SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.26 número1O Mastomys natalensis como modelo alternativo nos estudos da esquistossomose mansoni experimentalBasofilia e anisotropia nucleares em células de camundongo após tratamento com oxamniquine índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo

versão On-line ISSN 1678-9946

Rev. Inst. Med. trop. S. Paulo vol.26 no.1 São Paulo jan./fev. 1984

http://dx.doi.org/10.1590/S0036-46651984000100005 

Natureza de anticorpos precipitantes específicos da paracoccidioidomicose (blastomicose Sul-Americana), revelados por contra-imunoeletroforese

 

The nature of the precipitating specific antibodies of the paracoccidioidomycosis (South American blastomycosis) revealed by counterimmunoelectrophoresis

 

 

Adhemar Mário FiorilloI; Roberto MartinezII

IProfessor Titular e Chefe da Disciplina de Moléstias Infecciosas e Parasitárias do Departamento de Clínica Médica da F.M.R.P.-USP
IIProfessor Assistente-Doutor da Disciplina de Moléstias Infecciosas e Parasitárias do Departamento de Clínica Médica da F.M.R.P.-USP

 

 


RESUMO

Os Autores estudaram soros de 20 pacientes, portadores de paracoccidioidomicose (blastomicose Sul-Americana), utilizando coluna de Sephadex G-200 para a separação das imunoglobulinas e o método de contra-imunoeletroforese em agarose para a verificação de anticorpos específicos aos fungos. Como antígeno usaram culturas de Paracoccidioides em fase de levedura, tratadas por ultra-som. Os soros dos pacientes que apresentaram 1, 2, 3 ou 4 linhas de precipitação foram separados em coluna e as frações obtidas foram concentradas e examinadas em contra-imunoeletroforese, com o antígeno citado. Verificaram, assim, que apenas as frações com teor conveniente de imunoglobulinas IgG reproduziram os achados obtidos com os soros totais correspondentes; as frações com teor normal de IgA e IgM e com quantidade pequena ou nula de IgG não produziram linha de precipitação. Concluem que os anticorpos precipitantes em gel específicos do Paracoccidioides são do tipo IgG.


SUMMARY

The sera of 20 patients with paracoccidioi domycosis (South American blastomycosis) were studied using a column of Sephadex G-200 for immunoglobulin separation and agarose gel counterimmunoelectrophoresis for the determination of specific anti-fungus antibodies. Sonicated yeast phase Paracoccidioides cultures were used as antigen. The sera that showed 1, 2, 3 or 4 precipitation bands were separated by column chromatography and the fractions obtained were concentrated and examined by counterimmunoelectrophoresis with the same antigen. Only the fractions with appropriate levels of IgG immunoglobulins reproduced the results obtained with the corresponding whole sera, whereas fractions with normal IgA and IgM levels and with little or no IgG produced no precipitation bands. It is concluded that the precipitating antibodies with specificity for the Paracoccidioides are of the IgG type.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

AGRADECIMENTO

Agradecemos à Preparadora Luzia de Oliveira pela sua colaboração técnica.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. BARBOSA, W.: BLAU. E.; MENDONÇA, J. R. & OLIVEIRA, R. L. de — Crossing-over immunoelectrophoresis applied to the study of Immunology oF South American blastomycosis. Previous note. Rev. Pat. trop. 2: 73-76. 1973.         [ Links ]

2. CONTI-DÍAZ. I. A.; SOMMA-MOREIRA. R. E.; GEZUELE, E.; GIMÉNEZ, A. C. de; PENA, M. I. & MACKINNON, J. E. — Immunoelectroosmophoresis — immimodiffusion in paracoccidioidomycosis. Sabouraudia 11: 39-41. 1973.         [ Links ]

3. FAHEY, J. L. & TERRY, E. W. — loo exchange chromatography and gel filtration, in WEIR, D. M. — Handbook of Experimental Immunology. Oxford, Blackwell, 1967.         [ Links ]

4. FAVA NETTO, C.; FERRI, R. G. & LACAZ, C. da S. — Proteinograma e algumas "provas da fase aguda do soro" na blastomicose sul-americana. Estudo comparativo com as reações de fixação de complemento e de precipitação. Med. Cirurg. Farm. 277: 157-163. 1959.         [ Links ]

5. FRANCO, M. F.; FAVA NETTO, C. & CHAMMA, L. G. — Reação de imunofluorescencia indireta para o diagnóstico sorológico da blastomicose sul-americana. Padroniração da reação e comparação dos resultados com a reação de fixação do complemento. Rev. Inst. Med. trop. São Paulo 15: 393-398, 1973.         [ Links ]

6. GREENWOOD, B. M.; WITTLE, H. C. & DOMINIC RAJKOVIC, O. — Countercurrent immunoelectrophoresis in the diagnosis of meningococcal infections. Lancet 2: 519-531. 1971.         [ Links ]

7. MARTINEZ, R.; FIORILLO, A. M. & COSTA, J. C. — A contraimunoeletroforese no diagnóstico da paracoccidioidomicose. Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, XV. Campinas, SP, 1979.         [ Links ]

8. MOTA, P. T. & FRANCO. M. F. de — Observações sobre a pesquisa de anticorpos IgM anti-Paracoccidioides braslliensis. por imunonuorescência no soro de pacientes com paracoccidioidomicose. Rev. Inst. Med. trop. São Paulo 21: 82-89. 1979.         [ Links ]

9. SCHEIDEGER. J. J. — Une microméthode de l'immuno-électrophorese. Internal. Arch. Allergy & Appl. Immunology 7: 103-110, 1955.         [ Links ]

 

 

Recebido para publicação em 9/3/1983.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons