SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 issue1Observations of cutaneous leishmaniasis in Brazil, after five years of prophylaxis author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

  • Have no similar articlesSimilars in SciELO

Share


Revista de Saúde Pública

Print version ISSN 0034-8910

Rev. Saúde Pública vol.22 no.1 São Paulo Feb. 1988

http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89101988000100011 

Cartas ao Editor Letters to the Editor

 

Inquérito parasitológico em Rondônia (Brasil) visando à detecção de casos autóctones de esquistossomose*

 

 

Ana Amélia P. BoischioI; Carlos E. A. Coimbra JúniorI; Ari Miguel Teixeira OttI; Ricardo Ventura SantosII

IDepartamento de Ciências Biomédicas da Universidade Federal de Rondônia — Caixa Postal 1314 — 78900 — Porto Velho, RO — Brasil
IIInstituto de Ciências Biológicas da Universidade de Brasília — 70910 — Brasília, DF — Brasil

 

 

A ocorrência em vários municípios de Rondônia de moluscos do gênero Biomphalaria, aliada ao processo de ocupação da região que ora se verifica, sugere a possibilidade do surgimento de focos ativos de esquistossomose2. Nesse sentido, procuraram-se detectar casos autóctones da doença, através de um inquérito coproparasitológico dentre escolares nascidos no Estado de Rondônia.

Os municípios abrangidos por esse inquérito foram Porto Velho, Ariquemes e Ji-Paraná. As amostras de fezes foram coletadas entre escolares da rede pública de ensino, na faixa etária de 6 a 15 anos, tendo sido dada preferência pelos estabelecimentos localizados perto dos locais onde foram detectados criadouros de planorbídeos, de acordo com levantamento malacológico realizado anteriormente1. O método empregado foi o de sedimentação de Lutz, tendo sido o material previamente fixado em formol 10%.

Os resultados desse inquérito, de um total de 617 exames realizados, não revelaram casos autóctones de esquistossomose. Apesar disso, ainda é prematuro afirmar que a parasitose não possa vir a estabelecer na região. O impacto de diferentes atividades humanas tem sido apontado como que favorecendo o surgimento de focos da esquistossomose na Amazônia1,3. Desse modo, estudos posteriores fazem-se necessários para acompanhar o possível estabelecimento da esquistossomose em Rondônia.

 

AGRADECIMENTOS

Ao Prof. Ronan Tanus, do Núcleo de Medicina Tropical e Nutrição da Universidade de Brasília, pelas facilidades oferecidas na realização de parte dos exames.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. COIMBRA, Jr., C. E. A. & SANTOS, R. V. Moluscos aquáticos do Estado de Rondônia (Brasil), com especial referência ao gênero Biomphalaria Preston, 1910 (Pulmonata, Planorbidae). Rev. Saúde públ., São Paulo, 20: 227-34, 1986.

2. COIMBRA, Jr., C. E. A.; SANTOS, R. V.; SMANIO NETO. L. Potencial endêmico da esquistossomose para o Estado de Rondônia, Brasil. Rev. Saúde públ, São Paulo, 18:510-5, 1984.

3. MORAES, M. A. P. A esquistossomose na Amazônia, Brasil. Rev. Univ. Fed. Pará, 2: 197-219, 1972.

 

 

Recebido para publicação em: 12/11/1987
Aprovado para publicação em: 23/11/1987

 

 

*Trabalho financiado pelo convênio Secretaria de Estado da Saúde de Rondônia e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Processo n.° RD-CJR/CNPq 700.01.031.0/84), como parte do Projeto "Diagnóstico das Condições de Saúde em Rondônia".