilada. Consideraram-se valores médios de leituras correspondentes a diversas regiões das preparações. Para cada diluição fecal, calculou-se a quantidade de material contida em uma área de 768 mm2 (24 x 32 mm) de uma câmara de 1 mm de altura. Nas condições mencionadas, as suspensões a 1:10, 1:20, 1:40,1:80 e 1:160 contém, respectivamente, 80, 40, 20, 10 e 5 mg de fezes.

Tendo BEAVER 2 (1949) sugerido o valor de 50% de transmitância para a padronização de esfregaços de fezes diluídos em água, calcularam-se, por meio de interpolação linear, as quantidades de fezes (de cada amostra e em cada diluente) contidas em esfregaços de 24 x 32mm e transmitância de 50%. O acréscimo da quantidade de fezes permitido pelas soluções diafanizadoras, em esfregaços com 50% de transmitância, expresso como fator, indica a eficiência do processo.

Ovos de Ascaris lumbricoides, Trichuris trichiura, Hymenolepis nana, Schistosoma mansoni e ancilostomídeos, presentes em várias das amostras, foram examinados em preparações delgadas, entre lâmina e lamínula, sob aumento de 400 diâmetros, para a verificação de eventuais alterações morfológicas. Não foram pesquisados protozoários.

 

RESULTADOS

Para cada amostra, no mesmo diluente e nas mesmas condições de transmitância, a quantidade de fezes por área unitária variou dentro de amplos limites.

Dentro de uma mesma amostra, em todos os casos, as menores quantidades de fezes por preparação com 50% de transmitância (31,2 mg em média), correspondem ao material diluído em água. As suspensões em soluções de sacarose a 30%, glicerina a 50% e sacarose a 54% apresentam, como valores médios, respectivamente 46,5, 60,4 e 98,8 mg.

Os acréscimos calculados como fatores são, em média, respectivamente 1,50, 1,95 e 3,17 para as três soluções.

Uma permanência durante 48 horas, do material em qualquer das três soluções, não resultou em alterações morfológicas que dificultassem a identificação dos ovos de helmintos encontrados.

Os dados quantitativos da experiência constam da Tabela e da Figura 2.

 

DISCUSSÃO

Embora a quantidade de fezes contida em esfregaços diluídos em água, padronizados quanto às dimensões e à turbidez, possa variar dentro de amplos limites, evidencia-se a utilidade da diafanização como um meio de aumentar o rendimento do exame de esfregaços diretos de fezes. Nos casos em estudo, êsse rendimento mostrou-se tanto maior quanto mais elevado o índice de refração do meio. No caso da solução de sacarose a 54%, entretanto, foi consideravelmente superior ao do de índice de refração imediatamente inferior.

 

CONCLUSÕES

As determinações de valores de turbidez fecais em termos de percentagens de transmitância mostraram-se adequadas à avaliação, de modo objetivo, do rendimento de processos de diafanização de esfregaços de fezes.

A análise dos resultados obtidos com substâncias de vários índices de refração dará flexibilidade ao critério de escolha dos meios, conciliando-se propriedades óticas com as de preservação dos caracteres morfológicos dos parasitas. A pesquisa de protozoários em material diafanizado poderá decorrer de estudos nesse campo.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. BAKER, J. R. – Cytological technique. 3rd ed. London, Methuen, 1950. Cap. 8.        [ Links ]

2. BEAVER, P. C. – Quantitative hookworm diagnosis by direct smear. J. Parasit, 35:125-35, 1949.        [ Links ]

3. FERREIRA, C. S. & CARVALHO, M. E. de – Simplificação do método de Beaver para a padronização de esfregaços de fezes. Nota prévia. Rev. paul. Med., 78:35, 1971.        [ Links ]

4. HEIN, G. – Cedar oil as an aid in finding parasitic ova in feces. J. Lab. clin. Med., 12:1117-8, 1927.        [ Links ]

5. KOMIYA, Y. & KOBAYASHI, A – Evaluation of Kato's thick-smear technic with a cellophane cover for helminth eggs in feces. Jap. J. med. Sci. Biol., 19:59-64, 1966.        [ Links ]

6. ROMEIS, B. – Mikroskopische Technik, 15. aufl. Muenchen, Leibniz Verlag, 1948.        [ Links ]

 

 

Recebido para publicação em 25-10-1971
Aprovado para publicação em 7-1-1972