SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.6 issue1Hipovitaminosis "A": serum vitamin "A" content and cacotene level in the State of S. Paulo, Brazil, seaside populationsHealth levels in the Taquari-Antas Region, State of Rio Grande do Sul, Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

Share


Revista de Saúde Pública

On-line version ISSN 1518-8787

Rev. Saúde Pública vol.6 no.1 São Paulo Mar. 1972

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101972000100003 

ARTIGO ORIGINAL

 

Diafanização de esfregaços de fezes

 

Clearing of fecal smears

 

 

Claúdio Santos Ferreira; Maria Esther de Carvalho

Do Departamento de Parasitologia do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo. – Av. Dr. Arnaldo, 455 – São Paulo, S.P. – Brasil

 

 


RESUMO

Nas mesmas condições de turbidez (transmitância = 50%), as médias das quantidades de fezes por unidade de área de esfregaço sofrem acréscimos quando, ao invés de água, usam-se diluentes de índices de refração mais elevados. Calculados como fatores, esses acréscimos foram, em média, 3,17 para a solução de sacarose a 54% (n = 1,438), 1,95 para a solução de glicerina a 50% (n = 1,411) e 1,50 para a solução de sacarose a 30% (n = 1,385). A absorciometria fatoelétrica mostrou-se adequada à avaliação do rendimento do processo de diafanização de esfregaços de fezes.

Unitermos: Esfregaços fecais*; Diafanização*; Índice de refração*; Absorciometria.


SUMMARY

Under the same conditions of turbidity (transmittance = 50%) the average amounts of feces per unit smear area are increased when diluents with high refractive indices are substituted for water. Such increments, calculated as factors, were on the average: 3.17 for 54% sucrose (n = 1.438); 1.95 for 50% glycerol (n = 1.411); and 1.50 for 30% sucrose (n = 1.385) aqueous solutions. Photoelectric absorptiometry was found adequate for evaluating the efficiency of fecal smear clearing processes.

Uniterms: Fecal smears*; Clearing*; Refractive index*; Absorptiometry.


 

 

INTRODUÇÃO

A quantidade de material contida por unidade de área de uma preparação fecal é limitada pela turbidez máxima compatível com a identificação de elementos parasitários.

O baixo índice de refração da água (n = 1,333) torna pouco transparentes os objetos microscópicos nela imersos (BAKER1, 1950). Meios de índices de refração mais elevados aumentam o rendimento do microscópio, sendo preferíveis. Os meios de montagem podem ser divididos em dois grandes grupos: miscíveis e não miscíveis em água (ROMEIS6, 1948).

A diafanização de esfregaços de fezes por meio de óleo de cedro (n = 1,505) foi proposta por HEIN4 (1927). Embora ofereça bom rendimento, há necessidade de prévia dessecação das preparações, o que torna inidentificáveis os ovos de várias espécies de helmintos, impossibitando também a pesquisa de cistos de protozoários.

A glicerina, um dos meios de montagem de uso mais freqüente dentre os miscíveis em água, é empregada em solução aquosa a 50%, na técnica de Kato e Miura para a preparação de esfregaços espessos de fezes (KOMIYA & KOBAYASHI5, 1966).

Considerando a analogia entre os métodos gerais de diafanização usados em microscopia ótica, efetuamos determinações turbidimétricas de suspensões de fezes em água (n = 1,333), solução de sacarose a 30% (n = 1,385), solução de glicerina a 50% (n = 1,411) e solução de sacarose a 54% (n = 1,438). A turbidimetria fotoelétrica, empregada no presente estudo, possibilita a avaliação objetiva do rendimento do processo.

O estado de conservação e as condições de visibilidade dos ovos de helmintos presentes em diversas das amostras de fezes examinadas foram objeto de verificação.

 

MATERIAIS E MÉTODOS

Materiais:

a) Câmaras para fotometria (Fig. 1) feitas a partir de lâminas de microscopia, para conter preparações de 1 mm de espessura;

 

 

b) absorciômetro basicamente semelhante ao proposto por BEAVER 2 (1949), dotado de célula fotorresistiva de CdS (LDR Phillips) e escala de transmitância. O diâmetro do feixe luminoso incidente sobre a célula (após passagem pela câmara) foi reduzido para 5 mm. Usaram-se diafragmas para evitar a entrada de luz difusa. A aferição foi feita por meio de filtros de transmitância conhecida, determinada com fotômetro graduado em "footcandles" (FERREIRA & CARVALHO3, 1971);

c) solução de glicerina a 50% v/v em água (n = 1,411);

d) solução de sacarose a 30% p/v em água (n = 1,385);

e) solução de sacarose a 54% p/v em água (n = 1,438).

Os índices de refração foram determinados com refratômetro de Abbe.

Métodos:

Amostras de fezes humanas normais (sólidas), em número de 20, foram diluídas em água e nas soluções mencionadas. Os resíduos sólidos macroscópicos, excluídos por meio de catação.

De cada amostra de fezes foram separadas 4 porções de mesmo pêso e diluídas a 1:10, 1:20, 1:40, 1:80 e 1:160 em água e nas três soluções referidas.

Após homogeneização, transferiram-se, sucessivamente, todas as suspensões para as câmaras, determinando-se as respectivas transmitâncias em relação à água destilada. Consideraram-se valores médios de leituras correspondentes a diversas regiões das preparações. Para cada diluição fecal, calculou-se a quantidade de material contida em uma área de 768 mm2 (24 x 32 mm) de uma câmara de 1 mm de altura. Nas condições mencionadas, as suspensões a 1:10, 1:20, 1:40,1:80 e 1:160 contém, respectivamente, 80, 40, 20, 10 e 5 mg de fezes.

Tendo BEAVER 2 (1949) sugerido o valor de 50% de transmitância para a padronização de esfregaços de fezes diluídos em água, calcularam-se, por meio de interpolação linear, as quantidades de fezes (de cada amostra e em cada diluente) contidas em esfregaços de 24 x 32mm e transmitância de 50%. O acréscimo da quantidade de fezes permitido pelas soluções diafanizadoras, em esfregaços com 50% de transmitância, expresso como fator, indica a eficiência do processo.

Ovos de Ascaris lumbricoides, Trichuris trichiura, Hymenolepis nana, Schistosoma mansoni e ancilostomídeos, presentes em várias das amostras, foram examinados em preparações delgadas, entre lâmina e lamínula, sob aumento de 400 diâmetros, para a verificação de eventuais alterações morfológicas. Não foram pesquisados protozoários.

 

RESULTADOS

Para cada amostra, no mesmo diluente e nas mesmas condições de transmitância, a quantidade de fezes por área unitária variou dentro de amplos limites.

Dentro de uma mesma amostra, em todos os casos, as menores quantidades de fezes por preparação com 50% de transmitância (31,2 mg em média), correspondem ao material diluído em água. As suspensões em soluções de sacarose a 30%, glicerina a 50% e sacarose a 54% apresentam, como valores médios, respectivamente 46,5, 60,4 e 98,8 mg.

Os acréscimos calculados como fatores são, em média, respectivamente 1,50, 1,95 e 3,17 para as três soluções.

Uma permanência durante 48 horas, do material em qualquer das três soluções, não resultou em alterações morfológicas que dificultassem a identificação dos ovos de helmintos encontrados.

Os dados quantitativos da experiência constam da Tabela e da Figura 2.

 

DISCUSSÃO

Embora a quantidade de fezes contida em esfregaços diluídos em água, padronizados quanto às dimensões e à turbidez, possa variar dentro de amplos limites, evidencia-se a utilidade da diafanização como um meio de aumentar o rendimento do exame de esfregaços diretos de fezes. Nos casos em estudo, êsse rendimento mostrou-se tanto maior quanto mais elevado o índice de refração do meio. No caso da solução de sacarose a 54%, entretanto, foi consideravelmente superior ao do de índice de refração imediatamente inferior.

 

CONCLUSÕES

As determinações de valores de turbidez fecais em termos de percentagens de transmitância mostraram-se adequadas à avaliação, de modo objetivo, do rendimento de processos de diafanização de esfregaços de fezes.

A análise dos resultados obtidos com substâncias de vários índices de refração dará flexibilidade ao critério de escolha dos meios, conciliando-se propriedades óticas com as de preservação dos caracteres morfológicos dos parasitas. A pesquisa de protozoários em material diafanizado poderá decorrer de estudos nesse campo.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. BAKER, J. R. – Cytological technique. 3rd ed. London, Methuen, 1950. Cap. 8.        [ Links ]

2. BEAVER, P. C. – Quantitative hookworm diagnosis by direct smear. J. Parasit, 35:125-35, 1949.        [ Links ]

3. FERREIRA, C. S. & CARVALHO, M. E. de – Simplificação do método de Beaver para a padronização de esfregaços de fezes. Nota prévia. Rev. paul. Med., 78:35, 1971.        [ Links ]

4. HEIN, G. – Cedar oil as an aid in finding parasitic ova in feces. J. Lab. clin. Med., 12:1117-8, 1927.        [ Links ]

5. KOMIYA, Y. & KOBAYASHI, A – Evaluation of Kato's thick-smear technic with a cellophane cover for helminth eggs in feces. Jap. J. med. Sci. Biol., 19:59-64, 1966.        [ Links ]

6. ROMEIS, B. – Mikroskopische Technik, 15. aufl. Muenchen, Leibniz Verlag, 1948.        [ Links ]

 

 

Recebido para publicação em 25-10-1971
Aprovado para publicação em 7-1-1972

Creative Commons License