SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 issue1A possível cura espontânea da Esquistossomose mansoni humana: "follow-up" de três pacientes treze anos após as manifestações da forma aguda, toxémica. Nota préviaEnsaio cinético para reações de fixação de complemento no sistema moléstia de Chagas author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

Print version ISSN 0037-8682

Rev. Soc. Bras. Med. Trop. vol.12 no.1 Uberaba Jan./Dec. 1978

http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86821978000100011 

Reprodutibilidade e estabilidade de antígenos preparados de culturas de Trypanosoma cruzi para reações de fixação do complemento*

 

 

José Oliveira de AlmeidaI; Irwing KaganII; Therezinha A. CunhaIII

I'Professor catedrático do Dep. Parasitologia, Microbiologia e Imunologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Un. São Paulo
IIDiretor da Divisão de Parasitologia Centro de Controle de Doenças, Atlanta, Geórgia. Est. Unidos
IIITécnica em Imunologia. Fac. Medicina de Ribeirão Preto

 

 


RESUMO

Antígenos preparados de culturas de Trypanosoma cruzi foram experimentados com um sôro chagásico de referência, em reações quantitativas de fixação do complemento. Quatro deles foram liofilizados em pequenos volumes e mantidos em geladeira. Um outro foi mantido em estado líquido, com az ida sódica e a 3-6o C.
Os títulos do complexo-imune, em termos de sôro ou de antígeno foram determinados como a inclinação da linha de regressão traçada quando se projetam as quantidades de complexo (em termos de sôro ou de antígeno) necessárias para 50% de hemólise contra o número de unidades de complemento usadas na reação.
Dividindo-se o título do antígeno pelo título do sôro, obtem-se um índice de reatividade específica (I.R.E.), que informa sobre a reprodutibilidade e estabilidade do antígeno. Examinando os antígenos, de frascos colhidos ao acaso, verificou-se que os antígenos B.W. 89 e CDC 10-75 apresentaram um I.R.E. com pequena diferença entre as amostras, enquanto maior variação foi observada com os antígenos B.W. 105 e 760130. Antígenos reconstituídose mantidos em geladeira, até oito meses, perdiam lentamente sua capacidade reativa, com exceção do antígeno B.W. 89 e CDC 10-75.
Os dados sugerem que o uso de antígenos de para reações de fixação do complemento devem ser empregados quando reconstituídos, evitando-se sua manutenção em estado líquido, pela queda do seu poder fixador.


ABSTRACT

Antigens prepared from cultures of Trypanosoma cruzi were tested by the quantitative complemento fixation test, with a Chagasic reference serum. The titer was computed as the slope of the linear relatioship between antigen (or serum) required for 50% hemolysis and the amount of complement present. When the antigen titer was divided by the serum titer, an index of specific reactivity was obtained. From the values of this index the reprodutibility of antigens was evaluated and also the decay of the capacity of the reativity against the reference serum. It was observed some variations from different vials and some decay of the specific reactivity after 8 months, when kept at 3-6° C.
From five antigens prepared by similar technics, two presented comparable reactivity (CDC-10-75 and B.W. 89). The relative discrepancies of specific reactivity were within acceptable limits with the antigens B.W. 89 and B.W. 105, in titrations performed at different time. The highest discrepancy was observed when the antigen 760130 was compared with CDC-10 75, B.W. 89 and B.W. 105.
The index of reactivity capacity permitted the evaluation of antigens prepared from, informing on their reproductibility and stability.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. ALMEIDA, J.O., On the use of von Kroghi's method for standardization of quantitative complement-fixation tests. J. Immunol., 76:259 - 263, 1956.         [ Links ]

2. ALMElDA, J. 0.,Onthe use of von Krogh's logistic equation in the quantitative complement fixation test. Rev. Microbiologia, 2:191 - 197, 1971.         [ Links ]

3. ALMEIDA, J. O., Standardized Quantitative Complement-Fixation test. In Research in Immunochemistry and Immunobiology. Volume 2:248- 292, 1972.         [ Links ]

4. ALMEIDA, J. 0.; CERISOLA, J.; CEDILLOS, R. & MAEKELT, G. A., Sôro de referência internacional para moléstia de Chagas. Simpósio Internacional sobre Enfermedad de Chagas. Sociedade Argentina de Parasitologia, Buenos Aires, pgs. 125-133, 1972.         [ Links ]

5. ALMEI DA, J. 0. & FIFE, E. H. Jr., Quantitatively Standardized Complement-Fixation Methods for Criticai Evaluation of antigens prepared from Trypanosoma cruzi. Scientific Publication no 319. Panamerican Health Organization, 1976.         [ Links ]

6. ALMEIDA, J. O.; FREITAS, J. L. P. &SIQUEIRA, A. F., Capacidade reativa específica do antígeno com anticorpo em reações de fixação do complemento para moléstia de Chagas. Rev. Inst. Med. Trop. São Paulo, 7:266-272, 1959.         [ Links ]

7. ALMEIDA, J. O. & SIQUEIRA, A. F., Estudo da discrepência relativa entre pares de reações simultâneas de fixação de complemento no sistema moléstia de Chagas. Rev. Inst. Med. Trop. São Paulo, 2:204-212, 1960.         [ Links ]

8. DAVIS, D. J., An improved antigen for complement fixation in American trypanosomiasis. Public Health Rep. 58:775- 777, 1943.         [ Links ]

9. FREITAS, J. L. P., Contribuição para o estudo do diagnóstico da moléstia de Chagas por processos de laboratório. Tese da Faculdade de Medicina de São Paulo, 160 pgs. 1947.         [ Links ]

10. FREITAS, J. L. P., Observações sobre a estabilidade de antígenos de culturas de Trypanosoma cruzi para reações de fixação do complemento. O Hospital, Rio de Janeiro, 38:513-519, 1950.         [ Links ]

11. FREITAS, J. L. P. & ALMEIDA, J. 0., Nova técnica de fixação do complemento para moléstia de Chagas. O Hospital, Rio de Janeiro, 35:787-800, 1949.         [ Links ]

12. KELSER, R. A., A complement-fixation test for Chagas' disease employing an artificial culture antigen. Am. J. Trop. Med., 76:405-416, 1936.         [ Links ]

13. LIEM, S. D., Onderzoeckingen over Triatoma infestans ais overbrenger van alkele pathogene organismen en over de complement-bindingreactie by de ziekte van Chagas. Trop. Dis. Bull., 35:719-720, 1938.         [ Links ]

14. MUNIZ, J. & FREITAS, G., Contribuição para o estudo da doença de Chagas pelas reações de imunidade. Men. Inst. Osw. Cruz, 41:303-333, 1944.         [ Links ]

15. PELLEGRINO, J. & BORROTCHIN, M., Inquérito sobre a doença de Chagas no Hospital da Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte (Minas Gerais, Brasil). Men. Inst. Osw. Cruz, 46:419-457, 1948.         [ Links ]

16. SIQUEIRA, A. F., Comparação de antígenos de Trypanosoma cruzi para reações quantitativas de fixação do complemento.         [ Links ]
I. Linearidade entre complexo imune e complemento. Rev. Inst. Med. Trop. São Paulo, 5:101-110, 1964.         [ Links ]
II. Análise seqüencial de probabilidade direta aplicada ao sistema moléstia de Chagas. Rev. Inst. Med. Trop. São Paulo, 6: 268-276, 1964.         [ Links ]

 

 

Recebido para publicação em 15.1.1978.

 

 

* Trabalho realizado com auxílio (SIP 08-053) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientíifiço e Tecnológico.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License