SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.6 issue3Recovery of Trypanosoma forattinii Coutinho and Pattoli from a Trinidadian rodentVariations in fertility: comparison between three cohorts author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista de Saúde Pública

Print version ISSN 0034-8910

Rev. Saúde Pública vol.6 no.3 São Paulo Sept. 1972

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101972000300008 

NOTAS E INFORMAÇÕES / NOTES AND INFORMATION

 

Tratamento da Tinea pedis com Miconazole em pacientes de ambulatório

 

Treatment of Tinea pedis outpatientes with Miconazole

Nota Prévia

 

 

J. Martins de Barros; Walter Belda

Da Disciplina de Dermatologia Sanitária da Faculdade de Saúde Pública da USP – Av. Dr. Arnaldo 715 – São Paulo S. P. Brasil

 

 


RESUMO

Vinte e seis portadores de Tinea pedis foram tratados durante 4 semanas, duas a três vezes por dia, com aplicações de Miconazole sob forma de pó, loção ou creme, isolados ou associados. Em 23 casos (88%), as lesões melhoraram ou desapareceram, num período de 2 a 4 semanas.

Unitermos: Tinea pedis *; Terapeutica*; Miconazole*; Micoses.


SUMMARY

Twenty six patients of Tinea pedis were treated with Miconazole 2-3 times a day. The drug was used as lotion, cream or powder in local applications. Lesions ameliorated or disappeared in 23 patients (88%), within an average period of 2-4 weeks.

Uniterms: Tinea pedis*; Therapeutics*; Miconazole*; Mycosis.


 

 

1 – INTRODUÇÃO

As micoses superficiais, embora comprometendo apenas a camada epidérmica da pele e provocando lesões benignas, podem se tornar problema de interesse sanitário, não só pelo desconforto que acarretam ao doente, mas ainda pela freqüência elevada em alguns grupos da população. É o caso da tinha dos pés, cujas complicações produzem sofrimento, podem ser causa de absenteismo ao trabalho e de impedimento à prática de alguns esportes. Daí a importância de se ter à mão o maior número de medicamentos para combater esse mal.

O Miconazole é um derivado sintético de 1-fenetil-imidazol, e se aprasenta como pó branco cristalino, discretamente solúvel na água. É uma substância estável, que pode ser conservada inalterada durante vários meses, em condições normais de temperatura.

De acordo com experiências realizadas, o Miconazole demonstrou alta atividade contra fungos, dermatófitos e levedos, razão pela qual foi essa substância incluída na área de estudos da Disciplina de Dermatologia Sanitária da Faculdade de Saúde Pública da USP.

 

MATERIAL E MÉTODO DE ESTUDO

Foi observado, em um primeiro estudo, um grupo de 26 pacientes todos de ambulatório e portadores de lesões de Tinea pedis. O medicamento foi usado sob forma de creme, solução e pó, isolada ou associada.

Os pacientes eram instruídos no sentido de aplicar uma pequena quantidade de loção ou creme nas lesões, duas a três vezes ao dia, com as pontas dos dedos, esfregando até o desaparecimento do medicamento pela absorção da pele. A aplicação era feita pela manhã e à noite, sendo permitido aos pacientes seguirem a rotina de higiene local mas não a utilização de outros medicamentos. Quando se associou o pó, era este polvilhado uma vez ao dia, pela manhã, em lugar de uma das aplicações da loção ou do creme.

De todos os pacientes foi colhido material para exame microscópico e cultura. O material era obtido por meio de raspagem das lesões. O exame ao microscópio era feito após clareamento do material pela potassa a 30%. A inoculação do material foi feita com agar-Sabouraud, para identificação.

Os pacientes eram seguidos semanalmente, durante 4 semanas pelo menos. Alguns pacientes foram seguidos durante 45 dias.

O critério de melhoria baseou-se na involução clínica das lesões e o de cura, no desaparecimento das mesmas; sendo que em grande parte dos casos, foram repetidos os exames microscópico e a cultura.

O Miconazole foi experimentado sob a forma de pó, creme e loção, nos seguintes esquemas: A = pó e loção; B = loção; e C = pó e creme.

 

RESULTADOS

Os resultados foram divididos em: satisfatórios e não satisfatórios. Satisfatórios, quando houve desaparecimento do prurido e da irritação local, com desaparecimento ou melhoria acentuada das alterações da pele. Não satisfatórios, quando houve persistência do prurido, das irritações e alterações da pele.

Dos 8 pacientes que usaram o medicamento sob forma associada de pó e loção, apenas em um caso as lesões não desapareceram em 30 dias, e foi considerado não satisfatório. Nos restantes 7 casos, a cura se deu entre 14 a 30 dias de tratamento.

Dos 8 pacientes que usaram o medicamento exclusivamente sob forma de loção, todos tiveram regressão das lesões entre o 14.° e o 28.° dia de tratamento. Não houve casos suspeitos de intolerância ao medicamento.

Dos 10 pacientes tratados com esquema associado de pó e creme, em 8 casos as lesões desapareceram em um período médio de 25 dias e, em 2 casos, o tratamento teve que ser suspenso devido à exacerbação das lesões. O prurido desapareceu, em média 3 dias após o tratamento, e, em um caso, o prurido exacerbou-se nos 2 primeiros dias de tratamento, para melhorar em seguida.

 

CONCLUSÕES

Dos 26 pacientes tratados com Miconazole, apenas em um caso as lesões não regrediram no fim da 4.a semana de observação e, em 2 casos, houve necessidade de suspender o tratamento por exacerbação da sintomatologia local.

Nos demais 23 casos (88%) as lesões melhoraram ou desapareceram num mínimo de 2 semanas e máximo de 4 semanas .

Tendo em vista que a grande maioria dos pacientes apresentava a moléstia há vários anos, com recidivas ou resistência a vários medicamentos, os resultados observados podem ser considerados satisfatórios.

Por outro lado, sendo o medicamento inodoro e incolor e não produzindo irritação local, foi muito bem tolerado por 24 dos 26 pacientes.

 

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

BRUGMANS, J. P. & CUTSEN, J. M. – Avaliação clínica pelo método duplo-cego do Miconazole no tratamento da Tinea pedis crônica. Arq. Dermatol.         [ Links ][no prelo].

 

 

Recebido para publicação em 11-7-1972
Aprovado para publicação em 26-7-1972